Arquivos mensais: junho 2009

Mostra SESC Cariri de cultura 2009

Estão abertas, até o dia 20 de junho de 2009, as inscrições para a XI Mostra Sesc Cariri
de Cultura, que acontecerá de 13 a 20 de novembro deste ano. Artistas e grupos de todo o País e do exterior podem inscrever propostas nas áreas de Artes Cênicas, Artes Plásticas, Audiovisual, Música e Literatura.
As propostas serão selecionadas por uma Comissão de Avaliação, composta por profissionais de comprovada experiência e ligados à área artístico-cultural.
obtenha a ficha de inscrição no site: http://mostracariri.wordpress.com/
Mais informações: [email protected]
(85) 3452 9065 / 9066 / 9322

Ô vergonha máaa…

O Cirque du Soleil está em Fortaleza pra fazer apresentações neste mês. Segundo o blog de Egídio Serpa a produção do circo informou que domingo passado, seis homens armados invadiram uma área do circo, renderam os seguranças de quem tomaram as armas e roubaram peças da produção e equiopamentos eletrônicos. E depois fugiram sem o menor problema. Ela contou que nenhum dos artistas do circo estava persente no momento em que o assalto ocorreu. Tá pesado viu macho! Mas o Cique du Soleil também não fica atrás não viu… Se liga só nos preços dos ingressos:
Adultos:

Tapis Rouge (incluindo ingressos especiais) R$ 680
Premium R$ 490
Categoria 1 R$ 420
Categoria 2 R$ 350
Categoria 3 R$ 230


Ingressos à venda de acordo com a disponibilidade. Os preços não incluem taxas de serviços. Não nos responsabilizamos por ingressos comprados de terceiros e recomendamos que a compra dos ingressos seja feita apenas em revendedores oficiais.

Crianças / Adultos / Estudantes
Os ingressos vendidos pela metade do preço são disponibilizados de acordo com a regulamentação local.

Lá qualquer dia

Emerson Monteiro

A função de escrever resulta, de tempos em tempos, nalgumas providências que independem da pura vontade individual. Quando menos se espera, volta a antiga pulsão de tanger no branco da folha palavras, as quais reunidas produzem sons inteligíveis para nós e para outros. Sons e pensamentos. Algo semelhante, quero crer, à disposição dos pássaros de trinarem no alto das árvores, isto sem que recebam comandos. As flores de se abrirem no vergel. Os sapos de croaxarem nos brejos. As lesmas de deixarem rastros brilhantes nas paredes. Etc. Nisso, retornam os questionamentos do que, em essência, satisfaz o viver de cada um.
Tempos atrás, coisa de poucos anos, andei lendo a propósito de uma nova disciplina que se desenvolve no Brasil, sobretudo para as bandas do Rio Grande do Sul. A Filosofia Clínica. Trata-se de jeito nascido nos cafés filosóficos de Paris, quando o conhecimento da Filosofia torna-se veículo suficiente a tratar de situações pessoais de conflito e instrumentar os clientes para, por si, responder às grandes questões pessoais da existência. Diante desse encaminhamento, encontram as soluções necessárias a viver em paz, conciliar-se com o universo em volta.
Na realidade, há que se achar o motivo do ato de conhecer. Afinal, na busca de explicação para o existir, nos deparamos com infinitos recursos através do estudo. Não fosse a tal maneira, para que tanto furor de pensar e aprofundar pesquisas quanto a alma?
Bom, as escolas religiosas atuais, ainda que busquem na oração, no trabalho, ritual, comunidades, multidões, meios de ampliar seu público para a Salvação, dispõe, nos inícios, das justificativas filosóficas necessárias a neutralizar as correntes contrárias e os adversários materialistas. Todas dispõem das bases doutrinárias que lhes dão respaldo, no correr das formações originais.
Haja um tempo de aprofundar perguntas e as grandes questões da existência (de onde viemos, o que estamos fazendo aqui e para onde vamos?, base primeira da Filosofia), e nuvens se condensam para chover conceitos fundamentais a estruturar o pensamento como um todo útil e necessário.
Nos mergulhos intensos das indagações, surge matéria prima às atitudes. Desde o modo niilista, do nada em troco de existir, o materialismo puro, ao misticismo extático, que justifica e conduz à perene felicidade, quando se apresenta o gosto religioso de caminhar nas trilhas deste mundo.
O importante nisso tudo representa a auto-suficiência que persistir e aceitar o veículo do pensamento qual fórmula clássica do encontro consigo próprio, com os outros e com a realidade viva da existência.

Restruturar o Museu Vicente Leite

O Museu de Arte Vicente Leite agora deve ser mais do que tudo alvo de nossas críticas construtivas como ele está sendo agora refeito. O momento agora é que olhos atentos e corações sensíveis possam estar ligados ao fato de que o museu Vicente Leite é digno de ser um Museu, como um que abriga um importante acervo de grandes artistas, incluindo entre eles a pintora Sinhá Damora, Bruno Pedrosa, o pintor Pedro Américo. A sua estrutura na verdade é um patrimônio da nossa região, do Ceará. Um investimento em sua restauração portanto não é simplesmente apenas colocar novas vigas, um novo teto, uma nova camada de pintura, mas uma obra completa para abrigar os trabalhos artísticos que estão sendo restaurados pela Edilma Rocha, porque seria inútil ter que restaurar todo o museu, e ainda mais se esquecer que um museu de fato deve ser extremamente capacitado para oferecer iluminação adequada as obras, entrada de ar adequada, catalogação atualizada, suportes adequados para as esculturas, expositores restaurados, vigilância tanto humana como tecnológica. Como cratense e artista plástico, eu reivindico como direito e como cidadão, o esforço nesse sentido de serem contratados profissionais na área de centros culturais, para assinarem sua posição sobre um espaço permanente e provisório de arte que é um lugar que ofereça qualidade em sua organização física e humana.
Outra sugestão que apresento é que se façam reuniões com os artistas plásticos do Crato, os que atuam permanentemente na área, para se debater os rumos das exposições temporárias. O Museu, digo novamente, pois venho sendo um dos que lutam para que o importante museu do Crato, não pode ser um espaço de depósito. A falta de apoio não pode ser mais a ignorância constante. Ele deve ser uma instituição como um organismo vivo com fluxo e refluxo de projetos para estar constantemente revitalizado no cenário artístico da região refletindo sua história como museu de arte moderna e contemporânea. O Museu como se sabe é um local muito visitado por todas as idades. O Crato tem um grande potencial para idealizar e realizar grandes projetos que condizem com sua marca maior que é a cidade da Cultura. Chega desse tipo de fazer as coisas de qualquer jeito.De arranjar-se as coisas para preencherem espaço. Há excelentes profissionais museólogos no Ceará que colocariam o rumo do Museu de Arte Vicente Leite no rumo certo que um museu de arte deve ser. As artes visuais e os artistas do Crato são tratados com desprezo. Resumidamente e direto, vamos olhar o museu com mais interesse, o interesse que é possível para a cidade do Crato.

Chrystian Marques

Oficina de elaboração de Projetos do Programa BNB de Cultura 2010

O Centro Cultural Banco do Nordeste – Cariri realizará nesta quarta-feira, dia 10 de junho, a partir das 15 horas, oficina de elaboração de projetos para o Programa BNB de Cultura 2010 – Parceria BNDES. A oficina pretende facilitar e estimular a participação do maior número possível de proponentes, além de fornecer orientações pertinentes à elaboração dos projetos diretamente aos artistas, produtores, gestores culturais e demais interessados. O ingresso nas oficinas é gratuito e não é necessário inscrição prévia.

O Programa BNB de Cultura – Parceria BNDES é uma linha de patrocínio direto do BNB, com a parceria do BNDES, para apoio à produção e difusão da cultura nordestina, mediante seleção pública de projetos. Juntos, o BNB e o BNDES destinarão, no próximo ano, o montante de R$ 6 milhões para projetos a serem selecionados nas seguintes áreas: música (com dotação de R$ 1,25 milhão), literatura (R$ 800 mil), artes cênicas (R$ 1,1 milhão), artes visuais (R$ 800 mil), audiovisual (R$ 800 mil) e artes integradas ou não-específicas (R$ 1,25 milhão).v

Haroldo Lima debate energia e petróleo no Cariri

Desenvolvimento para região do Cariri. Estão previstos 15 milhões de reais, em investimentos para esse ano, conforme o diretor da ANP.

O diretor geral da Agência Nacional do Petróleo – ANP – Haroldo Lima estará na cidade do Crato dia 19 de junho. Ele será conferencista do debate promovido pela Universidade Regional do Cariri – URCA, sobre o tema “Os Projetos de Desenvolvimento do Brasil – Energia e Petróleo no Cariri”. O evento acontece no Salão de Atos da Universidade, localizado no Campus do Pimenta, a partir das 18 horas.

Como debatedores, o senador Inácio Arruda; o Reitor da URCA, Plácido Cidade Nuvens; o diretor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus de Juazeiro do Norte, Francisco Wilson Cordeiro de Brito; e o diretor da Universidade Federal do Ceará – Campus Cariri, Ricardo Luiz Lange Ness.

A iniciativa do debate ocorre em razão da ANP ter anunciado que incluiu, nos planos de pesquisa do órgão, duas novas áreas: a Bacia do Ceará e a Bacia do Araripe. Para isso, foram incluídos no Plano Plurianual de Geologia e Geofísica da ANP, recursos da ordem de 15 milhões de reais, com investimentos previstos para esse ano. Essa informação foi dada pelo próprio Haroldo Lima ao senador Inácio Arruda que, em Brasília, se empenha para que a pesquisa sobre a existência de óleo e petróleo no Cariri tenha início o quanto antes e sejam concluídas até 2010.

A Bacia do Ceará já é explorada em plataformas marítimas no município de Paracuru. Já a Bacia do Araripe, localizada na região sul do Ceará, ainda não foi explorada. Entretanto, estudos já vem sendo feitos no local por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em parceria com a Petrobras, para identificar a existência de óleo na área.

Haroldo Lima debate energia e petróleo no Cariri

Desenvolvimento para região do Cariri. Estão previstos 15 milhões de reais, em investimentos para esse ano, conforme o diretor da ANP.

O diretor geral da Agência Nacional do Petróleo – ANP – Haroldo Lima estará na cidade do Crato dia 19 de junho. Ele será conferencista do debate promovido pela Universidade Regional do Cariri – URCA, sobre o tema “Os Projetos de Desenvolvimento do Brasil – Energia e Petróleo no Cariri”. O evento acontece no Salão de Atos da Universidade, localizado no Campus do Pimenta, a partir das 18 horas.

Como debatedores, o senador Inácio Arruda; o Reitor da URCA, Plácido Cidade Nuvens; o diretor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus de Juazeiro do Norte, Francisco Wilson Cordeiro de Brito; e o diretor da Universidade Federal do Ceará – Campus Cariri, Ricardo Luiz Lange Ness.

A iniciativa do debate ocorre em razão da ANP ter anunciado que incluiu, nos planos de pesquisa do órgão, duas novas áreas: a Bacia do Ceará e a Bacia do Araripe. Para isso, foram incluídos no Plano Plurianual de Geologia e Geofísica da ANP, recursos da ordem de 15 milhões de reais, com investimentos previstos para esse ano. Essa informação foi dada pelo próprio Haroldo Lima ao senador Inácio Arruda que, em Brasília, se empenha para que a pesquisa sobre a existência de óleo e petróleo no Cariri tenha início o quanto antes e sejam concluídas até 2010.

A Bacia do Ceará já é explorada em plataformas marítimas no município de Paracuru. Já a Bacia do Araripe, localizada na região sul do Ceará, ainda não foi explorada. Entretanto, estudos já vem sendo feitos no local por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em parceria com a Petrobras, para identificar a existência de óleo na área.

Coletivo Camaradas – Um novo olhar sobre a Cultura

O Coletivo Camaradas grupo formado por ativistas da cultura, convida toda a comunidade a participar da Assembléia , onde será discutido e votado o seus Estatutos e eleito o seu colegiado. Logo, após terá a exibição do documentário “Cabaré – Memórias de uma Vida”. (foto da Exposição Cabaré – Memórias de uma Vida – CCBNB Cariri)

Por Michael Marques

O Coletivo Camaradas foi criado em dezembro de 2007, com o intuito de discutir as práticas culturais exercidas em nossa Região do Cariri e em todo o estado do Ceara. Dentro de uma perspectiva Marxista, o Coletivo propõe uma “remodelação” dos modelos de Cultura apresentados em nossa região. Partindo da premissa Dialética (tese, antítese e síntese), onde podemos discutir a origem, as manifestações e a modificação ao longo dos anos dos movimentos culturais apresentados nas festas populares. Levando em consideração a comunicação que possa ser exercida entre os membros de uma mesma sociedade, ou seja, indivíduos que compõe um mesmo grupo social, e podendo enxergar as contradições da lógica do mercado da cultura. O Coletivo Camaradas vem propor (discutindo) um novo modelo de produção de cultura, onde possamos aglutinar um maior numero de pessoas envolvida na cultura de seu povo, de sua gente. Buscando uma emancipação humana através de fomentação das manifestações culturais, em detrimento a todo o processo da Industria Cultural, onde esse mercado industrial manifesta-se na forma mais cruel de padronização das práticas culturais, visto as músicas, filmes, danças, livros, mídia radiofónica, televisiva, comunicações instantâneas (Internet). Partindo da premissa da Cultura de Massa, onde o processo girar em torno da Adesão, e não da discussão da informação passada, sentimos (o Coletivo Camaradas) a necessidade de prover uma nova visão, de levar de fato a toda a sociedade um grito de “chega”, basta de vulgarização da figura feminina, onde temos as “mulheres frutas”, onde busco um certo trecho de uma musica que diz: “tem a feminilidade e a sensualidade de uma vaca/produzidas com roupinhas da estação que viram no anúncio da televisão”. O fato é que somos atraídos pelos porta-vozes das manifestações artísticas e culturais em nosso país, a mídia (porta-voz) populariza as informações, até então nada demais em as informações serem repassadas de uma forma mais justa, mais ampla, mas camaradas, a popularização está ligada ao processo de conscientização, das transformações dos indivíduos em sujeitos consumidores dos produtos emanados pela industrial cultural. Paramos um pouco, e pensamos o que estamos assistindo, escutando, ouvindo, qual reflexão consciente estamos tendo dessas nossas atividades cotidianas? Não! Não quero aqui mudar o jeito e a forma de pensar de vocês camaradas, mas sim propor uma discussão, ou re-discussão (se assim vocês querem) da cultura, não uma cultura de adesão, e sim manifestações culturais engajadas, coerentes, dinâmicas, e por que não transformadoras. Podemos sim mudar a contextualização, os espaços e a formas das produções culturais, uni-vos nessa luta, que é de todos.

O Coletivo Camaradas estará exibindo o documentário “Cabaré Memórias de uma Vida”, logo após teremos a Assembleia.

Sendo assim convido-os a participarem da Assembleia do Coletivo Camaradas.

Dia 27 de Junho às 14:00
Local: Sede do Projeto Nova Vida – Comunida do Gesso