Arquivos mensais: setembro 2008

IEC planeja sarau com poetas do Cariri

A reunião será nesta quinta-feira na URCA.

Potencializar os sarais poéticos numa mistura performática é o objetivo do Projeto Altar Poético que será desenvolvido pela Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC, vinculado a Pró-reitoria de Extensão da Universidade Regional do Cariri – URCA. A proposta é a realização de sarais periódicos no Jardim de entrada do Campus Pimenta possibilitando a fruição da comunidade acadêmica como dos transeuntes.

O IEC está convidando os poetas da região para uma reunião nesta quinta-feira, dia 11, a partir das 15 horas, na sala de vídeo da URCA.

Serviço:

Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho

Proex – URCA Campus Pimenta

3102-1212 ramal 2424

Índios Kariri revitalizamcultura do artesanato do Katitu

O artesanato do cipó Katitu e do bambu bastante conhecidos na regiãodo Cariri é oriundo dos povos indígenas. O povo Kariri, da localidadedo sítio Poço Dantas – Distrito Monte Alverne, na cidade do Cratoestará revitalizando essa arte utilitária a partir de oficina que serádesenvolvida pelo agricultor e artesão, José Nilton Braz, no períodode 15 a 18 de setembro. A oficina consistirá de colheita damatéria-prima e fabricação das peças artesanais. Na oficina, os índiosaprenderão a produzir urupembas, balaios, cestos, fruteiras e abanos.Além desta oficina, os Kariri, participarão de treinamento sobre”associativismo” ministrado pela Cáritas Diocesana do Crato com ointuito de fortalecer o processo de organização e de diagnosticarrealidade e defini políticas publicas para os índios. O secretário deMeio Ambiente do Município, Nivaldo Soares foi convidado a participarde encontro no dia 18 para falar sobre projeto de sua autoriadenominado de “Quintais Produtivos Biodinâmicos”, qual tem comoobjetivo cultivar plantas nativas e frutíferas como fonte de rendapara os pequenos produtores. Já é prevista a realização de mais umaoficina de “bio-jóias, que visa incentivar a produção de jóiasproduzidas a partir de recursos naturais da região. Essas atividadesfazem parte de uma parceria que vem sendo desenvolvida pelos índiosKariri e o Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IECvinculado a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Regional doCariri – URCA, ICM-Bio, Caritas Diocesana, Secretaria de Cultura,Secretaria de Meio Ambiente, Rede de Educação Cidadão – RECID eAssociação Cristã de Base – ACB.

Serviço:

Índios Kariri (88) 92564738 Elias e 92480873 Debora
Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC (88) 3102-1200

Arte e Guerrilha é na BA

Coletivo Camaradas participado deste grande evento baiano.

Os estudantes estão nas ruas. Excluídos os períodos dosexames e das férias, essa frase, no Brasil, conserva suaatualidade durante o resto do ano. Desde o trote dos calouros,em março, as provas finais, em dezembro, com uma ligeiratrégua provocada pelas férias de julho, os estudantesbrasileiros protestam sempre.Arthur Jose Poerner 1968
.
O projeto Arte e Guerrilha irá realizar oito intervenções urbanas nacidade de Salvador sob a influência dos acontecimentos do ano de 1968 noBrasil, suas conseqüências para o desenvolvimento do país e suas chagas,ainda abertas, deixadas após 20 anos de ditadura militar que transformouradicalm ente nossa sociedade.Alé m disso, organizaremos duas mesas dedebates.

.
Programação

.
Debates:10/09/2008 – UCSAL, CAMPUS DA LAPA- Arte e as ruas

Alejandra Hernández Muñoz BA (Professora de Historia da Arte da EBA/UFBA)

Dilson Rodrigues Midlej BA (Diretor de Artes Visuais da FUNCEB)

Fabiana Dultra Britto BA (Escola de Dança da UFBA)
.
11/09/2008 – UCSAL, CAMPUS DA LAPA
– Juventude e as ruas

Artur Jose Poerner RJ (autor do livro “O Poder Jovem”)

Wladimir Meira Nunes (Vice-presidente União Nacional dos Estudantes da Bahia)
.
Intervenções:

.

– Cristiano Píton BA

O “Quem acende?” surgiu a partir de um protesto contra a repressão violenta dapolícia local de Salvador, contra a uma manifestação pacífica realizada porestudantes no dia 16 de maio de 2001.
.
– João Ramos BA

Carlos Marighella, Carlos Lamarca e Vladimir Herzog, personagens ligadas agrupos engajados nas campanhas de seu tempo, através da mobilizaçãovoluntária e clandestina, atraíram amizade, inimizade e indiferença. Todos morreram indefesos. HIPERTEXTOS soma ao silêncio fotográfico, o silênciodesumano que proporcionou a derrocada destes homens. Trazendo vestígios deinformação biográfica que aguçam o estranhamento que suas históriascarregam. Com referência ao código HTML, em sequências de caracteres detexto que transportam conteúdo multimídia, traduz imageticamente o universosimbólico das personagens expostas em lugares públicos da urbis, sem amediação de espaços consagrados como galerias e museus. Aspecto anárquico/desobedien te inerente à clandestinidade. Aplicados em serigrafia mural comtinta fosforescente, são revelados pelas luzes da cidade e percebidos por seus passantes.

.

– Fernando Lopes BA

“Casa Imprópria” confecção de móveis de papelão para serem deixados emlocais de concentração de moradores de rua, como pontes e viadutos. Fazreferência a precariedade e efemeridade da vida nas ruas de grandes cidades.

.

– APDC BA

“eu odeio o PDDU” colagem de cartazes com a mesma frase do título e criaçãode blog sobre as atuais discussões do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbanode Salvador, trata-se de uma provocação no sentido de se fazer vivo na vidacotidiana das pessoas o plano para o desenvolvimento urbano da cidade, poucodiscutido e quase que totalmente desconhecido pela maioria da população,através da negação esperamos trazer a tona o desejo de se conhecer melhor oprojeto.

visite www.odeiopddu.blogspot.com

.

– Coletivo Camaradas CE

A presente intervenção tem como objetivo discutir junto com os jovens daperiferia o espaço urbano como espaço de exposição de “arte pública e deengajamento político” e levar a periferia para o centro urbano e vice-versa(preferencialmente em pontos elitizados como shoppings centes e no espaçoda periferia) através de projeções de imagens capturadas na Periferia baiana,a partir de uma discussão anterior sobre arte contemporânea e osacontecimentos de maio de 68.Intervindo na Periferia é uma proposta de intervenção coletiva, portanto, aintenção é que no processo vai se construindo a formatação da final do trabalho.A principal idéia é propiciar o acesso da arte contemporânea para as camadaspopulares, excluíndo a figura do artista e colocando os excluídos socialmentecomo protagonistas do processo estético e artístico.

.

– Tábata Costa SP

Instalação e inserção de cadernos espiralados de ambos os lados e livros comlombadas de ambos os lados.Sóbrios livros de história e cadernos pretos de capa dura vedados se acumulam,esté reis, em cantos e estantes, pois nunca serão tocados. Seu conteúdopermanecerá fechado.O trabalho começou quando criei um caderno preto de capa dura espiralado deambos os lados. O objeto foi inserido na barraca de trocas, intervenção do grupoAlerta! , do qual faço parte, durante o II Salão de M.a.i.o. realizado em Salvador,em 2005. Todos os objetos da barraca eram somente trocados por outros que ospassantes interessados negociassem.

.

– PORO MG

“da série contra palavras de ordem” distribuição de panfletos com a frase:”superficie da cidade. tudo é publicidade na linha dos meus olhos.”

.

– Manoel Marcelo Gomes RJ

“Não Falo” duas mulheres tem grudada na lateral de seus vestidos uma faixaescrito a frase: Não falo. Uma delas esta totalmente enrolada na faixa. Na medida que o semáforo fecha para os carros as duas caminham para o centro da faixa de pedestres e a que esta enrolada se desenrola permitindo que a faixa fique exposta para os motoristas. Assim a ação é repetida durante meia hora.

Prêmio Interferências Urbanas 2008 – Inscrições até dia 22

Estão abertas as inscrições, até 22 de setembro, para o Prêmio Interferências Urbanas 2008 que selecionará 10 projetos para realização com ajuda de custo de 8 mil reais.

O território de intervenções é formado por áreas dos bairros do Catete e Flamengo incluindo o parque do Aterro e a orla marítima. As intervenções serão expostas entre os dias 24/10 e 2/11.

Detalhes da premiação, regulamento e ficha de inscrição no site www.interferenciasurbanas.com.br.

ocumentários caririenses são exibidos no projeto Curta Muito

O Coletivo Malungo exibe, este mês, dois curtas metragens produzidos por os alunos do núcleo de audiovisual do Projeto Verde Vida através da iniciativa Ações Culturais para Povos Rurais. Os documentários A Última Badalada e Farinhada na Malhada são os dois primeiros filmes produzidos pelos aprendizes do Projeto sob a orientação dos profissionais da Assossiação de Audiovisual do Cariri – AAC. Até o final deste ano serão desenvolvidos dez vídeos com o apoio da Petrobrás e Criança Esperança, financiadoras da iniciativa.

Sobre os filmes

A Última Badalada – dirigido por Paloma Lopes e Allyson Leite (cor, 2008, 8’59”)

Sinopse – conta a história de vida de Maria Ferreira da Silva conhecida pela comunidade de Ponta da Serra como Dona Maricô. Esta mulher que há mais de 25 anos anuncia, através do sino da igreja Matriz de Ponta da Serra, o falecimento de alguém e festas do padroeiro São José.

Farinhada na Malhada – dirigido por Girlândia Vieira (cor, 2008)

Sinopse – evidencia o crescimento da produção de farinha da região do Cariri, além de destacar esta atividade econômica com sendo um elemento agregado dos membros da comunidade local. A Farinhada acontece anualmente, em julho e agosto, no Sítio Malhada localizado em Ponta da Serra, na Casa de Farinha da Associação Comunitária. A atividade já é uma tradição local e fonte de renda para os moradores da comunidade, todos os membros da associação estão diretamente envolvidos no trabalho da farinhada.

Para saber mais: www.projetoverdevida.com.br

O Curta Muito é uma parceria do Coletivo Malungo com o Centro Cultural Banco do Nordeste – CCBNB que duas vezes ao mês exibe vídeos em espaços públicos. Para este mês, uma exibição acontecerá no dia 12 em Ponta de Serra, distrito de Crato –CE, na sede do Projeto Verde Vida e a outra será dia 19 no Coletivo Malungo, ambas a partir das 17h.

www.coletivomalungo.wordpress.com

Fonte:
Assessoria de Comunicação

Coletivo Malungo – Crato-CE

Bienal da UNE: Inscreva-se!

Raízes do Brasil: formação e sentido do Povo brasileiro.

O século XVI deve ser visto por nós como um período ao mesmo tempo inaugural e experimental. Ninguém sabia ao certo no que tudo aquilo poderia dar. Mas o fato é que, da obra do Governo Geral á expansão da agroindústria açucareira, implantou-se o projeto lusitano para nossos trópicos. Não exatamente dentro das balizas ou dos trilhos planejados pelos portugueses, é claro. Eles pensaram em termos de transplantação cultural, de reprodução imediata do modelo metropolitano, sonhando uma Nova Lisboa em nossas terras. Mas a mestiçagem genética e o sincretismo cultural, que já vinha da aldeia eurotupinambá de Diogo Caramuru, se encarregaram de tecer uma outra realidade, original, na Bahia de Todos os Santos e seu Recôncavo. Assim teve inicio o processo histórico-cultural que fez, de nós, o que somos

Antonio Risério.”Uma história da Cidade da Bahia”

Estão abertas as inscrições para a VI Bienal de Cultura da UNE, que é hoje o maior evento de cultura e juventude da América Latina. Esta Bienal possui diversas significações para o processo de reestruturação do trabalho de cultura da UNE. Em primeiro lugar pois está voltando a cidade que lançou o projeto Bienal da UNE a quase dez anos atrás, quando em 1999 realizou-se na capital baiana a primeira Bienal de Arte, Ciência e Cultura da UNE. Fator que naquele momento tinha sido relevante, pois foi nesta cidade que em 1979 a UNE reconstruiu a entidade, depois de ter sido colocada na clandestinidade pela ditadura militar. Mas outra grande motivações para esta Bienal ser realizada em Salvador e sua importância em relação ao tema da Bienal, tema este que pretende discutir a formação do povo brasileiro de um ponto de vista bastante contemporâneo. A introdução extraída do livro “Uma história da Cidade da Bahia” de Antonio Risério dispensa maiores explicações.

Como um projeto permanente sua configuração sofre transformações ao longo do tempo. Temos como exemplo o recorte utilizado na última Bienal da UNE realizada no Rio de Janeiro que é a participação dos Pontos de Cultura de uma maneira bastante considerável em relação à programação como um todo. Nesta versão esta novidade permanece e pretende se ampliar pensando em outras formas de participação dos pontos além da apresentação em si, mas ampliando de forma que a peculiaridade de cada Ponto de Cultura possa ser mais valorizada e também que possa contribuir mais na construção geral do evento. Mas nesta edição podemos dizer que a principal mudança é a aceitação de trabalhos feitos por estudantes secundaristas, nas edições anteriores apenas na mostra de Ciência e Tecnologia podiam mostrar sua produção e com isso abrimos para um importante pólo de produção específica que são as escolas técnicas. Desta forma pretendemos dar espaço para uma produção que está escondida nas escolas e também fazer um levantamento de como a cultura está sendo produzida neste espaços, que existem em número muito superior que as instituições de ensino superior do país.

Saiba como se inscrever acessando ao regulamento.

maiores informações : www.une.org.br

fale com a secretaria da 6 bienal:

71 3283 7688 de segunda a sexta das 9h ás 18h

email: [email protected]

Edital Ação Griô | inscreva-se até 8 de setembro

Veja a vinheta produzida pela TV CUCA para o edital de bolsas de incentivo da Ação Griô. Imagens referentes às Paneleiras do Espírito Santo registradas durante a passagem da Caravana de Saúde Educação e Cultura pelo estado capixaba.

Por uma política nacional de educação, cultura oral e economia comunitária, o CUCA da UNE apoia essa iniciativa, disponibiliza seu blog para a mobilização das inscrições.

Inscreva seu Ponto de Cultura ou sua Entidade Cultural através do site do ministério da cultura (www.cultura.gov.br) até o dia 8 de setembro de 2008.

Segunda-feira, 25 de Agosto de 2008
Dia do Folclore

No dia 22 de agosto, dia do folclore o CUCA Araguaia (MT) realizou na escola Antonio Cristino Cortes uma apresentação com grupo de folia de reis e Capoeira.

A atividade em comemoração as nossas raízes culturais contou com a participação da comunidade escolar mais alguns espectadores que aplaudiram as manifestações culturais apresentadas, ressaltamos os comentários de professores e alunos que disseram desconhecer a existência de grupo de folia de reis em nossa cidade.

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2008
Projeto “Cidades Invisíveis” integra pontos de cultura do interior à Rede Minas e suas afiliadas

Participantes de nove cidades do interior produzirão 18 vídeos de curta duração, os chamados interprogramas, para serem veiculados na Rede Minas. Projeto é uma parceria entre a emissora e as ONG Contato e Fábrica do Futuro. Primeira etapa começa em BH nesta segunda (25) com a presença dos secretários do MinC, Célio Turino e Alfredo Manevy.

Inspirado no romance “Cidades Invisíveis” do escritor italiano Ítalo Calvino –no qual o navegador Marco Pólo descreve sua viagem fantástica por cidades imaginárias– o projeto será realizado em nove municípios: Ouro Preto, Divinópolis, Januária, Juiz de Fora, Pirapora, Uberlândia, Viçosa, Pouso Alegre e Araçuaí. Em cada uma dessas localidades, serão desenvolvidos dois argumentos ou pequenos roteiros para a produção de vídeos de curta duração, em alta definição. Os 18 filmes serão veiculados na Rede Minas, em 2009, nos espaços dedicados à interprogramação.

Saiba mais!

Quarta-feira, 20 de Agosto de 2008
CINECUCA COM BRAZUCAH

22 de agosto – Sexta-feira

NAS TERRAS DO BEM
doc, 110 min, 207, Alexandre Rampazzo

HORÁRIO 19H
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CULTURA E ARTE GIANFRANCESCO GUARNIERI
Rua vergueiro, 2485, Vila Mariana-prox. metrô ana rosa

Saiba Mais!

Enquanto isso, no CUCA SP

NESTE SÁBADO, DIA 23 DE AGOSTO, ENTRE 17 E 22 HORAS, VENHA FAZER O MUNDO NO CUCA!!
A FESTA DE LANÇAMENTOD ESSA PARCERIA CONTARÁ COM DIVERSAS ATAÇÕES MUSICAIS E TEATRAIS .
E a partir do dia 06 de Agosto , todos os sábados (das 20h as 23h) rolará os Acordes no CUCA, com um Festival Universitário Permanente . Se ligue!

TV CUCA Por mais segurança na UFBA

“A essa hora provavelmente todo mundo sabe muito melhor do que eu que houve um estupro no campus da UFBA hoje de manhã. Não é a primeira vez que acontece um crime deste tipo na UFBA, mas talvez porque o caso de hoje tenha ocorrido em um horário de grande movimento e em um lugar que nem é tão deserto assim as pessoas resolveram acreditar. Sim, acreditar, porque os casos de estupro na universidade sempre se disseminam como um boato. Desde que eu entrei na universidade em 2006 já passaram na minha sala ao menos quatro vezes para dizer que houve um estupro em não sei onde. Os alunos fazem uma abaixo assinado e o assunto morre aí, ninguém averigua se é verdade ou mentira, quem foi a vítima e nada é feito depois. Na minha singela opinião um boato de estupro não pode ser tratado como um boato de casamento entre celebridades. Na minha singela opinião reitores, pró-reitores e diretores de institutos que ouvem falar de um estupro e não fazem de tudo para checar a informação e evitar novos casos são criminosos.”

Clique aqui e leia na integra a opinião publicada ontem no blog de Juliana Cunha, coordenadora de literatura da sexta Bienal da UNE, a ser realizada entre os dias 20 a 25 de janeiro de 2009, na cidade de salvador.

conexão bahia!

CUCA BAHIA em novo endereço!
Pavilhão de Aulas do Canela, em cima da Sala de Arte da UFBA 2º andar
[email protected] 71.3283-7688

Acesse o Blog JÁ MATEI POR MENOS E JÁ ESCREVI POR MAIS.

Terça-feira, 19 de Agosto de 2008
TV CUCA : A Casa do Poder Jovem

RUMO À CONSTRUÇÃO!

Em 2007, a União Nacional dos Estudantes e a União Brasaileira dos Estudantes Secundaristas retomaram junto a milhares de estudantes brasileiros a histórica sede da Praia do Flamengo, 132.

Nesse processo uma parceria entre o Circuito Universitário de Cultura e Arte e o Instituto do Patrimonio Histórico e Artístico Nacional gerou uma exposição móvel sobre a história daquele espaço e um média metragem de 34 minutos produzido pelo núcleo de audiovisual do CUCA, A Casa do Poder Jovem.

Durante esse tempo a UNE vem se esforçando a cada dia pela construção do prédio já projetado pelo Oscar Niemeyer que lançará em terras cariocas um espaço ideal para as trocas de idéia e cultura da juventude brasileira e, nessa luta, um marco histórico foi certamente a recém visita do Presidente Lula e de seus Ministros ao terreno da UNE e o reconhecimento do Estado pela dívida do incêndio de 1964 tocado pela Ditadura Militar Brasileira e o compromisso de reconstrução daquele espaço que desde 1942, já havia sido conquistado pelos estudantes.

O CUCA aproveita o momento para então reeditar a Casa do Poder Jovem, numa versão mais curta e com a inclusão da visita do LULA, no dia 12 de agosto de 2008.

Boa sessão e depois aproveite pra ver ainda na TV CUCA um pouco mais do projeto do maior arquiteto brasileiro que presenteia todos os estudantes braisleiros com uma bela casa.

Segunda-feira, 11 de Agosto de 2008
CUCA NA CARAVANA DA UNE

Nesta terça-feira, o ônibus da Caravana da UNE: Saúde, Educação e Cultura, uma parceria com o Ministério da Saúde, ligará o motor para dar início ao seu itinerário pelo Brasil. A abertura acontecerá após a cerimônia com o presidente Lula, com as presenças confirmadas do ministro da Saúde, José Gomes Temporão; do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral; da presidente da UNE, Lucia Stumpf; do presidente da UBES, Ismael Cardoso; e do presidente do Conselho Nacional de Juventude, Danilo Moreira.
Em virtude disso, iniciamos também sua viagem através das matérias produzidas pela trupe da bienal. Muitos vídeos, música e produção cultural circulará por aqui pelo Blog do CUCA.

Alexandre Santini, Coordenador Geral do Instituto CUCA, ator do Tá Na Rua e um de nossos caravanista em entrevista diz que não há projeto para o Brasil que não passe, necessariamente, pela Cultura e que o CUCA se dedicará também a articular uma rede cultural sólida entre os Pontos de Cultura

Olhar Casa das Artes no Crato


Restauração ganha novo espaço de artes no Cariri

O local vai funcionar como ateliê para exposição e espaço cultural para os artistas da Região do Cariri.

Gabriela restaurou a imagem da padroeira da cidade do Crato Foi inaugurada, no Crato, a Casa de Artes “Olhar” que funciona na Praça da Sé. A iniciativa é da restauradora egípcia, descendente de italianos, Maria Gabriela Federico, mais conhecida por “Gabi”, e por um grupo de artistas da localidade. A Casa funciona como ateliê, exposição e espaço cultural para a apresentação de artistas regionais. As salas foram decoradas com quadros de artistas da Região do Cariri. No quintal da casa, foi construído um palco para apresentações artísticas. Ali funciona, também, um forno para queima de cerâmicas na fabricação de objetos de barro. No mesmo espaço, funciona um bar de apoio aos eventos culturais. Em breve, será implantado um restaurante.

No entanto, o projeto é muito mais amplo. De acordo com Gabi, será instalado um núcleo de turismo com o objetivo de treinar profissionais dessa área. Será a primeira casa do gênero da região. A restauradora está trazendo a proposta de um serviço refinado, exclusivo, focado na restauração e comércio de produtos com valores agregados, sejam financeiros ou sentimentais.

“Geralmente, este trabalho é feito aleatoriamente, sem o conhecimento científico”, destaca o historiador Armando Lopes Rafael, lembrando que Gabi veio para o Cariri, em 2006, por indicação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para restaurar a imagem de Nossa Senhora da Penha, padroeira da cidade do Crato.

Em seguida, restaurou a imagem de São José, padroeiro de Missão Velha. Em Mauriti, também na região do Cariri, a restauradora trabalhou detalhadamente na escultura de Nossa Senhora da Conceição, que fica no altar principal da Igreja Matriz. Um trabalho de restauração que a impressionou, segundo Armando, foi a imagem de Jesus Cristo crucificado na Catedral da Sé, no Crato. Havia quatro pinturas que escondiam uma obra de aproximadamente 200 anos.

Uma peça valiosa cujos traços lembram o trabalho de Aleijadinho — escultor, entalhador e desenhista mineiro Antônio Francisco Lisboa, considerado o maior expoente do estilo barroco nas Minas Gerais e das artes plásticas no Brasil. Enquanto retocava imagens, quadros e outros objetos antigos, a egípcia se apaixonava pelo Cariri que, segundo afirma, é uma terra diferente. “Aqui a gente consegue conviver com a modernidade e o medieval. Os grupos folclóricos, os hábitos e costumes do povo nos remetem à antigüidade” diz a restauradora Gabi.

Outro ponto que chamou a atenção da restauradora foi a arte caririense, a criatividade e o talento dos artistas regionais. Gabi ressalta também que o caririense é reservado, isto é, retraído, discreto, prudente e cauteloso no relacionamento com as outras pessoas.

Maria Gabriela Federico nasceu no Cairo, capital do Egito, mas morou durante muito tempo em Roma, a “cidade eterna”. Depois, Gabi deixou o velho mundo, com mestrado em Restauração de Objetos Antigos, para esculpir o seu próprio universo no Brasil. Terminou escolhendo o Cariri, mais precisamente o Crato, para montar a sua oficina de sonho, criatividade e reconstituição do passado para viver o presente. Atualmente, mora na Praça da Sé, onde um dia o frei Carlos Maria de Ferrara, conterrâneo de seus pais, fundou a cidade do Crato, em 1745, construindo a primeira capela que tem como padroeira Nossa Senhora da Penha, restaurada por Gabi.

Fonte: Diário do Nordeste

Marxismo e Arte Cênica

Marxismo e teatro

Brecht e Walter Benjamin foram os primeiros a teorizar a arte dramática como ferramenta de transformação

10/08/2008

Vanessa Ramos

de São Paulo

Leia Mais:Teatro por vias opostas

A relação entre marxismo e teatro foi estabelecida, de modo mais importante, nos anos de 1920, na Alemanha. O dramaturgo Bertolt Brecht e o filósofo Walter Benjamim foram os primeiros a atrelar suas reflexões e atuações à insatisfação com a ordem social. Brecht, que nesse período já se afirmava marxista, construiu uma relação teórico-prática de enorme relevância para o teatro nessa linha.

No campo teórico, desenvolveu o conceito dr teatro épico, em que demonstrou que esse tipo de teatro se defronta com todos os aspectos da ideologia burguesa presentes na sociedade, ao contrário do dramático. Já na prática, “além de escrever peças inteiramente inspiradas na teoria marxista, como é o caso de A santa Joana dos Matadouros, desenvolveu as peças didáticas, que fazem parte do repertório do teatro de agitprop (agitação e propaganda) alemão”, explica a pesquisadora Iná Camargo.

Transformação

Quanto ao filósofo Walter Benjamin, sua importante contribuição foi a construção do conceito de “autor como produtor”. Inspirado nos experimentos de Brecht, desenvolveu durante um ensaio a idéia de que o artista deve se reconhecer como trabalhador e lutar pela transformação das relações de produção.

Essas relações de produção estão explícitas em nossa sociedade. Observando-se nas cidades, por exemplo, como se revelam as condições brutais da classe trabalhadora. Num contexto social ampliado, ao questionar sobre a possibilidade de relacionar a produção teatral e a cidade, a partir de uma visão marxista, Iná afirma que é possível estabelecer essa relação, porém “é preciso que essa visão seja mais pautada pela luta de classes do que pelo fetichismo da mercadoria”.

Brasil

No Brasil, o marxismo influenciou muitos dramaturgos, no período de 1950, que, sensíveis aos problemas sociais, tornaram-se ícones de uma nova mentalidade no país e, até os dias atuais, instigam profundas reflexões sobre o papel do teatro como instrumento de politização. Entre eles podemos citar Fernando Peixoto, Gianfrancesco Guarnieri, Augusto Boal, Dias Gomes, entre outros.

Fonte: Brasil de Fato






Artista arquivista!

Tarde de sexta-feira … à gosto da arte!

Ótima pedida pra um fim de tarde típico caririense … matar o calor com boa conversa e ar-refrigerado.

Ia rolar um encontro com uma artista visual/não fotógrafa.

O que seria isso?

Rosângela Rennó … esse era o nome… e a idéia era conhecer a artista e seu processo criativo … conversas.

Poesia em tudo … ou pelo menos a procura dela nas coisas.

A cada trabalho apresentado a constatação de uma obsessão pelo arquivismo.
Tudo é passível do arquivismo … fotos, caixas, memórias.

Habilidade contruída na vida mineira dela.

A “artista” foi se desconstruindo aos poucos, depois do esforço em “explicar” o seu fazer artístico.

Isso meio fênix … desconstruir para reconstruir … morrer para REnascer.

Outros encontros aconteceram … ateliê do Mestre Expedito Seleiro … Fundação Casa Grande … Convite recusado para um almoço no Pontal de Santana. O trabalho não me permitiu.

Jantar no hotel … e leitura de portfólio … identificação. Sugestões são bem vindas quando bem fundamentadas … o olhar do outro(a) descortina. Saio melhor do que entrei. Com um olhar novo sobre o meu trabalho e isso me instiga a produzir.

Como traduzir esses encontros?

Penso que poderia ser como uma das obras de Rosângela que mais gostei.

“Experiência de cinema”