Arquivos da categoria: Vitória Turin


Finalmente saiu o anúncio. Agora, oficialmente, a periferia de Juazeiro do Norte será palco do curso que lança olhares antropológicos e sociológicos sobre a arte e cultura universal.
Ocorrerá em abril, na segunda (5), às 16hrs, na Colina do Horto. Tem a duração de 90 min. e será ministrado pela jornalista e escritora Vitória Régia. Gratuito. Vagas limitadas. Direito à certificado.
Maiores informações através do (88) 8823-3327.

I MOSTRA DE MÚSICA INSTRUMENTAL BRASILEIRA DE CAMPOS SALES


I MOSTRA DE MÚSICA INSTRUMENTAL BRASILEIRA DE CAMPOS SALES

EVENTO: Prêmio ARETÉ – Eventos em Rede : I MOSTRA DE MÚSICA INSTRUMENTAL BRASILEIRA DE CAMPOS SALES – CE

REALIZAÇÃO : Associação Comunitária do Guarani e Ponto de Cultura Cantos de Griôs

PÚBLICO ALVO : Crianças e adolescentes na faixa etária de 10 a 18 anos com habilidades para música( Oficinas e Apresentações Culturais ) e público em geral para assistir os shows culturais.

LOCAL : Campos Sales – Ceará

OBJETIVO: Fortalecer e democratizar o acesso à música instrumental brasileira na cidade de Campos Sales-CE , despertando no público a sensibilidade , o gosto e a valorização por este gênero musical, favorecendo também a formação de platéias.

ATIVIDADES: Oficinas, Palestras e Shows Musicais do Erudito ao Popular. Participação e entrada gratuitas.

PATROCINIO: Secretaria de Cidadania Cultural /MinC

APOIO:
Governo do Estado Ceará – Secretaria de Cultura
Fundo Cristão para Crianças
Centro Cultural BNB – Cariri
Secretaria de Cultura de Campos Sales
Rádio Três Fronteiras AM
Radio Cidade de Campos Sales

PROGRAMAÇÃO:
Dia 04/02/2010 ( Quinta – feira )
MANHÃ:
7:30 min. – Acolhida
8:00 às 11:00h – Oficina de Sopros/ Flautas e Teoria Musical
Local : Sede da Associação Comunitária do Guarani

TARDE:

13:00 às 16:00
Entre Pontos: Intercâmbio Pontos de Cultura do Cariri

14:00 às 16:00h — Oficina de Sopros/Flautas e Teoria Musical
Local : Sede da Associação Comunitária do Guarani

16:00 às 17:00h – Bate Papo Musical
Local: Sede da Associação Comunitária do Guarani

NOITE :

19:00 às 21:00h – Abertura Oficial da Mostra e Apresentações Culturais

– Orquestra de Flautistas Guarani / Campos Sales – CE
– Grupo Solibel Emsemble / Crato-CE
– Local: Auditório do INSS

Dia 05/02/2010 ( Sexta – feira )

MANHÃ :

8:00 às 11:00h – Oficina de Sopros/Flautas e Teoria Musical
Local : Sede da Associação Comunitária do Guarani

TARDE:

14:00 às 16:00h -Oficina de Sopros/Flautas e Teoria Musical

16:00 às 17:00h – Bate Papo Musical
Local: Sede da Associação Comunitária do Guarani

NOITE : 19 às 21:00h – Apresentações Culturais

-Orquestra Armorial do Cariri / Juazeiro do Norte-CE
-Orquestra de Câmera do Conselho de Pais de Campos Sales
Local: Anfiteatro do Conselho de Pais de Campos Sales

Repentistas de JN se apóiam no reconhecimento para fundar associação

Vitória Régia Turin; publicado no Jornal do Cariri

A lei nº 12.198, aprovada recentemente, reconhece a atividade de repentista como profissão artística, que passa a integrar o quadro de atividades da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. Nesse grupo, estão inseridos 7 exercícios relacionados ao repente. São cantadores e violeiros improvisadores, os emboladores, cantadores de coco, os poetas repentistas, contadores de causos da cultura popular e escritores da literatura de cordel.
Pela Associação dos Cordelistas de Crato, falou Maria do Rosário, detentora da cadeira 8, que o dia 14 de janeiro, data em que a lei foi sancionada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, é considerado um dia histórico para a classe. “Antes as pessoas que se dedicavam inteiramente aos versos eram vistos como vagabundos. Agora são profissionais, regulamentados como em qualquer outra profissão”, diz a cordelista.
Outra conquista está na oportunidade em prosseguir com o reconhecimento e formar a associação e academia de Juazeiro do Norte, que segundo ela, já em pauta há algum tempo. “Aqui tem muitos cantadores anônimos e isso foi um incentivo para aumentar nossa dedicação e a força da divulgação de nosso trabalho”. Embora o fato de que o número de cordelistas seja maior em Juazeiro, se equiparado às cidades do Cariri, somente Crato e Assaré possuem academias e associações.

Números que, de acordo com a obra Lyra Popular, assinada pelo jornalista Gilmar de Carvalho, são configurados pela existência da Tipografia São Francisco, rebatizada de Lira Nordestina, que chegou a imprimir diariamente cerca de 12 mil folhetos. Outra fomentação foi provocada pelo jornal O Rebate, que tinha uma seção exclusiva para a publicação de versos. Essa cultura também esteve atrelada ao turismo religioso de Juazeiro. Foi através dos cantadores que a história do milagre do Padre Cícero foi disseminada. Assim, há uma ligação direta entre as primeiras romarias e a cultura popular, o que torna mais necessária a conquista da associação e academia para a cidade.

Conheça a trajetória

Esquecendo um pouco a regulamentação, pense nos castelos da Europa Medieval. Neles, os reis assistiam à histórias contadas por menestréis sobre doces princesas, reis malvados e guerreiros valentes. No nordeste brasileiro, os fazendeiros e senhores de engenho eram os reis, os menestréis os repentistas, as princesas eram as sinhás e os guerreiros, claro, os vaqueiros. Outra face, pouco mais recente, dessa cultura, é o jornalismo. Importantes acontecimentos do Cariri eram divulgados por contadores e folhetos, até que eles perderam força para o jornal.
Conforme o pesquisador Diégues Júnior, o nordeste foi território fértil devido às suas condições sociais e culturais únicas, como manifestações messiânicas, e desequilíbrios socioeconômicos. Diégues reconhece, ainda, a importância do vigor dessa lei por que é há um trabalho e esforço intenso nesse gênero artístico que exige métricas, rimas e ritmos bem definidos.

Deus abrirá uma porta

Por Vitória Turin

Nesta quarta-feira (13/01) foi exibida uma reportagem sobre Zilda Arns na CBN. A repórter era Mirian Leitão, que carrega uma das maiores bagagens do país em jornalismo, atuando, sobretudo no âmbito da economia.
E Mirian chorou em plena transmissão ao vivo. Não se trata de uma lágrima deslizando sozinha pelo rosto, ou muito menos uma voz titubeante. Foi choro mesmo. Daqueles que contam com olhos vermelhos, soluços, silêncio, cabeça baixa, desconsolo.
Do outro lado da TV, aposto que o espectador também não se conteve, por que não dava. Foi um instante tão humano em detrimento de uma profissão tão autômata. Daí, cortaram o externo e voltaram aos estúdios. O motivo é que emoções misturadas com parcialidade são um dos erros mais graves do jornalismo, uma pena.
A grande questão é que a solidariedade, ato tão tímido neste mundo de hoje, perdeu sua grande dama. Vai demorar a encontrar alguém com disposição parecida.
***
Por fim, deixo para reflexão duas frases comumente usadas pela irmã: “Se os homens fecham as janelas, Deus abre uma porta”.

“A sociedade tem de ser como uma família: se um filho sofre, a família inteira sofre.U m país e mesmo o mundo todo também devem ter o sentimento de que o bem-estar precisa ser globalizado”