Arquivos mensais: agosto 2018

Fotógrafo Luiz Santos participará da Mostra do Brincar

O artista pernambucano, Luiz Santos  participará da Mostra do Brincar, que começa nesta quarta-feira, 22, e prossegue até  domingo, na comunidade do Gesso, no Crato.

Artista visual, educador, fotógrafo,   editor e inventor, Luiz  desenvolver diversos trabalhos pelos Brasil envolvendo  educação e arte. Com um vasto currículo, o artista  já teve suas obras expostas em diversas capitais do país  e na China.

O artista fará uma espécie de brincadeira usando a técnica de fotografia de Lambe-Lambe e deverá também lançar o seu livro de fotografia “Casou no Papel”.

A vinda do Luiz é uma articulação do professor de História da Universidade  Regional do Cariri – URCA, o  alemão , Titus Riedl, que vem desenvolvendo pesquisas sobre jogos de tabuleiro  dos povos africanos,  vikings e de outros lugares do mundo. O professor Titus também participará com os seus alunos pesquisadores da Mostra.

Trocaria no Gesso:  um desafio que tem história

Por Alexandre Lucas*

Resgatar a história possibilita compreender percursos e desafios. É pertinente evidenciar a historicidade da Trocaria como uma das principais ações do Coletivo Camaradas, na Comunidade do Gesso, no Crato, CE, que remete ao processo de desenvolvimento e organização comunitária.

A primeira vez que o Coletivo teve contato com a expressão “Trocaria” foi em Brasília, durante o “Teia”, Encontro Nacional dos Pontos de Cultura, em 2008, numa ação do Programa de Interferência Ambiental – PIA, que funcionou como uma espécie de Coletivo/rede de artes visuais, ligado ao Circuito/Centro Universitário de Cultura e Arte – CUCA, da União Nacional dos Estudantes – UNE.  A atividade era bem simples: consistia numa banca com os mais diversos produtos, de livros a bugigangas, que eram trocados, e as trocas eram registradas num livro de ata.

Foi a partir desta experiência com o PIA/CUCA, da UNE, que surgiu em 2013, a ideia de realizar a Trocaria na Comunidade do Gesso.

A ideia apareceu como uma estratégia política de pensar formas de organização, mobilização e desenvolvimento territorial.

O troca-troca, como foi apelidado inicialmente pelos moradores, tinha como propósito fazer com que eles  próprios, no decorrer do tempo, assumissem a ação para si e fossem os protagonistas, e o Coletivo deixasse de ser o ator principal na ação. Diversas iniciativas foram feitas no sentido de dialogar e articular com os moradores.   Como o Coletivo não tinha sede na época, as reuniões eram realizadas na ONG Projeto Nova Vida. Percebendo a baixa participação dos moradores, foi repensada as reuniões para o espaço onde era realizada a Trocaria, Largo do Gesso, no entanto, a frequência deles continuou baixa. Ainda foi insistido em “reuniões de calçada”, aquela calçada que tinha mais pessoas era a escolhida, mas também não obtivemos êxito. Houve uma série de insistências para que os moradores se envolvessem nesta construção. Paralelamente a esses desafios, a Trocaria vai tomando forma e ganhando uma dimensão simbólica significativa para o Coletivo Camaradas e a comunidade.

A Trocaria já nasceu como algo para além de ser um momento de trocas apenas, outras atividades foram sendo agregadas a ação, como ações lúdicas, apresentações artísticas, serviços, distribuição de mudas e reivindicação de melhorias para a comunidade.

Essa visibilidade ocorreu por conta do trabalho de envolvimento de diversos   sujeitos sociais e de instituições governamentais, como é o caso de secretarias municipais, universidades públicas e particulares, além de coletivos, artistas e intelectuais. Outro fator foi a construção de uma narrativa que evidenciasse o lugar a partir de suas peculiaridades e potências criativas. O uso das redes sociais e a produção de materiais para imprensa serviram para evidenciar esse processo de articulação comunitária.

Foi a partir destas primeiras tentativas, equívocos e acertos que começamos a refletir sobre algumas questões, como o processo de ocupações do território e sua estratificação social, as narrativas externas e internas do lugar, a construção de novas narrativas a partir do processo de “desinvisibilização”  territorial e apresentação da sua potência criativa, criação da rede do  Território Criativo do Gesso, a  Roda de Poesia e a intervenção urbana  Poste Poesia também nasceram como ações que tiveram início na Trocaria.

A Trocaria, enquanto feira, era apenas um espaço de trocas e isso nos fez repensar algumas coisas, dentre elas a falta de participação dos moradores como pessoas organizadoras da ação e a pouca procura pelas trocas, mesmo tendo uma periodicidade mensal da ação.

Passamos por um intervalo de cerca de um ano para refletir sobre a nossa prática e amadurecer novas possibilidades para Trocaria. Em 2017, começamos a pensar a Trocaria, a partir de uma feira de sustentabilidade. A expressão sustentabilidade, nesse contexto, significa a garantia da geração de renda para a manutenção das ações do Coletivo, dos seus integrantes e dos moradores da comunidade do Gesso.

Começamos a usar denominação de “Trocaria – Feira de Sustentabilidade” e se alinhar a perspectiva de Economia Solidária e a Economia Criativa, sem perder de vista, o viés político que deu origem a criação da Trocaria, ou seja, estratégia política de pensar formas de organização, mobilização e desenvolvimento territorial. Desde o início em 2013, buscamos o apoio metodológico e teórico das universidades para tentar acertar.

Ainda temos muito que aprender com dinâmica da realidade concreta, as narrativas e as subjetividades humanas para pensar os processos de organização comunitária. Certamente não será uma receita acadêmica ou uma carta de boas intenções que proporcionarão   as mudanças dos lugares, mesmo sendo imprescindível o arcabouço teórico e as melhores intencionalidades, por isso, é indispensável conhecer as histórias, as peculiaridades de cada lugar e suas formas de organização. Esse, talvez, seja o tempero que possa unir o saber elaborado com a prática social dos indivíduos para gerar novas formas de pensar e de se organizar com o povo.

Uma coisa é certa: Chico e Maria daqui sabem o que é mungunzá! Sabem fazer, sabem comer e sabem vender e esse talvez seja o seu melhor caviar.

*Pedagogo e integrante do Coletivo Camaradas

 

Projeto Soldadinho-do-aripe estará presente na Comunidade do Gesso

A AQUASIS através do Projeto Soldadinho-do-araripe estará nos dias 22 a  24 de agosto, a partir das 15hm  na I Mostra do Brincar, na comunidade do Gesso, no Crato. A intenção é  interagir com o público por meio de brincadeiras e ao mesmo tempo levar  informações sobre o soldadinho-do-araripe e a conservação da natureza.

A AQUASIS realizará  atividades lúdicas e interativas de  pinturas com às crianças, jogo interativo de tabuleiro, fantoche do soldadinho-do-araripe e muita descontração com um mímico, na perspectiva de fortalecer esse momento de construção coletiva.

A entidade desenvolve um importante trabalho de preservação e difusão do pássaro que é unicamente encontrado  na região do Cariri,  que é o Soldadinho-do-araripe.

SAAEC apoia e participa da I Mostra do Brincar na comunidade do Gesso

Atividades do Núcleo de Educação Hidroambiental serão desenvolvidas durante a mostra

A SAAEC estará presente na I Mostra do Brincar, que acontecerá na comunidade do Gessos entre os dias 22 e 26 de agosto. A mostra reúne importantes instituições do Cariri e tem como objetivo incentivar a brincadeira como forma de desenvolvimento social e intelectual das crianças através de oficinas, maratonas de brincadeiras coordenadas pelas crianças, apresentações de grupos artísticos, feira de sustentabilidade, exibições de filmes, rodas de poesias, intervenções urbanas e o passeio ciclístico.

Oficina de produção de bombas de sementes, roleta de perguntas e respostas e mesa de pinturas serão atividades desenvolvidas pela SAAEC nos três primeiros dias da mostra. As ações fazem parte do Programa de Educação Hidroambiental da empresa, que tem como objetivo educar e despertar a consciência ecológica de crianças e adolescentes. A empresa tem em seus princípios básicos a consciência da preservação ambiental como forma de garantia dos recursos naturais, dentre estes a água, para as gerações atual e futuras.

Bombas de sementes são pequenas bolas feitas de barro e esterco contendo sementes nativas em seu interior, que estão sendo utilizadas para o reflorestamento da Chapada do Araripe.  A roleta de perguntas e respostas trabalha o consumo consciente da água através de questões que fazem parte do cotidiano da criançada. Os pequeninos que ainda não têm idade para participar da oficina e do jogo da roleta podem sentar numa mesinha e pintar um desenho, cujo tema também é o uso racional da água com imagens de crianças desligando a torneira e chuveiro, dentre outras que remetem ao não desperdício da água.

Escolas participarão  da Mostra do Brincar  

Estudantes das Escolas 18 de Maio e  Dom Quintino estão se mobilizando para participar da Mostra do Brincar, que será realizada no período de 22 a 26 de agosto, na Comunidade do Gesso, no Crato.

Serão realizadas oficinas nestas escolas durante o evento. Os estudantes também participarão da Maratona de Brincadeiras, passeio ciclístico,  apresentações artísticas e organizarão de atividades lúdicas.

A ideia a Mostra é envolver as crianças e adolescentes num processo de organização comunitária a partir da ludicidade e de acordo com os organizadores, as escolas podem contribuir com esse incentivo ao protagonismo.

O Coletivo Camaradas está realizando reuniões com professores e estudantes para  estimular a participação da comunidade escolar.

Psicóloga  escutará histórias de amor na Mostra do Brincar

 

Criatividade e afetividade é que não vai faltar na Mostra do Brincar que será realizada no período de 22 a 26 de agosto, na Comunidade do Gesso, no Crato. Umas das novidades é a intervenção da psicóloga Carla Cavalcante que escutará histórias de amor. A intervenção acontecerá  durante a noite do dia 23.

O trabalho é baseado na arte de rua  desenvolvido pela artista visual Ana Teixeira. Um banner com a frase  “Escuto Histórias de Amor” convida o público  para sentar com a Carla e contar as suas histórias amorosas.  Segundo a psicóloga Carla Cavalcante que já vem desenvolvendo a ação em diversos espaços da região do cariri,  a ação  busca dar ouvidos e acolhimento aos “desconhecidos” sem julgamento e porquês.

Carla começou a pesquisar em 2016 sobre a história da Ana Teixeira e entre os diversos trabalhos da artista, Ela enfatiza que esse foi o que mais a tocou. “Sento-me em um banco em vias públicas e deixo um espaço ao meu lado.  Um banner que diz Escuto Histórias de Amor convida os passantes a sentarem-se ao meu lado e falar. Nenhum registro de teor das narrativas é feito, interesso-me apenas na escuta”, destaca a psicóloga.

A Mostra do Brincar é  espaço aberto para intervenções, interações e trocar de saberes e afetos e visa fomentar a ludicidade e discuti a ocupação criativa da cidade.

Projeto Nova Vida participa da Mostra do Brincar no Gesso

A ONG Projeto Nova Vida,  criada  em 1992,  com a  finalidade de desenvolver ações voltadas para a formação e educação para a cidadania de crianças, adolescentes, jovens e suas respectivas famílias residentes na comunidade do Gesso e seu entorno participará da I Mostra do Brincar que será realizada no período  de 22 a 26 de agosto, na localidade.

O grupo de dança da ONG se apresentará na abertura do evento, dia 22, às 20h, no largo do Gesso. O grupo tem a frente a coreografa Edilânia Rodrigues e já se apresentou algumas em países da Europa. Além da dança, a organização também fará apresentações nos dias posteriores de dois grupos de  música, um deles sendo de tambores e o outro de  instrumentos de corda.

Atualmente o Projeto Nova Vida atende   mais de 300 crianças e adolescentes com faixa etária de 02 a 20 anos que participam da educação infantil, artesanato, dança, música, capoeira, meio ambiente e  percussão de  tambores,  conta também   com as ações na parte de formação e capacitação profissional voltadas para as famílias e demais pessoas da comunidade.

A Mostra do Brincar conta com a parceria de diversas organizações, como escolas, universidades, coletivos, ongs e grupos artísticos e visa fomentar as brincadeiras populares e discutir a ocupação criativa da cidade.

Museu e Escola de Artes realizará atividades na Mostra do Brincar no Gesso

Umas das organizações que também participará da Mostra do Brincar que será realizada no período de 22 a 26 de agosto, na Comunidade do Gesso,    é o Museu e Escola de Artes que também tem atuação na localidade e vem desenvolvendo um trabalho de regaste da história do lugar.  A organização é coordenada   pelos professores Andson Andrade e Suelanho Alencar que residem na comunidade.

O Museu e Escolas de Artes já vem desenvolvendo alguns trabalhos em parceria com o Coletivo Camaradas e na Mostra do Brincar realizará oficina de pintura em peças de gesso, alguns desses trabalhos são vistos nas paredes da comunidade.

A oficina acontecerá no dia 25, às 8h00, na tenda da URCA que será instalada no Largo do Gesso.

Brincadeira de Pião será revitalizada na comunidade do Gesso

Israel Araújo – coordenador da brincadeira de Pião na Mostra do Brincar

A Mostra do Brincar resgatará várias brincadeiras populares no período de 22 a 26 de agosto, na Comunidade do Gesso, no Crato.

Uma das brincadeiras que deverá reunir crianças e adultos será jogar pião. O pião é uma das brincadeiras de crianças mais antigas, pois já existia desde o ano 4.000 a.C., período em que foram encontrados alguns exemplares feitos com argila, nas margens do rio Eufrates.

Israel Araújo, morador da comunidade do Gesso, coordenará a ação durante a Mostra. Ele relembra que quando criança, uma das brincadeiras que ele mais gostava era brincar de pião com os primos. Hoje, aos 28 anos, destaca que esse evento é importante para incentivar o brincar e frisa que muitas crianças não sabem jogar o brinquedo e que essa é uma oportunidade para aprender.

A Mostra do Brincar idealizada pelo Coletivo Camaradas trará outras brincadeiras populares como: jogos de tabuleiro, peteca, corda, trancelim, bila, dentre outras.

Geopark Araripe realizará ações na Mostra do Brincar no Gesso

Ações lúdicas serão realizadas pela equipe do Geopark Araripe na Mostra do Brincar, que acontecerá no período de 22 a 26 de agosto, na Comunidade do Gesso, no Crato.

A Mostra idealizada pelo Coletivo Camaradas tem o objetivo de vivenciar brincadeiras e jogos populares e refletir sobre a ocupação criativa e lúdica da cidade.

O Geopark Araripe estará na Comunidade do Gesso entre os dias 22 a 24, participando da maratona de brincadeiras, a partir das 15h. Serão ofertadas oficinas de bonecas, réplicas de fósseis, pintura de rosto, stencil, artesanato em garrafas e trabalho de limpeza facial com argila. Algumas oficinas terão uma quantidade limitada de participantes.

A Mostra pretende atrair crianças e adultos da várias cidades da região do Cariri durante os cinco dias do evento. Ação contará ainda com apresentações artísticas e rodas de poesias, intervenções urbanas, Mostra Lula Gonzaga de Cinema de Animação, brincadeiras e jogos coordenados pelas crianças e feira de sustentabilidade – Trocaria.