Arquivos mensais: abril 2016

Camaradas fazem exposição para brincar no CCBNB

foto da exposição

O Centro Cultural do Banco do Nordeste em Juazeiro do Norte (CE) realizará exposição do Coletivo Camaradas, a partir do dia 03 maio. A exposição que tem como título “Hoje tem Coletivo” provoca a participação do público como é comum nos trabalhos desenvolvidos pelo grupo que defende “uma arte com e para o povo”.

A exposição reflete sobre o trabalho desenvolvido pelo Camaradas na Comunidade do Gesso, na cidade do Crato, tendo como destaque os Pontos de Leituras nas bodegas, a brinquedoteca popular e as intervenções urbanas, como é o caso do Poste Poesia que já ganha uma dimensão nacional.  A exposição reunirá trabalhos dos artistas Ricardo Alves, Marcia Passos, Thiago Gabriel, Cristiano Ramos, Rodolfo Ramiller, Jordlyane Almeida, Samuel Gomes, Aldênio Fernandes, Fidel Morais Lucas, Diego Moreira, Felype Carvalho, Ivanilson Mumu, Ivan Brigido e Alexandre Lucas.

Além da exposição de fotos, desenhos e projeção de vídeos. O público será co-autor da exposição e a galeria será transformada num espaço de interação, que contará com brinquedos, materiais de desenho, pintura e livros. Durante os dois meses de exposição acontecerá na galeria oficinas,  contação de história e rodas de conversa. Outra inovação é que a exposição será adaptada para altura das crianças.

O processo de montagem e abertura da exposição contará com a participação das crianças da comunidade do Gesso que fazem parte do Coletivo Camaradas.

Crato realizará Mostra Nacional de Vídeos sobre Intervenções e Performances

12992785_10207751971909342_163134398_n

O Coletivo Camaradas realizará no período de 12 a 16 de abril, a 4ª edição da Mostra Nacional de Vídeos Sobre Intervenções e Performances – Mostra IP no Crato.  Idealizada pelo Camaradas, a Mostra IP na sua 4ª edição será realizada em 16 estados e atingirá 29 cidades, totalizando na realização de 32 mostras. A Mostra reúne mais de 100 coletivos e artistas do país e recebeu mais de 200 inscrições das diversas regiões brasileiras e três inscrições internacionais. A ação acontece de forma colaborativa e em 2015 foi criada a Rede Nacional de Intervenções e Performances – Rede IP que possibilita o diálogo e a parceria entre os grupos durante todo o ano.

Além da exibição dos vídeos a Mostra IP conta com momentos de formação. No Crato, nesta terça-feira, dia 12, a partir das 13h30, na sede do Coletivo Camaradas na Comunidade do Gesso acontecerá oficina de Stencil mediada pelo geografo e artivista, Ricardo Alves e às 17h00, no Campinho da Comunidade terá  Roda de Conversa sobre o tema “Entre a tradição e a tradução – Processos de organização da arte no Cariri” que deverá reunir diversos coletivos da região. Na quarta-feira, as 13h30, na sede do Projeto Nova Vida, terá oficina de Performance mediada pelo artista/educador e performer Alexandre Lucas e contará com  performance de Jordlyane Almeida. Nos dias 14 e 15, das 16h às 18h, no Teatro do Sesc terão as exibições dos vídeos que deverá contar com  a presença de estudantes de escolas públicas do Crato. No sábado, dia 16, às 8h, no Sesc terá a oficina Poesia Instalação mediada pelo poeta visual Paulo Soares e  na Comunidade do Gesso terá a intervenção do Poste Poesia.

As inscrições para as oficinas serão realizada online e poderão ser efetuadas na página do Coletivo Camaradas.

Programação

DIA 12 DE ABRIL – TERÇA-FEIRA

13h30 – Local:  Sede do Coletivo Camaradas

Oficina de Stencil com Ricardo Alves – Inscrição: http://goo.gl/forms/DJHkWS2Nma

17h00 – Campinho do Gesso

Roda de Conversa “Entre a tradição e a tradução – Processos de organização da arte no Cariri”

DIA 13 DE ABRIL – QUARTA-FEIRA

13h30 – Local: Sede do Projeto Nova Vida

Oficina de Performance com Alexandre Lucas – Inscrição: http://goo.gl/forms/YXt8ajHVds

17h00 – Local: Campinho do Gesso

Perfomance Crespo com Jordlyane Almeida

DIAS 14 E 15 – QUINTA E SEXTA-FEIRA

16h00 às 18h00 – Local: SESC Crato

Exibição dos vídeos

DIA 16 – SÁBADO

8h00 – Local Sesc Crato

Oficina Poesia Instalação com Paulo Soares  – Inscrição: http://goo.gl/forms/LASR8dXhK3

8h00 – Local: Sede do Coletivo Camaradas

Intervenção Poste Poesia

MOSTRA DE VÍDEOS SOBRE INTERVENÇÕES E PERFORMANCES SERÁ REALIZADA EM 15 ESTADOS

12938135_1711887035729073_232072646623962465_n

A quarta edição da Mostra Nacional de Vídeo sobre Intervenções e Performances – Mostra IP esse ano será realizada em 27 cidades brasileiras de 15 estados, totalizando 30 Mostras. A Mostra será realizada no período de 10 a 22 de abril. Foram inscritos 212 vídeos de 56 cidades brasileiras de 19 estados e 3 inscrições estrangeiras, do México, USA e Inglaterra. Deste total foram selecionados 115 trabalhos.
A Mostra IP é uma realização do Coletivo Camaradas e conta com a co-realização da Rede IP (BR), Rede ColetivoS (CE), Grupo Totem (PE), Companhia Ortaert (CE), Coletivo Psicodélico (AP), Careta Coletivo (AL), La Plataformance – Estação de Trabalho (SP), Centro Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes – CUCA da UNE ( BR) e o Laboratório de Estudos, Vivencias e Experimentos em Arte Contemporânea – LEVE Arte Contemporânea (CE).
A Mostra é uma ação colaborativa que reúne mais de mais de 100 coletivos do país que atuam no campo da intervenção urbana e da performance. Em cada cidade a Mostra tem formatos diferentes, além da exibição dos vídeos acontecerá rodas de conversas, experimentações artísticas, oficinas, vivências e intercâmbios.
Criada em 2012 pelo Coletivo Camaradas na cidade do Crato, na região do Cariri, no Estado do Ceará, a Mostra IP vem se consolidando como importante ação no cenário nacional por democratizar o registro dos trabalhos em performance e intervenções urbanas e possibilitar contatos entre as artísticas e coletivo de diversas regiões brasileiras.
Estados e cidades que realizarão a Mostra IP
Mato Grosso do Sul: Dourados (Inscrita duas vezes) e Campo Grande.
Sergipe: Aracaju.
Pernambuco: Petrolina.
Santa Catarina: Itajaí, Florianópolis, Criciúma
Bahia: Juazeiro, Jequié.
Minas Gerais: Uberlândia
Ceará: Farias Brito, Iguatu, Fortaleza, Guaraciaba do Norte, Fortim e Crato.
São Paulo: Catanduva, São Paulo (Inscrita duas vezes) e Porto Feliz.
Rio de Janeiro: Rio de Janeiro
Maranhão: São Luiz (Inscrita duas vezes)
Alagoas: Maceió.
Paraíba: João Pessoa.
Rio Grande do Norte: Natal
Amapá: Santana, Macapá.
Goiás: Goiânia.

Serviço:
Coletivo Camaradas
www.camaradas.og
www.mostraip.camaradas.org
E-mail: [email protected]
Whatsapp (88) 996616516

Cuidar do Camaradas exige entendimento

 

cordel2Por Alexandre Lucas*

Uma criança ao nascer precisa de cuidados e quem cuida precisa compreender como cuidar e por que cuidar. Na ausência desta compreensão é possível colocar em risco a vida da própria criança.  Nos movimentos sociais e nas diversas formas de organização social a relação entre a concepção e o fazer são questões que tendem a seguir a mesma unidade como elementos de um mesmo organismo vivo.

É preciso pensar nas formas organizativas a partir das diretrizes políticas que norteiam a particularidade de cada organização.  Se fosse remeter novamente a analogia da criança podia apontar que a forma de cuidar da criança de um determinado lugar seria remetida inevitavelmente a cultura do lugar aonde a criança está inserida.

É necessário um cuidado político e pedagógico que possa dar a forma organizativa capaz construir na diversidade de ações uma unidade. Isso parte do pressuposto da necessidade de uma centralidade política alinhada com as formas de expansão da organização.

As bases e ações da organização devem se constituir como elos de comunicação e da  construção de unidade e de crescimento quantitativo e qualitativo.

Essa compreensão, não descarta, a existência de divergências de ideias, o que é impossível. Entretanto, criar uma cultura organizativa para não perder de vista a bússola política.

No Coletivo Camaradas esse entendimento deve costurar a pratica comum dos seus militantes e concomitantemente se deve apropriasse da assimilação  que o Camaradas é  uma organização política de esquerda que tem como viés de entendimento teórico o materialismo histórico-dialético, ou seja, o marxismo e que atua no campo da reflexão, produção e circulação estética-artística com e para as camadas populares, na defesa de políticas públicas e na democratização do saber, bem como em processos de articulação política juntos aos movimentos sociais.

Apesar de não ser um coletivo de artistas, o Camaradas atua predominantemente no campo estético-artístico-político, tendo em vista, que foram os elementos que possibilitaram o seu surgimento.

Compreender que essa engrenagem só pode funcionar e ser consertada a partir de uma concepção definida e de um formato organizativo alinhado a uma centralidade política é essencial para seu o fortalecimento e coesão.

Caso esses entendimentos sejam negligenciados, da mesma forma como a criança do início do texto que corre risco de vida quando não se compreende como cuidar e por que cuidar. O Coletivo Camaradas não é diferente, ele pode se degenerar, se apartar e morrer.

Portanto, cuidar do Camaradas exige de cada militante entendimento sobre o que somos e aonde queremos chegar. Cuidemos.

*Pedagogo, artista/educador e coordenador do Coletivo Camaradas.