Arquivos mensais: setembro 2012

Geléia com Pimenta


A princípio,   a notícia pareceu de todo inverossímil. Chegara na praça , de repente, como uma bomba destas que explodem subitamente, em Noite de São João, sem a necessidade de se lhe atearem fogo no estopim. E a praça é a difusora de notícias em cidade do interior. As rodinhas de aposentados, desocupados ali estão ávidas por novidades, sôfregas por um pouco de adrenalina, afinal a desgraça alheia sempre cai nas almas como um lenitivo, um ungüento  para as nossas miudezas e frustrações de todos os dias. Da boca para fora, todos lamentam as catástrofes do vizinho, mas no fundo do coração bate sempre aquele consolo : “Tá vendo? E eu aqui reclamando da vida!”  O câncer, a morte, a falência, a droga aparecem sempre como uma calamidade terrível quando batem , por acaso, na nossa porta; ao adentrarem, no entanto pela janela do vizinho, após o choque inevitável, sempre nos toca aquele conforto do “antes lá do que cá”, do “ainda bem que não foi aqui”.
                                               — Júlio e Risoleta se separaram !
                                               A notícia que tomou de assalto a praça, naquela manhã, a rigor, não poderia se considerar um furo de  reportagem. Separações de há muito tinham abandonado a prateleira das novidades. Os casais se ajuntam não mais condenados às galés perpétuas, mas cientes da temporariedade dos sentimentos e do dinamismo da vida. Juram não mais “até que a morte nos separe”, mas “até que a vida nos aparte”. O que havia, pois , de inacreditável no caso de Júlio e Risoleta ? É que, amigos, há poucos anos tinham comemorado as Bodas de Prata e sempre perfizeram aquele casal perfeito,  só existente nos romances mais açucarados. Risoleta tinha um pequeno comércio na cidade, no ramo de confecções íntimas e Júlio aposentara-se como bancário  de um tempo em que esta ainda era um profissão de algum status e de remuneração digna.  Tinham dois filhos já formados e casados e que viviam fora, cada um tangendo a vida sem muitos atropelos. O casal sempre fora um modelo de ajuste familiar e, inclusive, era o exemplo sempre citado nas brigas dos outros casais da redondeza : “Você devia ser como Júlio!” “Veja a Risoleta, porque você não se mira no exemplo dela, sua engraçadinha?”
                                               Comentava-se à sorrelfa que a estabilidade do casal devia-se, principalmente, à paciência quase que monástica do nosso Júlio. Calmo, tranqüilo, pacificador, nunca se soube de qualquer atitude sua que ferisse os rígidos preceitos da Glória Kalil. Kardecista de carteirinha,  carregava consigo uma visão muito tolerante e espiritualizada da existência e dos caminhos e veredas dos homens na sua viagem terrestre. A convivência com os filhos, amigos e colegas de trabalho  sempre se mostrara de uma amabilidade a toda prova. Adorava a esposa e a tratava como uma rainha e esta atitude não mudou em nada com o passar dos anos e a chegada das cãs, das estrias e dos pés-de-galinha. Quanto à Risoleta , não se podia dizer o mesmo no trato diário com as outras pessoas. Diziam os mais próximos ser meio volta-seca, meio espoletada. No que tange, no entanto, ao trato familiar, não se lhe sabia de máculas, principalmente na relação direta com o marido ideal que, convenhamos, não podia ser de outra maneira. Por isso mesmo,  a estranheza da notícia que se acentuou mais ainda quando se soube ter partido de Risoleta a decisão irrevogável. Separar-se daquele príncipe ? Que  loucura deu na cabeça daquela doida?
                                               Passaram-se os dias e a novidade confirmou-se. Risoleta saiu de casa e alugou um pequena quitinete em um bairro mais afastado. Júlio permaneceu em casa meio recluso, com suas lembranças . Os dois negavam-se a comentar as miudezas da lavagem de roupa suja com os amigos. Não estava mais dando certo ! Esta era a única frase com que tentavam concluir o fim do relacionamento de  trinta anos. Pagou a pena máxima, Júlio! Havia comentado um amigo mais chegado.
                                               Uns dois meses depois, por fim, a verdade brotou,  na Audiência de Conciliação. O casal viu-se diante do juiz que , os conhecendo de muitos e muitos anos, imaginou , quem sabe, haveria possibilidade ampla de reatamento. Poderia ter sido apenas um pequeno arrufo num casal perfeito que não tinha nenhum traquejo em arranca-rabo e , o primeiro, depois de muitos e muitos anos, poderia ter sido o estouro da barragem, a explosão de alguns poucos ressentimento que puderam ir se acumulando no dia a dia e , represados,  terminaram naquele tsunami. Ouviu, primeiramente, Júlio que, como sempre, educadíssimo, fez um discurso de loas e mais loas à companheira, louvando a convivência benfazeja de tantos e tantos anos e finalizou dizendo não compreender ainda hoje o motivo de estarem separados. Júlio deixou claro que a decisão intempestiva tinha sido tomada pela esposa e que estava pronto a seguir , mais uma vez, a vontade da companheira que escolhera para percorrerem juntos o pomar e também o monturo existência. Como bom espírita tranqüilizou-se : “Seja como for, meritíssimo, estou pronto a seguir meu Karma!”
                                               Antes de ouvir Risoleta, o juiz imaginou que, finalmente, haveria um bom termo, numa Audiência de Conciliação. Geralmente se transformava numa rinha onde se digladiavam dois galos cansados e amargos por nenhum espólio de guerra. A fala da esposa que se seguiu, não podia lhe trazer melhores augúrios:
                                               — Seu juiz, eu casei com um homem perfeito ! Foram quase trinta anos com Júlio e eu quero que fique bem claro : Não tenho uma mínima coisa sequer para reclamar dele. Uma cara feia, um palavrão, uma discussão, um mau trato , nadicas de nada ! Ele sempre me tratou como uma rainha. Nada me faltou ! Aliás, eu nem precisava ter um desejo! Ele adivinhava e me ofertava antes que eu falasse. É um pai exemplar e mais que isso: um pãe! Aquela mistura de pai e mãe numa só pessoa. Cuidou dos filhos com um desvelo difícil de se ver. E mais, nunca eu soube, durante todos esses anos, de uma só imperfeição, um só deslize na sua conduta em casa, na rua, no trabalho. Júlio, meritíssimo, não existe ! É um santo !
                                               O magistrado respirou fundo e pareceu feliz com o desenrolar dos fatos. No íntimo, no entanto, cutucava-lhe uma desconfiança: por que diabos, então, o gesto tresloucado da mulher, jogando tudo para o alto e tomando aquela decisão inesperada? Salomonicamente , dirigiu-se ao casal e  enfático tentou levar a termo a reunião:
                                               — Fico feliz pela decisão de vocês reatarem tudo. Podemos , então, dar cabo da ação de divórcio, não é D. Risoleta ?
                                               — De jeito, nenhum, seu juiz, eu quero a separação !– Exasperou-se a mulher.
                                               O juiz, confuso, ante à inesperada reviravolta da causa, voltou-se para a esposa de Júlio, já sem muita paciência:
                                               — Como, minha senhora? Depois de tantos elogios a seu consorte, o homem perfeito ! A senhora quer se separar alegando o quê?
                                               Risoleta, por fim, explanou o que o marido, o juiz e o povo da praça até aquele momento na entendera:
                                               — Perfeição, seu juiz ! Perfeição! Não há quem agüente viver com um homem perfeito desses, não! Não há ! Júlio é para estar num altar e não numa casa com uma esposa. Perto de tanta perfeição, seu juiz, os defeitos da gente ficam muito mais visíveis. Eu já não estava mais me suportando! Imagine o senhor uma aquarela pintada com um amarelo forte, sem nuances de cores! Com o tempo começa a ofuscar!  Não há olho que agüente tanta luminosidade. Assim é o Júlio, falta-lhe o contraste do claro-escuro, da  sombra e da luz. Até em geléia , já se coloca pimenta, não é ?
                                               Ante a estupefação do marido e do juiz, ela fez suas alegações finais:
                                               — Pense aí , seu juiz, comer durante trinta anos a mesma comida limpíssima, saudável, mas sem tempero nenhum ! Sem sal, sem pimenta , sem cominho, sem alho,  há quem agüente? O Júlio  parece um doce de gergelim, gostoso, mas durante trinta anos, direto ? Tá doido? Arripunei !
                                               Esclarecidos os fatos, providenciou-se o apartamento dos trapos. No dia seguinte, Rui Pincel  foi visto se dirigindo sorrateiramente ao cabaré. Quando os amigos perguntaram seu destino, ele explicou:
                                                 Vou ali na Rua da Saudade botar uns cravos e um salzinho no meu doce, senão a mulher me larga !
J. Flávio Vieira

Alexandre Lucas, interventor do Cariri (CE), participa de debates e ações artísticas em Cuiabá

Alexandre Lucas – registro de performance e intervenção realizada no Crato com alunos de escolas públicas.                                                                                                                                                                              
Lançamento de livro, intervenções urbanas, sarais, reuniões com coletivos e discussões sobre arte, política e educação farão parte das atividades do artista/educador cearense Alexandre Lucas que  participa de intercâmbio cultural  no período de 25 a 29 deste mês em Mato Grosso.   
O artista cearense foi convidado pela Secretaria Municipal de Juventude de Cuiabá – SeJuv para contribuir com o Projeto Cutuca Juventude, o qual visa trazer discussões contemporâneas para os jovens a partir de várias temáticas como esporte, cultura, gênero e meio ambiente. O Ministro dos Esportes Aldo Rabelo já foi um dos palestrantes do Projeto. 
No dia 26, o artista participará na Praça da Mandioca  do Sarau Free das Artes e Cuca. No dia 27, Lucas abordará o seguinte temática “Arte Pública: Democratização e Acesso” no auditório da Unirondon. Já no  dia 28, participa de debate e lançamento do seu livro “Entranhamentos” com o tema arte e política, no auditório da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, conjuntamente com Eduardo Ferreira, artista inquieto das ruas, que no ano de 2012 movimentou os espaços públicos de Cuiabá com suas intervenções.
De acordo com a Patrícia Nogueira, Secretária da Juventude de Cuiabá, Alexandre Lucas desempenha um papel importante no cenário nacional no tocante as discussões e ações sobre arte, política e educação

O cearense participará ainda de performances e intervenções com coletivos e o Instituto Cuca que resultarão em material de apoio pedagógico. Os trabalhos de artistas do Cariri/CE estarão sendo levados na bagagem do artista como CDs, livros, vídeos como forma de potencializar a troca de saberes estéticos e artísticos.

Carta aberta aos artistas e intelectuais “do Crato”

Por Alexandre Lucas* 

Vocês têm contribuindo de alguma forma com o Crato

1. Cacá Araújo 
2. Jean Alex
3. Fatinha Gomes 
4. Nívia Uchoa 
5. Rafael Vilarouca 
6. Franklin Larcerda 
7. Josernir Lacerda 
8. Bastinha 
9. Luciano Carneiro 
10. Allan Bastos 
11. Yasmine Moraes 
12. Wilson Bernardo 
13. Carlos Rafael 
14. Luiz Carlos Salatiel 
15. Cleivan Paiva 
16. Rosemberg Cariry
17. Stenio Lima 
18. Lifanco 
19. Luciano Francioli 
20. Rita Cidade 
21. Joaquina  Carlos 
22. Guto Bitu
23. Rodrigo Moura
24. Junior Errer 
25. Diheson Mendonça 
26. Auci Ventura 
27. Saraiva 
28. João Nicodemos 
29. Claudio Reis 
30. Mestra Zulene 
31. Mestra Edite 
32. Mestre Cirilo
33. Mestre Aldenir 
34. Mestra Mazé
35. Edelson Diniz 
36. Fidel 
37. Janinha Brito 
38. Aecio Ramos 
39. Dane de Jade 
40. José Flavio 
41. Paulo Bento 
42. Maercio Lopes 
43. Joenio Alves 
44. Josernany Ferreira 
45. Kelyene Maia 
46. Marlon Torres 
47. Carlos Henrique 
48. Christian Marques 
49. Ana Paula Nogueira 
50. Daniele Esmeraldo 
51. Ingrid Alidiane 
52. Françoi 
53. Vinicius Pinho 
54. Waslevicks Pinho 
55. Jorge Carvalho 
56. Tio Bibi
57. Wanderley Tavares 
58. Felipe Tavares 
59. Jackson Bantim 
60. Jeferson de Albuquerque 
61. Adriano Brito 
62. Abidoral Jamacaru 
63. Pachely Jamacaru 
64. Yarley Brito 
65. Flavio Rocha 
66. Orleyna Moura
67. André Ferreira 
68. Manel do Chico Gomes
69. Jessika Bezerra 
70. Lilian Carvalho 
71. Augusto Bezerra 
72. Janinha Linard
73. Tyciane Lopes
74. Jorge Ney 
75. Geovani Brasil 
76. Laerto Xenofonte 
77. Cartulo Teles
78. Ricardo Correia 
79. Faeina Jorge
80. Edceu 
81. Ricardo Alves
82. Jucimar 
83. Ridalvo 
84. Raul Lampião
85. Thales Eijan 
86. Flauberto
87. Eber Torres 
88. Jardas 
89. Sandra Albano 
90. Eveline Limarverde 
91. Amanda Priscila 
92. Janaina Guedes
93. Alexandre Xamex 
94. Elionardo 
95. Cleo do Vale 
96. Junior Rivadávio 
97. Cidinho 
98. Wescley Sousa 
99. Edilânia Rodrigues 
100. Elizangela Nepomucena 
101. Maria Gabriela Federico 
102. Cristiano Ramos 
103. Josilson Lobo 
104. Carla Daniele  
105. Caludia Rejane 
106. Luiza Amaro 
107. Erika Souza 
108. Edgle Lima 
109. Mariana 
110. Mestre Galdino
111. Kaika 
112. Eduardo Júnior 
113. Renê 
114. Glauco Vieira 
115. Sâmia Oliveira 
116. Sâmia Xavier 
117. Luiza Amaro 
118. Jussiane Emidio 
119. Jurandi Temoteo 
120. Primo 
121. Saraiva 
122. Mãe Alice 
123. Suyane Oliveira 
124. Lidio
125. Diego Sidrim 
126. Daniel Jackson
127. Nezite Tavares 
128. Pedro Ernesto 
129. Henrique Vidal 
130. Leonardo Luna 
131. Borracha 
132. Junnior Pessoa 
133. Ângelo Gomes 
134. Julio 
135. Camila Lima 
136. Fábio Lemos 
137. Adriana Botelho
138. Malan Amaro 
139. Willyan Teles
140. Amilton
141. Ana Aline 
142. Jonizia Fernandes 
143. Joseany Ferreira 
144. Charline Moura
145. Renata Marinho
146. Roberto Marques 
147. Edson Martins 
148. Roberto Siebra 
149. Mestre Aldenir 
150. Divani Cabral 
151. Padre Ágio
152. B.Boy João Paulo  
153. Manuel Fernandes
154. Zuleide Queiroz
155. Maria Iara Brito 
156. Jairo Starkey 
157. Ana Rosa
158. Norbelia Duarte  
159. Paulo Fuisca 
160. Joelmir Pinho 
161. Saraiva
162. Tancredo Lobo 
163. Carlos Henrique 
164. Anderson Almeida
165. Rogério Canal 
166. Marcelo Missão Miranda 
167. Michel Macedo 
168. Antônio Queiroz 
169. Mabel 
170. Batista 
171. Jaquelina Rolim 
172. Pâmela Soares 
173. Alemberg Quindins
174. Talita Bac
175. Raquel Arraes 
176. Constance Gonçalves 
177. Aline Silva 
178. Edival Dias 
179. Seu Jesus 
180. Roseane Limaverde
181. Eveline Limaverde
182. Kerollen Duarte
183. Eduardo Escultor  
184. Diego Linard  
185. Alvaro Holanda
186. Célia Dias 
187. Daniel Peixoto 
188. Didi Moraes
189. Elisa Moura 
190. Fran Galdino 
191. Maestro Galdino 
192. Ibbertson Nobre
193. Jayro Starkey
194. Lamar
195. Maestro Bonifácio 
196. Micaelson Lacerda
197. Corné Baruino 
198. Eduardo Campos 
199. Kélivia Maia 
200. Edilma Saraiva
201. Samuka 
202. Zada
203. Waldemar Arraes
204. Henrique Maia 
205. Gessy Maia 
206. Amanda Teixeira 
207. Emerson Monteiro
208. Everardo Aguiar 
209. Bebeto 
210. Marcos Leonel 
211. Socorro Moreira 
212. Willian Brito 
213. Fernando Garcia 
214. Virginia Moura 
215. José Wilton Conrado
216. Carlos Lourenço
217. Hugo Rocha 
218. Adauto Garcia 
219. Jardas 
220. Queops Arsênio 
221. Evandro Peixoto 
222. Tânia Peixoto 
223. Thibério Cesar 

(Certamente esqueci-me de citar alguns nomes ( me perdoem), mas se sintam incluídos).  Vivemos além das eleições. Pensamos a sociedade e produzimos arte independente das eleições, mas é preciso reconhecer as eleições como momentos importantes para o futuro  e o bem estar das pessoas. Isso não é coisa de político! Isso é coisa de seres humanos. 

Severamente o ato de pensar a sociedade ou de produzir arte tem uma dimensão de escolha, de perspectiva, ou seja, de ação política.     

Os artistas e intelectuais desempenham importante papel na vida pública. No Crato, nestas eleições provocamos o debate sobre políticas públicas para cultura e conseguimos que as quatro candidaturas a Prefeitura do Crato/CE assinassem a CARTA COMPROMISSO COM A CULTURA, a qual foi assinado pelos Candidatos Marcos Cunha e Pedro Lobo (Candidato a prefeito e vice), Cícero França e George Marcário (Candidato a prefeito e vice), Raimundo Filho (Candidato a  vice-prefeito) e Mauricio Almeida  (Candidato a vice-prefeito). 

Essa carta é um compromisso político assumido pelas quatro candidaturas, que representam uma conquista não para os artistas e intelectuais do Crato, mas para a humanidade, tendo em vista a dimensão progressista e humanizadora do documento que compreende a cultura e a arte, além do entretenimento e da mercantilização. A carta compreende  cultura como vetor de desenvolvimento humano, social, econômico, ambiental  e de diversidade cultural e artística.  

A carta é resultado das resoluções da Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais da UNESCO, da Conferencia Nacional de Cultura, dos Encontros Nacionais dos Pontos de Cultura do Brasil e das bandeiras defendidas pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cultura, além da  observância das resoluções da Conferência Municipal de Cultura do Crato. Ou seja, essa carta representa um anseio  planetário de intelectuais e artistas. 

Esse documento  não foi pensado para beneficiar  candidatura Vermelha, Amarela, Verde ou Azul, mas o conjunto multicolor das candidaturas. É preciso que os candidatos tenham um norte do que queremos. É preciso que cada candidatura entenda que para pensar políticas publicar para cultura, não basta de uma pessoa para executar, é necessário antes de tudo de ter propostas e clareza política do que se quer executar.    

Uma etapa nós já ultrapassamos: ASSINATURA DA CARTA COMPROMISSO COM A CULTURA. Após as eleições precisamos partir para segunda etapa EXIGIR DO CANDIDATO ELEITO  que seja honrado o compromisso público. 

Então, acredito que somente misturados e mobilizados vamos conquistar políticas públicas duradouras para cultura. É preciso que cada coletivo, companhia, ONG, artista, ativista, intelectual, brincante, tenham conhecimento do teor do documento assinado pelas candidaturas e possam se somar numa frente de diálogo com o candidato eleito para pensar o Crato como a “capital de desenvolvimento de políticas pública para cultura” para serem  copiadas e recriadas pelo povo brasileiro. 

       


A nossa disposição é de luta e acreditamos que investir na cultura é desenvolver de forma intersetorial cidades mais humanas. 

Saudações com anseio de revolução cultural! 


* Alexandre Lucas – Artista/educador, Pedagogo, integrante do Instituto Centro Universitário de Cultura e Arte – CUCA, do Programa Nacional de Interferência Ambiental – PIA,  do Coletivo Camaradas, Coletivo Desmascarados,  do Conselho Municipal de Cultura do Crato,  do Coletivo Estadual de Cultura do Partido Comunista do Brasil – PCdoB   e da Rede Misturados.  
    
         


Conteúdo da Carta Compromisso com a Cultura


CARTA COMPROMISSO COM A CULTURA

Eu XXXXXX , candidato a prefeito do município do Crato pelo  Partido XXX, assino esta carta compromisso ao pleito eleitoral de 2012.

Considerando:
 1. A Convenção da UNESCO sobre a proteção e a promoção da Diversidade das Expressões Culturais, ratificada pelo Brasil por meio do Decreto Legislativo 485/2003;

2. A Agenda 21 da Cultura (Barcelona 2004), que diz “As cidades e os espaços locais são ambientes privilegiados da elaboração cultural em constante evolução e constituem os âmbitos da diversidade criativa, onde a perspectiva do encontro de tudo aquilo que é diferente e distinto (procedências, visões, idades, gêneros, etnias e classes sociais) torna possível o desenvolvimento humano integral”;

4. As resoluções aprovadas na II Conferência Nacional de Cultura, sistematizadas no Plano Nacional de Cultura, sancionado em dezembro de 2010;

5. As resoluções aprovadas na Conferência Municipal de Cultura do Crato-CE, realizada em 2010, sistematizadas no Plano Municipal de Cultura;

6. As propostas elaboradas pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cultura no Congresso Nacional;

Assumo o compromisso público, em sendo eleito:

A Cultura deve ser tratada como prioridade estratégica, através de mecanismos permanentes que visem sua consolidação como política de Estado e compreendida como dimensão fundamental para o desenvolvimento humano e econômico, social e ambiental;

A Cultura deve ser valorizada em seus múltiplos aspectos, considerando a diversidade cultural do nosso povo. Desta forma, integrar e fomentar tanto as culturas tradicionais como as indústrias criativas e todas as cadeias produtivas do setor, sem hierarquizar estas dimensões complementares.

As políticas públicas de cultura devem ser pensadas como elementos de aproximação entre o Estado e a sociedade. Neste sentido, as administrações municipais devem compreender a cultura como elemento de democratização desta relação. Políticas culturais emancipatórias contribuem para a criação de uma nova cultura política.

A política cultural deve facilitar e permitir o acesso ao território e ao espaço público, garantindo o direito à cidade, ressignificando e reapropriando estes espaços.

Cultura, Educação e Comunicação Democrática ou democráticas são elementos indissociáveis e indispensáveis em uma administração municipal e para formação cidadã.

As crianças, adolescentes e jovens devem ser considerados prioritariamente na elaboração, formulação e implementação das políticas culturais. Dar ênfase à primeira infância.

Cujas metas são:

ESTRUTURA E GESTÃO:
•             Fortalecer a Secretaria Municipal de Cultura, desmembrando-a do Esporte e Juventude e aperfeiçoando seu núcleo operacional;
•             Otimizar a implementação/funcionamento do Sistema Nacional de Cultura na esfera municipal – conselho, plano e fundo municipal de cultura;
•             Democratizar a gestão cultural e a destinação de seus recursos criando instrumentos de participação direta da sociedade nas definições de políticas, fiscalização, controle e execução das mesmas;
•             Implementar a cartografia sociocultural urbana: conhecer a cidade e sua gente, sua cultura, sua religiosidade, suas cadeias produtivas artesanais e industriais na cultura;
•             Valorizar o trabalhador da cultura, estimulando a formalização e regularização previdenciária do mesmo.
•             Criar uma política permanente de ocupações dos equipamentos culturais, através de editais públicos.  
FINANCIAMENTO:
•             Apoio à imediata aprovação da PEC 150/2003, que estabelece que 1% dos recursos do orçamento do município deva ser aplicado na Cultura;
•             Independentemente desta aprovação, que seja garantido no mínimo este percentual para os recursos destinados à Cultura, na lei municipal do Plano Plurianual, das Leis de Diretrizes Orçamentárias e das Leis Orçamentárias, já a partir do orçamento municipal elaborado para o ano de 2014;
•             Criar editais de fomento direto para todas as linguagens e expressões artísticas fortalecendo a produção independente;
•             Incentivar o mecenato a partir da criação de leis de incentivo via ICMS, ISS E IPTU;
•             Estimular a criação de parcerias públicas e privadas;
•             Desburocratizar os contratos de repasse de recursos, sem comprometer os mecanismos de fiscalização e controle;
•             Isenção de ISS para artistas e associações culturais sem fins lucrativos.
COMUNICAÇÃO E CULTURA DIGITAL:
•             Criar TV pública municipal, fortalecer e reconhecer as rádios comunitárias;
•             Criar gabinete digital junto ao Prefeito;
•             Documentação e modernização tecnológica para o acesso do povo ao conhecimento;
•             Implantar e/ou manter, através de apoio financeiro da administração municipal, as rádios e as TVs Comunitárias, geridas por associações de entidades usuárias;
•             Ampliar o já existente programa de acesso gratuito à internet – Banda larga Para Todos, criado por Lei Municipal
EDUCAÇÃO E CULTURA:
•             Criar um Segundo Turno Cultural nas escolas em tempo integral através de ações voltadas para a cultura e o esporte;
•             Incentivar a educação ambiental e patrimonial na rede municipal de ensino;
•             Fiscalizar a implementação do ensino de música na rede municipal de ensino, conforme determinado pela legislação vigente;
•             Fazer valer a lei Federal que garante o ensino da cultura afro brasileira nas escolas, ampliando-a para as culturas indígenas, conforme determinado pela legislação vigente;
•             Fazer valer a Lei Municipal nº  que determina a obrigatoriedade do ensino da história do Crato na rede municipal de ensino.  
•             Criar escola municipal de artes/cursos formação nas artes e produção cultural;
•             Formação de gestores culturais;
•             Construir ampla campanha nacional e local de erradicação do analfabetismo;
•             Incentivar o cineclubismo e a exibição de filmes nacionais nas escolas.
•             Apoiar à imediata aprovação pelo Congresso do Projeto de Lei 7.507/10 (PLS 185/2008) que torna obrigatório a exibição de produções audiovisuais brasileiras na rede municipal de educação, e compromisso com a sua posterior implantação;
•             Cumprimento da Resolução nº 411/2006 do Conselho Estadual de Educação, que fixa normas para o componente curricular Artes, no âmbito do Sistema de Ensino do Estado do Ceará.
PROTAGONISMO SOCIAL:
•             Apoiar a aprovação pelo Congresso Nacional do Projeto de Lei 757/2011 que cria a Política Nacional Cultura Viva (Pontos de Cultura) e compromisso com a sua implantação na esfera da administração municipal;
•             Fortalecer a Rede dos Pontos de Cultura – Criando um ponto para cada 15mil habitantes;
•             Incentivar o fomento à manifestação e criação de protagonismo local;
CULTURA E CIDADE
•             Cultura no planejamento urbano – desenvolvimento com preservação, design público, memória;
•             Implantar e/ou manter e fortalecer as políticas públicas de preservação de patrimônios históricos materiais e imateriais, bem como de patrimônios naturais e ambientais;
•             Valorizar espaços de ensaios, de criação, produção e apresentação;
•             Criar, equipar e manter: cinemas, bibliotecas públicas, teatros e outros espaços  destinados à arte e a cultura;
•             Implantar e/ou manter e fortalecer de Bibliotecas Públicas Municipais (inclusive através da ampliação e atualização de acervos) e Tele Centros;
•             Apoiar e fortalecer o programa de ação “Cine+Cultura”, através da implantação de cineclubes e especialmente nas localidades com menos de 100mil habitantes nas quais não existam salas comerciais de exibição;
•             Implantar salas de cinemas utilizando a lei 12.599/2012, que cria o programa “Cinema Perto de Você”;
•             Promover a ocupação dos espaços públicos e a valorização do artista da Rua;
•             Criar polos de cadeia produtiva e estimular a Economia Criativa Local: design, artesanato, moda;
•             Estimular a criatividade, conhecimento local que fazem a diferença;
•             Incentivar a produção, circulação do artesanato com criação de um polo para  comercialização;
•             Recenhecer os saberes e fazeres tradicionais: incorporar nas diversas ações de saúde, meio ambiente e ensino regular;
•             Apoiar a aprovação do Projeto de Lei 1786/2011 que institui a Política Nacional de proteção e fomento à transmissão da Tradição Oral – Lei Griô;
•             Estimular a integração para experimentações: linhas de pesquisa, universidades, movimentos culturais;
•             Incentivar prêmios municipais;
•             Gerar acessibilidade física à leitura e outras formas de comunicação;
•             Primar pela sustentabilidade socioambiental na utilização, distribuição e comercialização de matérias primas e produtos relacionados às atividades artísticas e culturais.
•             Equipar e adequar o Cine-Teatro Salviano Arraes Saraiva. 

Crato-CE, 27 de agosto do ano 2012.

XXXX                                             XXXX
Candidato a Prefeito –                Candidato a Vice-Prefeito
    

Solenidade de assinatura da Ordem de Serviço do Sítio Fundão acontece na manhã desta sexta


A Reitora da Universidade Regional do Cariri (URCA), Professora Otonite Cortez, e o Vice-Reitor, Patrício Melo, participaram na manhã de ontem, 14, da assinatura da Ordem de Serviço no Parque Estadual do Sítio Fundão, no Geossítio Batateira, pelo Presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente do Estado do Ceará (Conpam), Paulo Henrique Lustosa. O evento acontece na entrada da Unidade de Conservação de Proteção Integral do Governo do Estado.
O presidente do Conpam vai assinar a ordem de serviço para a Construtora Adois fazer todo o cercamento da Unidade de Conservação e também uma nova guarita, vez que a existente está sem portas e janelas. Com isso, dá início a primeira etapa de obras para revitalizar o Sítio que fica no bairro Franca Alencar, em Crato, e compreende uma área de 93,54 hectares.
A cerca verde será feita em painéis de arame galvanizado e a guarita em tijolo maciço. O prazo para entrega da obra é de 120 dias e custará R$1.150.000,00. Os recursos, segundo informações do Presidente do Conpam, são originários de medidas de compensação e sua aplicação mostra o quanto o Governo reconhece o inestimável valor histórico, cultural e ecológico da área.
O Parque possui uma flora e fauna bem diversificada, na qual nos deparamos com espécies da caatinga e do cerrado, estes remanescentes da mata atlântica, fazendo parte do Geossítio Batateira, área do Geopark Araripe.
FONTE: ASSESSORIA DE IMPRENSA DA URCA

Consulta eleitoral para reitor – Ivan Camargo vence consulta da comunidade acadêmica-Agência UnB de Notícias

Consulta eleitoral para reitor – Ivan Camargo vence consulta da comunidade acadêmica

Ivan Camargo vence consulta da comunidade acadêmica


Ana Lúcia Moura, Leonardo Echeverria e Diogo Lopes de Oliveira
Da Secretaria de Comunicação da UnB

Ivan Camargo foi escolhido reitor da Universidade de Brasília em consulta organizada pela comunidade acadêmica. O professor da Faculdade de Tecnologia venceu a disputa com 51,49% dos votos proporcionais de professores, técnicos e estudantes. Márcia Abrahão, docente do Instituto de Geociências, ficou com 46,42% dos votos. Houve 2,08% de votos brancos e nulos. O número oficial de votantes foi de 12.562.
O Conselho Universitário, instância máxima da instituição, se reúne às 14h30 desta sexta-feira, 14 de setembro, para elaborar a lista tríplice que será encaminhada à presidente Dilma Rousseff, a quem cabe a escolha do reitor. Caso os conselheiros mantenham o resultado das urnas, apontando Ivan Camargo como o primeiro da lista, tradicionalmente o indicado pela Presidência da República, o professor vai dirigir a Universidade de Brasília pelos próximos quatro anos, ao lado de Sônia Báo, diretora licenciada do Instituto de Ciências Biológicas. Será o primeiro reitor formado na própria UnB e iniciará seu mandato no ano em que a instituição completa 50 anos de fundação.
A diferença dos votos proporcionais dos três segmentos entre os dois candidatos foi pequena. Ivan Camargo obteve 11.290 contra 10.180 de Márcia Abrahão. Em números absolutos, ou seja, sem o cálculo da paridade, Ivan conquistou 1.051 votos de docentes, 815 de técnicos e 4.457 de alunos. Márcia obteve 732 votos de professores, 956 de funcionários e 4.382 de estudantes.   
Ivan Camargo venceu entre professores e alunos. Mais da metade dos 1.828 docentes que foram às urnas votou no professor, engenheiro elétrico: 57,4%. Márcia Abrahão obteve o voto de 40% dos professores. Em números absolutos, a diferença é de 319 votos. Entre os estudantes, no entanto, a diferença de votos entre os dois candidatos é inferior a 1%.
Márcia saiu vitoriosa entre os técnicos. Levou os votos de 52,8% dos 1.809 funcionários com votos validados. Ivan ficou com 45%. “Desde a primeira parcial percebemos que os números não coincidiam com a nossa avaliação. Precisávamos de uma margem maior entre estudantes e técnicos para compensar entre os professores”, comentou Alexandre Bernardino, professor da Faculdade de Direito e coordenador da campanha de Márcia Abrahão.
EMOÇÃO – A comemoração da chapa 86 começou às 14h50, quando os resultados parciais indicavam a vitória de Ivan Camargo. Um grupo de servidores que estava em frente à área de contagem dos votos aplaudia efusivamente o candidato. Do outro lado do Centro Comunitário, Ivan permaneceu quieto. Cinco minutos depois, às 14h55, cedeu à emoção e abraçou sua vice, Sônia Báo. Logo, foi cercado por apoiadores, que o cumprimentavam pela vitória. Visivelmente emocionado, e contendo o choro, falava baixinho: “Obrigado, gente, muito obrigado”. Sônia Báo chegou a ser erguida pelos apoiadores, todos emocionados com o resultado.
Às 15h02, Márcia Abrahão e Marcelo Bizerril, candidatos da chapa 80, deixaram a área próxima à contagem de votos e cumprimentaram Ivan pela vitória. Abraçados, posaram para fotos. Minutos depois, apoiadores da chapa vencedora estouraram uma garrafa de espumante. O professor Alessandro Borges, da Comissão Organizadora da Consulta (COC), pediu que a comemoração fosse contida. “Ainda estamos fazendo a contagem final dos votos”, pediu ao microfone. 
Às 15h10, Ivan Camargo deu a primeira entrevista como reitor eleito pela comunidade. “Agora temos que trabalhar forte e com dedicação”, disse, ainda tentando conter a emoção. “Tudo o que foi dito sobre respeito e cordialidade durante a campanha tem que ser praticado. Estou feliz e orgulhoso de me tornar o primeiro reitor ex-aluno da UnB”. Afirmou ainda que deve estar presente à reunião do Conselho Universitário que vai elaborar a lista tríplice.
CUMPRIMENTOS – A declaração à imprensa foi interrompida por sucessivos telefonemas e cumprimentos, como os de Denise Bomtempo, Noraí Rocco e Luís Afonso Bermúdez, que disputaram no primeiro turno e apoiaram o candidato no segundo. Um dos primeiros telefonemas foi do reitor José Geraldo de Sousa Junior, que, de seu gabinete, acompanhava o resultado da votação. “Parabéns pela vitória”, cumprimentou. “Desejo força e disposição para consolidar aquilo que foi a retomada de uma crise instalada na instituição e a construir a ponte necessária para integrar uma Universidade dividida entre dois projetos”, disse. Ivan Camargo assegurou que a união é um lema de sua campanha.
Volnei Garrafa e Maria Luíza Ortiz, que disputaram no primeiro turno, também telefonaram para mandar seus cumprimentos. “Ganhei por causa desses apoios todos”, disse Ivan a Maria Luiza. Quando um de seus alunos veio cumprimentá-lo, Ivan comportou-se como um legítimo professor. “Terça-feira nos encontramos para resolver aquela questão, hein?”, disse ao estudante, que precisa melhorar as notas para ser aprovado.
Pouco depois, às 15h32, a professora Gardênia Abbad, diretora do Instituto de Psicologia, ainda chorava abraçada a um aluno, comemorando a vitória da chapa 86. Cinco minutos depois, a COC anunciou que Ivan havia sido o mais votado entre os estudantes. Os jovens do grupo Aliança pela Liberdade, que apoiaram Ivan, fizeram uma roda e comemoraram. A poucos metros, os apoiadores de Márcia Abrahão a cercaram a aplaudiram o trabalho feito na campanha.
Às 15h50, a COC anunciou o resultado final. “A lista tríplice que será recomendada ao Consuni será a seguinte: Em primeiro, a chapa 86, Ivan Camargo e Sônia Abrahão; em segundo, a chapa 80, Márcia Abrahão e Marcelo Bizerril; em terceiro, a chapa 89, Volnei Garrafa e Luís Afonso Bermúdez”, comunicou o professor Paulo Celso dos Reis Gomes. “Boa sorte ao novo reitor”, encerrou. 
Ivan e Márcia aplaudiram o anúncio. “A Universidade está de parabéns”, comentou a geóloga. “Fizemos uma campanha limpa e respeitosa”, disse. Pouco antes, Márcia Abrahão também foi parabenizada pelo reitor. “Você liderou uma campanha muito qualificada, defendeu um modelo de gestão afinado com uma concepção de universidade que guarda relação com o modelo utópico da UnB”, disse.
DISCURSO – Ocupando o palco principal do Centro Comunitário, Ivan Camargo e Sônia Báo fizeram seu primeiro discurso à comunidade como reitor e vice-reitora escolhidos pela comunidade. “Muitíssimo obrigado, vamos trabalhar juntos”, disse Ivan à plateia de cerca de 50 pessoas, repetindo, em seguida, os principais pontos de seu programa. “Vamos colocar a UnB nos trilhos, com foco no estudante, em formar bem. Gostaria de agradecer muito à minha companheira de batalha, essa guerreira aqui ao meu lado”, completou. “Obrigada pelo aprendizado”, agradeceu a vice na chapa.
José Geraldo, que deixa o cargo em 18 de novembro, quando o novo reitor assume, avaliou como positivo o processo da consulta. “O resultado traduz uma opção que a comunidade fez sobre um projeto universitário e um projeto de sociedade. Minha expectativa é que aqueles valores que marcaram a concepção inicial da UnB sejam preservados e confio que o novo dirigente saberá preservar. Almejo que os desafios atuais sejam bem enfrentados no aspecto político, no aspecto institucional e na consolidação tanto do projeto democrático quanto acadêmico”, disse.

Ivan Camargo começa a preparar a equipe de transição na segunda-feira, após a reunião do Conselho Universitário. Ele e Sônia devem comandar pessoalmente os trabalhos juntos com o vice-reitor João Batista de Sousa, que coordenará a equipe de transição, conforme anunciado pelo reitor José Geraldo de Sousa Junior.