Arquivos mensais: junho 2012

NOTA OFICIAL DA UNE SOBRE A MATÉRIA DO JORNAL O GLOBO DO DIA 8 DE JUNHO DE 2012 | UNE – União Nacional dos Estudantes

NOTA OFICIAL DA UNE SOBRE A MATÉRIA DO JORNAL O GLOBO DO DIA 8 DE JUNHO DE 2012 | UNE – União Nacional dos Estudantes

“Não nos intimidaremos. Pelo contrário, ampliaremos nossa luta pela democratização da mídia, por uma educação para todos e por um Brasil mais justo”, afirma a nota
Não nos causa espanto o ataque arquitetado por parte da imprensa conservadora contra a União Nacional dos Estudantes (UNE) e o conjunto dos movimentos sociais. Primeiro, foi a revista Veja. Agora, é pelas páginas do jornal O Globo que a microfonia da mídia golpista tenta nos atingir. A UNE é alvo porque participa da luta democrática para romper o monopólio que meia dúzia de famílias exerce sobre a comunicação no Brasil. A UNE está na mira porque demonstra a necessidade de imediata regulação das responsabilidades dos meios de comunicação.
É importante deixar claro, em respeito a todos os que acompanham a nossa trajetória de 75 anos de vida, que a UNE não cometeu irregularidades e não é alvo de investigações de nenhum tribunal de contas. Se, o pedido de investigação feito pelo procurador do ministério público junto ao TCU apontar qualquer equívoco em nossa prestação de contas, – não há provas de que tenha ocorrido- será fruto de imperícia técnica, mas nunca de má fé.
Sobre um ponto da matéria publicada nesta sexta-feira, dia 8 de junho, pelo jornal O Globo, cobramos responsabilidade na veiculação e análise das informações e esclarecemos que a compra de alguns itens de vestuário foram feitas para a construção de instalações (artes visuais) e para o figurino de peças de teatro, atividades da Bienal da UNE, o maior festival estudantil da América Latina.
Sobre a compra de bebidas alcóolicas é necessário esclarecer que os valores referentes a estes itens constavam em algumas notas fiscais, mas não foram contabilizados como parte dos gastos com o dinheiro público. Ou seja, a UNE não usou dinheiro público para pagar esses itens. A montagem de camarins e uma intervenção artística sobre  a religiosidade afro-brasileira no qual se utilizava cachaça, búzios e velas foram compradas com o dinheiro privado da entidade.
Quanto a existência de notas fiscais supostamente irregulares, a UNE esclarece que o processo de contratação foi feito via pregão eletrônico, por meio da empresa “Terceiro Pregão”, especializada em licitações para o terceiro setor. A UNE cumpriu a sua parte contratual. Caso tenha ocorrido qualquer irregularidade por parte das empresas contratadas, a UNE apoia a  investigação do ocorrido e a adoção de medidas legais cabíveis.
A União Nacional dos Estudantes participa das políticas de financiamento público a atividades culturais, esportivas e educacionais desde 1999, sempre cumprindo todas as exigências técnicas de seus convênios. Parte das nossas prestações de contas já estão aprovadas, sendo que algumas se encontram ainda em análise pelos órgãos responsáveis. A UNE reafirma seu compromisso de zelo com os recursos públicos e, se comprovado qualquer tipo de imperícia técnica em qualquer prestação de contas, compromete-se a saná-las de acordo com o que lei determina, inclusive, se for o caso, com a devolução de recursos. Dessa forma, a UNE reafirma também o seu compromisso com o Erário, honrando seus 75 anos de vida.
Infelizmente, para as poucas famílias que exercem o monopólio da comunicação no Brasil, ser verdade ou não é apenas um detalhe. O que importa, para eles, é a versão, sempre comprometida com os interesses das elites dominantes. A UNE já enfrentou batalhas piores contra estes mesmos personagens, por exemplo,  durante a ditadura civil-militar. Esperamos que a Comissão da Verdade revele os responsáveis destas empresas pela cooperação com a tortura, o assassinato e outros crimes bárbaros cometidos pelo regime de exceção, assim como a luta contra a corrupção no Brasil revele as relações mantidas entre corruptores, como o bicheiro Carlinhos Cachoeira, e os donos destas mesmas empresas.
Como não nos intimidamos no passado, não nos intimidaremos agora. Pelo contrário, ampliaremos nossa luta pela democratização da mídia, por uma educação para todos e por um Brasil mais justo.
União Nacional dos Estudantes
08 de junho de 2012

De vento a favor

Pois é, amigos, diante da eleição que mais e mais se aproxima, o Crato e os ânimos vão mais e mais se inflamando. Como sempre, divide-se a cidade entre situação-oposição e as classes mais privilegiadas rápido tomam partido, enquanto, de longe, o povaréu observa cuidadosamente. Pobre sabe que estrategicamente não é bom declarar-se por um ou outro lado, com a sabedoria que os anos lhe foram conferindo percebe que , a maior parte das vezes, a escolha é entre a onça e o lobo e , de qualquer maneira, no final da fábula acabará devorado.   Assim, mede distância e palavras, toma cuidados especiais, no sentido de levar alguma vantagem no único momento que poderá auferir alguma: a pré-eleição. Nos andares de cima, se ensaiam as primeiras quedas de braço , mesmo assim ainda incipientes: os candidatos municipais ainda não sabem, claramente, a quem foram vendidos pelos líderes estaduais.
                                   Mas, aqui entre nós, munícipes, importa-nos a exata célula em que vivemos e produzimos: a nossa querida Cidade do Crato. E somos nós e mais ninguém que sabemos exatamente o que queremos, que políticas públicas  poderão melhorar nossa vida, nosso bem-estar, nossa felicidade. Como cratense convicto e apaixonado, vou trazer minha singular opinião sobre o que espero do futuro Prefeito da minha cidade .  Sei que cada conterrâneo tem uma visão pessoal que respeito e admito e que certamente se soma à minha,  em busca de melhores dias para a Cidade de Frei Carlos.
                                   A primeira questão diz respeito diretamente ao rumo que imagino devemos tomar. Sem um porto a atingir, diz o provérbio, nenhum vento nos será favorável. Qual a vocação da nossa Cidade? Sempre se rotulou historicamente o Crato como : “A Cidade da Cultura”. Pois bem, corramos atrás do prejuízo. O novo Prefeito terá que buscar este caminho desesperadamente. Incentivar as Artes   e aí possuímos ainda um grande manancial a se reconstruir: Biblioteca Municipal que mereça este nome; Uma Bienal do Livro; Vitalização do Centro Cultural Araripe hoje entregue ao Crack;  Finalização do Cine Teatro Moderno, como Cine e como Teatro e não apenas mero auditório, com programação anual regular; Levar à Escola nossa Cultura e nossa História;  Construção de um Memorial da Confederação do Equador, movimento histórico importantíssimo, onde a cidade teve participação decisiva e hoje esquecido quase que inteiramente; Revitalização da Fundação J. de Figueiredo Filho que nunca funcionou além de mero cabide de empregos; Revigoramento do nosso Festival da Canção; busca à criação de um Centro Cultural Banco do Brasil ou Caixa Econômica; interface próxima e contínua com o SESC, URCA,ICC,SCAC, Secretarias de Cultura; Incentivo `a criação de jornais, publicação de livros, prensagem de CD´s, ao Mercado regional de Artes Plásticas e ao desenvolvimento de um pólo cinematográfico caririense. Nossos artistas precisam ser colocados como atores principais nessa mudança comportamental e não como reles figurantes. Isto apenas para lembrar de relance algumas das nossas imensas possibilidades.
                                   Um outro ponto importante , a nosso ver, é a capitalização das nossas reservas ecológicas. Temos inúmeras fontes perenes, uma imensa Chapada a nos contemplar, com seu verde , suas bacias fossilíferas  e nós mesmos não possuímos qualquer educação ambiental mínima que seja. A Ecologia é uma das palavras de toque do futuro e nós sequer nos apercebemos disso. Temos todas as possibilidades de desenvolver um Turismo Ecológico sustentável, com trilhas, Bikes, Rapel , e outros tantos esportes hoje desenvolvidos sem nenhuma ajuda por esportistas abnegados.  
                                   Uma outra questão preocupante é o total descaso que historicamente o município tem para com a URCA.  A Universidade mudou completamente a Cidade do Crato com o cosmopolitismo de seus alunos e professores e os novos ângulos de se perceber o mundo e a vida ao nosso redor. O Crato tem o dever cívico de assumir a Universidade como filha, reconhecendo sua importância e incentivando de perto todas suas ações.
                                   Nossos críticos dizem que o Crato , como um Museu, teima em viver de passado. Pois bem, temos um passado glorioso sim: capitalizemo-lo !  Um município com um lastro deste tamanho tem um alicerce invejável para edificar seu futuro. Os outros mais jovens sofrem eternamente de um Complexo de Peter Pan.
                                   Pessoalmente não acredito em receitas copiadas, já aplicadas em outras cidades, com resultados aparentemente fabulosos. Juazeiro cresceu à sombra do Turismo Religioso: ótimo, mas essa não é nossa realidade. Economicamente , hoje, a vizinha cidade tem uma pujança impensável. Sem problemas, estamos aqui pertinho, as cidades do CRAJUBAR  estão praticamente conturbadas. Junto com o desenvolvimento vem a borra do progresso: a Violência, o engarrafamento,  a superpopulação, a poluição, a explosão dos preços imobiliários. Pois bem, construamos uma Cidade em que o bem-estar da população seja a pedra de toque. Temos um Pólo Econômico-Industrial no Juazeiro, Um Pólo Médico-Hospitalar em Barbalha, reconstruamos nosso Pólo Ecológico-Cultural.  No final, todos nos beneficiaremos . Penso que o grande lance da Região Metropolitana do Cariri é justamente esse: por conta  das parcelas serem tão diferentes é que o resultado da soma será tão vultoso.
                                   Espero que sejamos sensatos e reflexivos na escolha do candidato. Que cada um coloque na balança os pesos com que aferirão os nomes antes de ir à urna. Vender voto costuma sair caríssimo: seja por chinela, por telha, por emprego ou por licitação; não importa o preço. Escolham segundo sua consciência e assumamos que somos o agente transformador ou não da nossa cidade; só não vale depois dizer que o Crato é uma cidade sem sorte e que os políticos que nós próprios elegemos só querem meter a mão  se dar bem.
J. Flávio Vieira

Deputado Antonio Carlos é novo titular da Cultura

O deputado Antonio Carlos (PT), atual líder do governo na Assembleia Legislativa, será o novo secretário da Cultura. Ele assume no lugar de Francisco Pinheiro, que retoma hoje seu mandato como deputado estadual pelo PT.
Pinheiro é um dos secretários estaduais que foram exonerados ontem à tarde pelo governador Cid Gomes, último dia do prazo de desincompatibilização dos secretários estaduais para quem quiser disputar alguma prefeitura. Além de Pinheiro, os outros dois secretários petistas deixaram o Governo: Nelson Martins (Agricultura) e Camilo Santana (Cidades). Leia mais…

Começa na quinta o 16º Congresso Nacional da UJS – Portal Vermelho

Começa na quinta o 16º Congresso Nacional da UJS – Portal Vermelho

Começa na quinta o 16º Congresso Nacional da UJS

Contagem regressiva para a maior mobilização juvenil do país! Isso mesmo, na quinta-feira (7) acontece o 16º Congresso Nacional da União da Juventude Socialista (UJS), no Rio de Janeiro (RJ). O local das atividades será na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Desde janeiro, após a plenária nacional da UJS, foi definida a temática do congresso, “#Nas redes e nas Ruas – lutando pelo Brasil de nossos sonhos”. Com discussões voltadas para esse tema, diversas cidades e todos os estados do Brasil realizaram seus congressos, e agora de 7 a 10 de junho ocorrerá a etapa final do congresso da UJS.

UERJ e UFRJ recebem o 16º Congresso

A Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) são as universidades anfitriãs de todas as atividades do congresso. Todos os debates e atividades relacionados ao congresso ocorrerão na UERJ, na UFRJ serão alojados os todos os participantes do congresso.

Debates

A programação do congresso está recheada de importantes atrações, por exemplo, no debate de comunicação está confirmada a presença de Paulo Henrique Amorim, do blog Conversa Afiada e apresentador do programa Domingo Espetacular, da rede Record. Na mesa que discutirá a cultura brasileira participam a deputada federal Jandira Feghali, presidente da Frente Parlamentar de Cultura, bem como Célio Turino, o idealizador do projeto de Pontos de Cultura do Ministério da Cultura.

O momento mais importante do congresso será no sábado (9), com a mesa “Nas redes e nas ruas, lutando pelo Brasil dos nossos sonhos”, que contará com a participação da presidenta Dilma Roussef, do governador do estado, Sérgio Cabral, do prefeito da cidade Eduardo Paes, do presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, além do ministro da Educação, Aloízio Mercadante e da Ciência e Tecnologia,Marco Antonio Raupp. A mesa será mediada por André Tokarski, presidente nacional da UJS.

Inscrições

Ainda há tempo de fazer o pagamento antecipado e ganhar desconto, é só realizar o depósito com o valor do credenciamento até o dia 6 de junho:

Sul e Sudeste – R$ 60,00; Norte, Nordeste e Centro-Oeste – R$ 40,00.

Para quem realizar o pagamento do credenciamento no dia 7 de junho o valor será um pouco maior:

Sul e Sudeste – R$ 80,00; Norte, Nordeste e Centro-Oeste – R$ 60,00.

O pagamento deve ser feito na conta da União da Juventude Socialista

Banco do Brasil
Agência 0383-2
Conta 32595-3

Programação

Quinta-feira 7 de junho de 2012


10h00 às 12h00 – Abertura do congresso
Local: Capela da UERJ

12h00 às 14h00 – Almoço
Local: 3º andar, 5º andar, 9º andar e 11º andar

14h00 às 15h00 – Festival de cultura #nasredesenasruas
Local: Praça de Convivência

15h00 às 17h00 – Debates
Tema 1: Desafios da ciência básica e de ponta.
Convidados: Olival Freire (professor da UFBA e do MCTI), Luciano Rezende (professor do IFE de Pádua), Arquimedes Cilone (MCTI).
Local Auditório 11 – 1° Andar

Tema 2: Cultura da ética, da estética e da economia.
Convidados: Célio Turino (idealizador dos Pontos de Cultura e ex-secretário do MinC), Sérgio Mamberti (secretário do MinC), Celso Athayde (coordenador da CUFA), Ivana Bentes (professora da UFRJ), Javier Alfaya (ex-presidente da UNE e coordenador de Cultura do PCdoB);
Local: Capela

Tema 3: Diversidade e tolerância para a juventude.
Convidados: Olívia Santana (vereadora e ex-presidente da Unegro), Juremar de Oliveira (vice-presidente do Conselho Estadual de Juventude da BA)
Local: Auditório 13 – 1º andar

Tema 4: Juventude e o Mundo do Trabalho.
Convidados: Paulo Vinícius (secretário de Juventude da CTB), Luisa Barbosa (doutoranda em Sociologia do Trabalho) e Igor Bruno (coordenador de juventude do Rio de Janeiro);
Local: Auditório 31 -3º Andar

Tema 5: O legado social dos grandes eventos no Brasil.

Convidados: Wadson Ribeiro (ex-secretário executivo no ME), Joel Benin (Ministério do Esporte), Romário Galvão (secretário de Esporte do Rio de Janeiro), Gustavo Petta (ex-presidente da UNE e ex-secretário de Esporte de Campinas)
Local: Auditório 51 – 5º Andar

17h00 às 18h00 – Festival de cultura #nasredesenasruas
Local: Praça de Convivência

18h00 às 20h00 – Grupos de discussão das frentes de atuação
Tema 1: Movimento jovens cientistas
Provocadora: Luana Bonone (presidente da ANPG)
Local: Auditório 11 – 1° Andar

Tema 2: Movimento de cultura.
Provocador: Rafael Buda (coordenador do CUCA)
Local: Capela

Tema 3: Movimento de jovens ambientalistas.

Provocadora: Karen Castelli (diretora de Meio Ambiente da UJS)
Local: : Auditório 13 – 1º andar

Tema 4: Jovens esportistas

Provocador: João Hermínio (presidente da Frente Nacional de Torcedores)
Local: Auditório 31 -3º Andar

Tema 5: Movimento LGBTT
Provocador: Thiago Franco (diretor de LGBT da UJS)
Local: Auditório 51 – 5º Andar

Tema 6: Movimento de jovens mulheres.
Provocadora: Camila Silveira (diretora de Mulheres da UJS-CE)
Local: Auditório 53 – 5º Andar

Tema 7: Movimento de combate ao racismo.
Provocador: Giovanny Kley (diretor de Combate ao Racismo da UJS)
Local: Auditório 33 – 3º Andar

20h00 às 22h00 – Jantar
Local: R.U. da UERJ

20h00 às 22h00 – Festival de cultura #nasredesenasruas
Local: Praça de Convivência

22h00 às 24h00 – Atividade cultural
Local: Escola de Educação Física da UFRJ

Sexta-feira 8 de junho de 2012

09h00 às 12h00 – Ciclo de debates
Tema: A crise do capitalismo e as lutas dos povos pela construção de um novo mundo.
Convidados: Maximiliem Sanches (embaixador da Venezuela no Brasil), Ricardo Abreu (secretário de Relações Internacionais do PCdoB), Lindbergh Farias (senador – PT/RJ), Hanói Sanches (secretário-geral da FMJD), Ana Maria Prestes (secretária adjunta de Relações Internacionais do Ministério do Esporte);
Local: Auditório 11 – 1° Andar

Tema: A Rio + 20 e a juventude.
Convidados: Aldo Arantes (Presidente do INMA e secretário de Meio Ambiente do PCdoB), Lucia Stumpf (secretária de Movimentos Sociais do PCdoB), Ângela Guimarães (presidenta do CONJUVE);
Local: Auditório 13 – 1º andar

Tema: Nas Redes e nas Ruas
Convidados: André Tokarski (presidente da UJS), Sérgio Amadeu (professor da Cásper Líbero e ex-presidente da Ubes), Paulo Henrique Amorim (jornalista e blogueiro), Rodrigo Vianna (jornalista e blogueiro);
Local: Capela

Tema: O Hip-Hop está morto! Lançamento do livro e debate sobre o movimento Hip-Hop
Convidados: Toni C. (dirigente da Nação Hip-Hop e autor do livro O Hip-hop está morto), Beto Teoria (presidente da Nação Hip-Hop) e Aliado G (ex-presidente da Nação Hip-Hop)
Local: Auditório 31 – 3º andar

12h00 às 14h00 – Almoço
Local: : 3º andar, 5º andar, 9º andar e 11º andar

12h00 às 15h00 – Festival de cultura #nasredesenasruas
Local: Praça de Convivência

15h00 às 17h00 – Oficinas das áreas de atuação, frentes, prática esportiva, mostras culturais e GTS da Tese.
Tema 1: Organização

Responsáveis: Monique Lemos (diretora de Organização da UJS)
Local: Auditório 11 – 1° Andar

Tema 2: Comunicação

Responsáveis: Ismael Cardoso (diretor de Comunicação da UJS)
Local: Capela

Tema 3: Finanças
Responsáveis: Edilson Fialho (tesoureiro da UJS)
Local: Auditório 13 – 1º andar

Tema 4: Formação

Responsáveis: Thiago Andrade (diretor de Formação da UJS)
Local: Auditório 31 – 3º andar

GT DA TESE – 4 grupos de discussão

GT ELEITORAL – Debate da Plataforma Eleitoral da UJS
Danilo Moreira, Marcelo Gavião
15h00 às 18h00 – Festival de cultura #nasredesenasruas
Local: Auditório 51 – 5º Andar

17h00 às 18h00 – Juventude, Memória e Verdade – Tarda Mais Não Falha: 40 anos da guerrilha do Araguaia
Convidados: Rappin Hood (rapper), Vandré Fernandes (diretor do filme Camponeses do Araguaia: a guerrilha vista por dentro), Romualdo Pessoa Campos Filho (escritor do livro Guerrilha do Araguaia: a esquerda em armas) Maria Rita Kehl (Comissão da Verdade)
Local: Capela

18h00 às 20h00 – Jantar
Local: R.U. da UERJ

20h00 às 24h00 – Atividade cultural

Sábado 9 de junho de 2012

09h00 às 12h00 – Ato político
Tema: Nas redes e nas ruas, lutando pelo Brasil dos nossos sonhos.
Mesa: Renato Rabelo (presidente do PCdoB), Eduardo Paes (prefeito do Rio de Janeiro), Lindberg Farias (senador da República), Aldo Rebelo (ministro do Esporte), Aloizio Mercadante (ministro da Educação), Manuela D´Ávila (deputada federal – PCdoB/RS), Inácio Arruda (senador PCdoB/CE)
Local: Teatro da UERJ

12h00 às 14h00 – Almoço
Local: 3º andar, 5º andar, 9º andar e 11º andar

12h00 às 14h00 – Festival de cultura #nasredesenasruas
Local: Praça de Convivência

14h00 às 18h00 – Plenária final
Local: Teatro da UERJ

20h00 às 22h00 – Jantar
Local: R.U. da UERJ

22h00 às 24h00 – Show do congresso

Convidados: Bateria da Unidos da Tijuca
Local: Quadra da Escola de Samba Unidos da Tijuca

Domingo 10 de junho de 2012

08h00 às 10h00 – Torneio Esportivo
Local: Escola de Educação Física da UFRJ

11h – Passeata de encerramento do Congresso

Local: Praia de Ipanema

Fonte: UJS

Alexandre Lucas tem trabalho selecionado em Festival Nacional de Cultura

Alexandre Lucas tem trabalho selecionado em Festival Nacional de Cultura O artista/educador do Ceará, Alexandre Lucas, integrante do Coletivo Camaradas, teve trabalho selecionado para o Festival Nacional de Cultural da União da Juventude Socialista – UJS, que será realizado no Rio de Janeiro no período de 07 a 10 de junho. 
Trata-se do Livro e documentário “Entranhamentos – Entre arte, estética, política, cultura e educação”. O material aborda questões relacionadas a uma perspectiva de arte contextualizada com as realidades sociais. O material recebe o selo do Coletivo Camaradas, do Centro Universitário de Cultura e Arte – CUCA e do Programa Nacional de Interferência Ambiental – PIA. 
Para Alexandre Lucas, a seleção do material para o Festival vai possibilitar contribuir com o debate nacional sobre arte e política que vem sendo travado internacionalmente por diversos coletivos de artistas. Ela destaca que a região do Cariri já desenvolve discussões neste caminho, através da criação de vários coletivos nos últimos anos, como é o caso do Café com Gelo, Bando, Malungo, Xicra, Ocio, Poesia da Luz, Camaradas, dentre outros. 
O Festival Nacional de Cultura da UJS reunirá trabalhos nas diversas linguagens artísticas, além de abordar questões nas áreas cientificas, ambientais, midiáticas e tecnológicas. 
Tanto o livro como o documentário de Alexandre Lucas pode ser copiado sem necessidade de autorização. Lucas destaca que essa é uma das formas de democratizar a produção simbólica e reflexiva.

Cicuta

Sócrates foi executado como prisioneiro político , em 399 a.C.,   por ter influenciado seus discípulos  se postando contra a Democracia Ateniense. A seu ver o Estado devia ser governado pelo mais capaz e não por aquele escolhido pela maioria dos cidadãos. Olhando superficialmente,  o filósofo parece ter razão, mas aí vem a encruzilhada filosófica inevitável: — E quem escolhe e determina quem é o mais capaz? O Rei ? A Nobreza ?  O Poder econômico ? A história da humanidade, nos séculos seguintes, terminou por dar a resposta inequívoca à questão : Sócrates, neste quesito, estava errado,  mas a forma como enfrentou todas as vicissitudes até o sacrifício final perpetuou seu nome e o tornou um dos pensadores mais incensados da História.
                                   Passados os anos,   multiplicaram-se exemplos das claras deformidades da Democracia mundo afora. No Brasil mesmo, escândalo após escândalo, crise após crise, o povo põe continuamente em cheque a validade desta forma de governar. Alguns se mostram saudosos das Ditaduras de Vargas e de 64, outros  remontam até ao cretáceo, vislumbrando a Monarquia com seus Reis, Rainhas e Valetes. Churchill talvez tenha definido melhor esta questão quando disse: “A democracia é a pior forma de governo, exceto todas as outras que têm sido tentadas de tempos em tempos.”
                                   Em ano eleitoral, então, estes questionamentos ficam mais à flor da pele. Denúncias engavetadas por anos saltam na imprensa, com vistas a interferir na eleição que se avizinha. As vísceras da Política brasileira são postas à mostra e o povo humilde e trabalhador, no meio de tanta bandalheira, põe-se a engulhar. Corrupção; desvios de verba pública; deputadozinho ,com cara de sacristão, pego com a boca na botija; promiscuidade de governadores, deputados, senadores, ministros do supremo com a contravenção;  como suportar essa calamidade? A conclusão do brasileiro comum  é rápida , imediata : Política não presta, há provas irrefutáveis de que a  Democracia está falida como forma de Governo.  Diante da sacanagem perpetrada contra todos os pagadores de impostos,  algumas atitudes imediatistas são frequentemente tomadas pelo povaréu como aparente defesa contra o descalabro.
                                   A primeira delas é lutar pelo Voto Nulo ou Branco, alguns chegando até ao extremo de incinerar publicamente o Título Eleitoral. Medidas desta natureza eivam as Redes Sociais. No fundo, os revoltosos dizem : nenhum salafrário será mais eleito com minha participação. Pensam que assim se eximirão da culpa pelo estado de coisas que rola país afora. O protesto é totalmente inócuo. Corresponde àquela  providência tomada  pelo marido que encontra a esposa namorando com outro no divã e, revoltadíssimo com a traição, vinga-se vendendo o divã.  Nunca se vota nulo:  quando anulamos o voto estamos tomando partido e elegendo os piores. Peca-se na mesma intensidade por ação ou por omissão, não é ?
                                   A segunda  é mostrar-se saudoso dos períodos ditatoriais. Na época da Ditadura Militar isso não acontecia ! Ladrão ia para o paredão! Bastava apertar um pouco o cabra confessava tudo! A corrupção na ditadura era presentíssima e bem pior do que se tem hoje, apenas menos visível: velada sobre o manto da Censura e da Tortura.Sem Liberdade não existe civilização. Vivemos, hoje, em pleno Estado de Direito, o melhor período da história brasileira.
                                   A terceira postura  clássica é uma revolta desmedida e justificável contra a Corrupção. Perfeita no seu âmago, mas que guarda consigo um enigma. Por que elegemos políticos corruptos e pior que tudo: por que os reelegemos mesmo depois dos escândalos ? A verdade é dura, mas precisa ser engolida: eles não são tão diferentes dos seus eleitores. A corrupção faz parte do nosso cotidiano : vendemos o voto por empregos, por licitações, por telhas e tijolos; buscamos colocação para os filhos por pistolão; tentamos nos dar bem em qualquer função que assumimos; compramos o Guarda de Trânsito para evitar a multa. O político brasileiro é apenas a imagem do seu eleitor refletida no espelho. Um corrupto por atacado , eleito por vários corruptozinhos do varejo. Só mudarão quando a sociedade mudar e, educada politica e socialmente, possa triar melhor seus representantes.
                                   A mais freqüente conduta, no entanto, é de uma total aversão à Política. As pessoas ,diante dos escândalos, se afastam dela como Vampiro do alho. Os mais dignos temem chegar perto com medo de se contaminarem com a podridão reinante. Os maus baldeiam a água para que só eles tenham a coragem de beber. E muitos gritam : “Deus me livre de política, quero é distância!”  O grande problema é que somos seres políticos por excelência. Todas as atitudes humanas são banhadas em maior ou menor proporção nas águas da política. Até a decisão de fugir da política é por se só um ato político. Seria como o mecânico de automóveis resolver que não quer nunca mais se melar de óleo. Não tem jeito, estamos no meio da tempestade: a molhadeira é inevitável. Ou tentamos abrir a capa para minorar o encharque ou negamos a existência do temporal.
                                   As eleições estão próximas. Com a nossa participação ou nossa apatia seremos vítimas ou beneficiários do seu resultado. Se não nos fizermos agentes de mudança teremos que engolir depois a Cicuta, como Sócrates o fez, a contragosto,  no berço da Democracia.
J. Flávio  Vieira

Convite Filme – “Cego Aderaldo o Cantador e o Mito”

A Cariri Filmes e o Cine Ceará têm o prazer de convidá-lo para a exibição (hors concours) do filme: 

“CEGO ADERALDO – O CANTADOR E O MITO”,

um documentário de Rosemberg Cariry
Imagem inline 1



Local: Cine Ceará – Theatro José de Alencar (Rua Liberato Barroso, 525 – Centro, Fortaleza/CE)


Data: 03 de junho (domingo)


Horário: 21 horas


Entrada gratuita!

Sinopse: Cego Aderaldo (1878 – 1967) foi não apenas o maior nome da poesia cantada e improvisada no Brasil, foi também um mito nacional. Cego Aderaldo adotou e criou, como filhos, 26 crianças. A todos deu estudo e profissão. Inovador e criativo, foi exibidor de cinema na década de 30 e levou a cantoria para grandes capitais, onde era saudado como personagem da dimensão de Padre Cícero e Lampião. A sua obra influenciou a música popular e as artes brasileiras, nas décadas de 50 e 60. O filme conta a história deste artista extraordinário, revelando as suas lutas e as suas vitórias, mostrando as dimensões do homem que, superando todas as adversidades, voa até a glória e se encanta no mito.
Ficha Técnica:
Roteiro e Direção: Rosemberg Cariry
Produção Executiva: Bárbara Cariry
Direção de Produção: Teta Maia
Direção de Fotografia e câmera – Daniel Pustowka   
Montagem: Rosemberg Cariry e Firmino Holanda 
Técnico de Som:  Yures Viana
Patrocínio: Secretário do Audiovisual – SAV/MinC e TV Brasil.

Informações: Cariri Filmes Fone:(85) 3244 6944

Ocupação Fotográfica em Barbalha


Fotógrafos profissionais, curiosos e amantes da fotografia
Neste domingo, a partir das 7h00 ( manhã),na Praça Cristo Reis – Crato  está sendo organizado pelos diversos Coletivos da região do Cariri  (Coletivo Camaradas, Xicra, Bando, Café com Gelo, Poesia da Luz), a OCUPAÇÃO FOTOGRÁFICA  em Barbalha, por conta da Festa do Pau de Santo Antônio. A intenção é registrar o cortejo que reúne os mais diversos grupos da cultura popular e toda a movimentação na cidade. 
Iremos para Barbalha no ônibus da Via Metro. Leve sua maquina fotográfica ( amadora, semi ou profissional). A OCUPAÇÃO FOTOGRÁFICA EM BARBALHA  é uma forma de registrar a memória social/cultural e diversa do povo brasileiro. 
Esse será um importante momento para aproximar coletivos, amigos e artistas.   
Informações: (88)88260008 – 92604870 – 96616516