Carta Aberta

Aos participantes da Conferência Municipal da Cultura de Juazeiro do Norte

As conferências municipais da Cultura representam um marco na luta por políticas públicas no país e um espaço privilegiado para aprofundar, defender e ocupar as cavidades políticas que norteiam o Plano Nacional de Cultura e o termômetro das demandas dos segmentos ligados aos fazeres e pensares artísticos e culturais.
Reconhecer as Conferências Municipais como sendo as trincheiras de luta dos artistas, dos brincantes, dos escritores, dos poetas, dos produtores e dos que não tem acesso aos bens simbólicos é um passo adiante no vem sendo desenvolvido no país, aonde os movimentos sociais e os segmentos ligados diretamente e indiretamente a produção e fruição cultural e artística vem assumindo papel de protagonista e conquistando espaços nunca vistos na história deste país.
Atualmente vivemos a efervescência de uma política de descentralização de recursos públicos e de compartilhamento de responsabilidades dos poderes municipais, estaduais e nacional.
É neste clima de novidade, de democratização dos espaços de discussão e de participação que o movimento organizado joga papel impulsionador para consolidação e avanço das políticas públicas para a cultura, tendo como norte o empoderamento e a mobilização como ferramentas importantes desta luta política.
É preciso concatenamos com a conjuntura nacional e compreender o conceito bem sucedido do Programa Cultura Viva e dos Pontos de Cultura que é uma das inúmeras conquistas do campo cultural e que repercutem diretamente nos municípios cearenses e o Juazeiro do Norte é um dos exemplos da importância da injeção de recursos públicos de forma descentralizada.
A Conferência Municipal da Cultura de Juazeiro do Norte é um dos inúmeros palanques dos que pensam e fazem arte e cultura (todos fazem cultura) no Brasil. Aproveitemos essa trincheira, esse é o nosso palanque.

Alexandre Lucas
Coordenador Geral
Coletivo Camaradas

Deixe uma resposta