Oficina de Teatro do Oprimido no Crato

Grande contribuição para arte engajada será experimentada neste sábado, dia 29. Um teatro aonde o povo são os personagens.

Integrantes do Programa de Assessoria Jurídica Estudantil – PAJE realizará oficina sobre Teatro do Oprimido neste sábado, dia 29, das 8 às 12 horas horas, na sala de Especialização da Faculdade de Direito da Universidade Regional do Cariri – URCA – Campus São Miguel.

O Teatro do Oprimido, desenvolvido pelo dramaturgo brasileiro, Augusto Boal, falecido esse ano aos 78 anos é um método estético que sistematiza exercícios, jogos e técnicas teatrais que objetivam a desmecanização física e intelectual de seus praticantes, e a democratização do teatro. O Teatro do Oprimido cria condições práticas para que as camadas populares se aproprie dos meios de produzir teatro e assim amplie suas possibilidades de expressão. Além de estabelecer uma comunicação direta, ativa e propositiva entre espectadores e atores. Para Boal todos podem fazer teatro. Todos podem ser personagens das suas próprias vidas.

A integrante do Pajé Jordanna Monteiro destaca que a oficina será gratuita e que a expectativa é reunir 40 participantes. Informações adicionais: 92471411.

Boal no Cariri

Augusto Boal esteve no Cariri em abril de 1988, na cidade de Barbalha-CE, ministrando curso de teatro a convite do Grupo Artístico-Cultural Poesia, Vida & Sangue, então presidido pelo ator e dramaturgo Cacá Araújo. Na época o projeto teve o apoio da URCA e de algumas prefeituras da região do Cariri. Na ocasião participaram diversos atores, diretores de teatro e dramaturgos do Ceará, dentre eles citamos Oswald Barroso, Cacá Araújo, Rejane Reinaldo, Jean Nogueira, Ricardo Correia, Orleyna Moura, Marcos Carvalho, Gênes de Alencar, José Wilton “Dedê”, Edmar Soares, Alemberg Quindins e Adriana Pinheiro. ( fonte: Cacá Araújo)

Deixe uma resposta