Arquivos mensais: Maio 2009

A SOCIEDADE DE CULTURA ARTÍSTICA DO CRATO, PONTO DE CULTURA DO BRASIL – MINISTÉRIO DA CULTURA, EM PARCERIA COM A ACADEMIA DE ARTES E BALLET CAROLINA ROCHA
APRESENTA

“BALLET IN CONCERT”
LOCAL: Teatro Rachel de Queiroz nos dias 22 e 23 de maio de 2009 – sexta feira e sábado, 19:30h.
A singeleza e a arte de que se reveste esse espetáculo demonstrarão a capacidade e a cultura próprias do corpo de baile, formado não só de jovens como também de crianças.
A direção é de Carolina Rocha – Professora de Ballet Clássico da Sociedade de Cultura Artística do Crato – SCAC.
Alunos e familiares da SCAC estão convidados a assistirem esse espetáculo.
Os amigos e admiradores da arte, os Pontos de Cultura do Ceará não podem perder a oportunidade de participar de um momento de encanto, beleza e magia dos passos clássicos de reconhecidos bailarinos.
Divani Cabral – Diretora Artística da SCAC

Diversidade e participação marcam lançamento do CUCA

A criação do Cuca é um fato histórico no Cariri. Depois de oito anos de tentativas é lançado o primeiro CUCA da UNE no Ceará, vinculada ao Instituto CUCA. A Programçao tem continuidade até sexta-feira,dia 22.



A Escola de Cultura Berimabarte de Capoeira deu uma aula de história e cultura no lançamento do CUCA Cariri, nesta ultima quarta-feira, dia 20, no Salão de Atos da URCA. Logo em seguida o resgate histórico da luta dos artistas e estudantes do Cariri, a diversidade cultural e a necessidade de parcerias marcaram os discursos da mesa de abertura, composta por Maércio Lopes, presidente da Academia dos Cordelistas do Crato; professora Maria Isa Pinheiro Cardoso Gonçalves, pró-reitora adjunto de Extensão da URCA; Jéferson Luiz, diretor nacional da Nação Hip-Hop Brasil e Secretário da Cultura de Potengi; Alexandre Lucas, representante do Coletivo Camaradas, Anastácio Braga, gerente executivo do Centro Cultural do Banco do Nordeste; Zenaide Leandro, acadêmica de Administração da UVA, Jéssica Sampaio, acadêmica do curso de Teatro da URCA; Rudiney Souza, diretor da União Nacional dos Estudantes – UNE e Jean Alex de Alencar , coordenador do CUCA Cariri.

Para o coordenador do CUCA Cariri, Jean Alex “uma das questões de grande importância é que as universidades compreendam que a cultura é um bem de todos e que a região possui uma diversidade de manifestações e deve fortalecer a pesquisa, o registro e a valorização dos mestres e artistas populares ou eruditos através de ações pontuais guiadas por compromissos éticos e sociais”.

A professora e Cordelista Salete Maria produziu um cordel para homenagear o lançamento do CUCA intitulado “Oração ao CUCA e à cultura Cariri” que pode ser lido no blog: http://www.cucacariri.blogspot.com/.

A Coordenadora dos Pontos de Cultura da Unidade Gestora do Mais Cultura/Ceará, Norma Paula enviou carta saudando o lançamento do CUCA em que afirma “Acredito que o CUCA CARIRI contribuirá através da cultura, para a construção e execução, de uma política que estimule a formação de novos talentos no campo das artes, que preserve a memória do povo caririense através da identificação, da realização de eventos e formação de grupos locais, que fomente a discussão sobre a democratização dos meios de produção”. Ela se coloca a disposição inteira disposição, juntamente com os Pontos de Cultura do Ceará, para tornar o CUCA CARIRI um grande sucesso.

De “igual para igual” foi a mesa-redonda Cultura do Povo

Esse foi o clima que marcou a mesa-redonda “Cultura do Povo – Patrimônio de uma identidade” composta pelos mestres Pekeno, da Escola de Cultura Berimbalarte de Capoeira; mestre Antonio Luiz, do Reisado de Caretas do Sassaré – Potengi, Mestre Cirilo do Maneiro Pau da Bela Vista – Crato, Anastácio Braga, Gerente Executivo do CCBNB, João do Crato, cantor e militante dos movimentos sociais e o músico e compositor Abidoral Jamacaru. Num clima descontraído o publico escutou com dedicação as palavras sábias dos mestres, dos artistas e do gestor. A intenção da mesa foi oportunizar aos mestres que tivessem a possibilidade de dialogo com o público sobre os seus fazeres e manifestações, tendo em vista, que na maioria das vezes o tema “cultura do povo” é discutido sem a presença dos mestres e em alguns casos são chamados apenas para apresentações. Para Rebecca Sedrim, integrante do CUCA Cariri, os artistas populares devem ser escutados e propiciados momentos constantes de aproximação com o público, visando aproximar o povo da arte e da suas identidades culturais.

“Quero participar ativamente do CUCA”

Essas foram às palavras da acadêmica do Curso de Teatro da URCA, Jéssica Sampaio que animou os integrantes do CUCA. Ela ressaltou a importância de criação do CUCA Cariri e frisou também que a arte é mesclada de pratica e conhecimento, referindo-se a importância do estudo acadêmico para compreensão da arte e se colocou a disposição para construir e expandir o Centro Universitário e disse que é importante o envolvimento dos universitários.

Criação participativa


Estudantes e artistas criaram um painel onde puderam expressar a sua opinião em relação ao CUCA. Uma ação simples mas capaz de motivar a interação dos participantes e tornar-los parte do processo.




Começa mobilização no Cariri para Congresso da UNE em Brasília

Diretor da UNE, Rudiney Sousa participa de mesa redonda sobre movimento estudantil na URCA. O evento será aberto aos estudantes de outras Instituições de Ensino Superior – IES.

Os estudantes universitários da região do Cariri se preparam para participar do 51º Congresso Nacional da União Nacional dos Estudantes – CONUNE, que será realizado em Brasília, no período de 15 a 19 de julho, na UnB. O diretor da UNE no Ceará, Rudiney Sousa tem intensa programação na região, desde a semana passada ele vem realizando visitas e reuniões aos dirigentes dos Centros Acadêmicos e representações estudantis de faculdades e universidades do Cariri.
De acordo com Rudiney a expectativa no Estado do Ceará é eleger 120 delegados e frisa que só a região do Cariri poderá eleger aproximadamente 30. Ele enfatiza que deverá ficar na região até a próxima sexta-feira, dia 22. Rudiney destaca que além dos estudantes deverá se reunir com prefeitos, reitores e diretores de faculdades e universidades com o intuito de viabilizar o transporte e ajuda de custo para os universitários irem ao CONUNE.
A vinda do diretor da UNE à região deve ser também a participação dele na mesa redonda: Movimento estudantil; Filosofia, Políticas e Lutas que será realizada durante a Semana do Calouro da URCA, nos dias 18 (Campus Crajubar) e 19 (Campus Pimenta )pelo turno da manhã e noite. Já na quarta-feira, dia 20, participará do lançamento do primeiro Centro Universitário do Estado do Ceará – CUCA da UNE, às 8h00min, no Salão de Atos da Universidade Regional do Cariri.

Serviço:
Diretor da UNE Rudiney Sousa
(85) 86710065
Email: [email protected]

Novo filme de Jackson Bantim resgata lenda popular

Dia 17 de Maio de 2009, às 19h no Cine Teatro Municipal Salviano Saraiva será realizado o lançamenti oficial de “As Sete Almas Santas Vaqueiras”

Baseado em causos populares o filme “As Sete Almas Santas Vaqueiras” de Jackson Bantim resgata a lenda de um sertanejo que mantinha uma vida desregrada e que a partir de uma tragédia familiar tem a sua história transformada, num misto de magia e de manifestações da cultura do povo.
A produção do Filme teve início em outubro do ano e as filmagens externas foram produzidas no Distrito de Santa Fé, na cidade do Crato e contou com uma produção genuinamente caririense e contou com uma produção genuinamente do Cariri, desde o elenco aos técnicos.
Para o dramaturgo Cacá Araújo, que tem participação no elenco do filme, um dos destaques é o resgate de um causo popular desconhecido do grande público e o envolvimento de artistas, produtores e técnicos da região. Ele ressalta que essa participação demonstra a capacidade produtiva na área artística e cultural do Cariri.
O filme também apresenta uma das ultimas imagens audiovisuais do poeta, artesão, folclorista e músico, o Mestre Correinha que faleceu em dezembro de 2008. O grupo de Coco da Mulheres da Batateira da Mestre Edite Dias e a Lapinha da Mestra Zulene Galdino fazem parte da estética cinematográfica do cineasta Bantim.
Exibição dia 17 de Maio de 2009, as 19h no Cine Teatro Municipal Salviano Saraiva, Patrócinio: Prefeitura Municipal Crato, Secretária de Cultura do Crato e Universidade Regional do Cariri/URCA.
O filme é resultado de um esforço pessoal em parceria com artistas, produtores e técnicos do audiovisual e o incentivo da Secretária de Cultura do Crato e da Universidade Regional do Cariri/URCA. O filme tem a co-produção do grupo de pesquisa IMAGO/URCA.

Um camarada do Cinema no Cariri

Jackson Oliveira Bantim, é um dos pioneiros da cinematografia caririense já na década de setenta do século passado, o cineasta já se atrevia a mexer com cinema, inicialmente de forma bem rudimentar a base de uma técnica artesanal de projeção de imagens que se utilizava de lâmpadas, água e luz.
Com um histórico de participação em vários filmes como: Padre Cícero, Patativa do Assaré – Poeta do Povo , Lua Cambará, A Profana Comédia, Terra Ardente, Caldeirão da Santa Cruz do Deserto, Músicos Camponeses, Documentário Irrigação Dnocs, Cícera do Barro Cru, Tristão Gonçalves, Corisco e Dadá, Patativa do Assaré Ave Poesia, Lua Cambará nas Escadarias do Palácio, H20 Cariri, Capela Bom Jesus da Lapa 50 Anos, Foi Assim…Como Será? Chapada do Araripe.
As Sete Almas Santas Vaqueiras é o quinto filme dirigido por Jackson Bantim. Ele também dirigiu os filmes Antonio Gonçalves da Silva – O Amigo, Caldeirão em Festa, A Colheita dos Aniceto e Assombrações do Cariri.
Jackson Bantim também atua na fotografia, na produção cultural e é um defensores e divulgadores da cultura do povo.

Confira a programação do museu da sua cidade

Confira a programação do museu da sua cidade

A Semana de Museus é realizada em alusão ao Dia Internacional dos Museus (dia 18 de maio) com o propósito de integrar os museus brasileiros e intensificar sua relação com a sociedade. É realizada pelo Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Demu/Iphan) e pela Associação Brasileira de Museus (ABM). No Ceará, ação é capitaneada pelo Sistema Estadual de Museus, integrando 28 instituições localizadas por todo o Estado.

Confira a programação clicando aqui

A 7ª Semana de Museus culmina com a programação do Seminário Internacional Museu – Patrimônio de todos, no auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, dias 20 e 21 de maio, que contará com debates, palestras e cases de pesquisadores e museólogos.

Ministro da Cultura estará no dia 22 de maio em Fortaleza

Audiência Pública debate a revisão da Lei Rouanet na Assembléia Legislativa

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, estará nesta sexta-feira, dia 22, em Fortaleza, para apresentar à sociedade cearense a proposta de reformulação da Lei Federal de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet. O projeto de Lei será exposto a partir das 14h30min, durante audiência pública no plenário Treze de Maio da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará (AL) em debate com o secretário da Cultura do Estado do Ceará, Auto Filho, o deputado estadual Artur Bruno (PT) e o vereador Guilherme Sampaio (PT).

A Audiência Pública Lei Rouanet Entendimentos e Atualizações, requerida pelas Comissões de Educação, Cultura e Desporto da Câmara Municipal e da Assembléia Legislativa e também pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, visa explicar a nova proposta para a lei de incentivos a representantes dos setores artísticos, gestores culturais e demais interessados no tema.

Desde o lançamento da consulta pública, no dia 23 de março, o ministro Juca Ferreira e dirigentes do Ministério da Cultura vêm percorrendo capitais das cinco regiões do país para apresentar as alterações para a Lei Rouanet. Dentre as novidades apresentadas estão a instituição de fundos setoriais de financiamento a projetos dos diversos segmentos culturais, a criação da Loteria da Cultura e do Vale Cultura para estimular o consumo e permitir o acesso da população de baixa renda a bens e serviços culturais.

Serviço:

Audiência Pública Lei Rouanet – Entendimentos e Atualizações

Dia: 22 de Maio (sexta-feira)

Local: Plenário 13 de Maio da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará

Seminário Emergência Étnica debate a criação de centros de memória

Nos dias 15, 16 e 17 de maio, o Seminário Emergência Étnica: índios, negros e quilombolas construindo seus lugares de memória no Ceará reúne representantes dos povos indígenas, de comunidades quilombolas e do movimento negro urbano de todo o Ceará

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, por meio do Museu do Ceará e do Sistema Estadual de Museus do Ceará, em parceria com a ONG Instituto da Memória do Povo Cearense (Imopec), promovem nos dias 15, 16 e 17 de maio o Seminário Emergência Étnica: índios, negros e quilombolas construindo seus lugares de memória no Ceará, no CEU – Condomínio Espiritual Uirapuru. O evento reúne representantes dos povos indígenas, de comunidades quilombolas e do movimento negro urbano de todo o Ceará para discutir a criação de memoriais/museus, além de potencializar e estruturar outros centros culturais já existentes. Neste encontro serão debatidas e deliberadas propostas de políticas públicas para a área de museu, memória e patrimônio referentes às comunidades étnicas no Ceará.

Na programação serão apresentadas experiências de construções coletivas de museus afro, indígenas e quilombolas noutras regiões do Brasil. Entre 2008 e 2009, o Sistema Estadual de Museus do Ceará, vinculado à Secult, realizou visitas técnicas visando traçar um diagnóstico da situação dos espaços de memória em comunidades indígenas no Ceará, com o objetivo de incentivar a criação de memoriais étnicos. No seminário, os grupos visitados serão convidados a apresentar os seus relatos de experiência e a sua avaliação dos diagnósticos realizados. A seguir, todos os participantes serão divididos em grupos de trabalho específicos para elaborarem propostas dirigidas ao Governo do Estado do Ceará, que por meio da Secretaria da Cultura, disponibilizou recursos financeiros para a construção e/ou reorganização dos memoriais indígenas, e negros/quilombolas no estado.

O Seminário Emergência Étnica abre espaço para a história de grupos sociais que até bem pouco tempo atrás, estavam silenciada na historiografia e, sobretudo, nos museus históricos tradicionais, entendidos como espaços propícios à legitimação de uma “história oficial” dos grupos dominantes. Quando eram mencionados nesses espaços museológicos, tanto índios como grupos negros e quilombolas eram, em geral, apresentados como elementos “subalternos”, “primitivos” ou “exóticos” da nação brasileira. A ampliação de espaços que contem “outras” histórias permitem a reflexão sobre as potencialidades de espaços museológicos como ferramentas de luta política paera estes grupos sociais. Em consonância com a “história social” e a “nova museologia”. Este seminário pretende construir uma visão de museus enquanto espaços propícios para a difusão das trajetórias e memórias de luta e resistência dos grupos indígenas e negros/quilombolas.

Museus indígenas no Ceará – No início de 2009, graças a uma pesquisa etnográfica empreendida pelos técnicos do Sistema Estadual de Museus, foram diagnosticados três museus indígenas em funcionamento no Ceará: o Memorial Cacique-Perna-de-Pau, construído pelos Tapeba, em Caucaia; a Oca da Memória organizada pelos povos Kalabaça e Tabajara, em Poranga; e o Museu dos Kanindé, em Aratuba. Existem ainda alguns centros culturais considerados ‘lugares de memória” de outros grupos (Potiguara, Pitaguari e Tremembé), cada qual com suas funções específicas de acordo com a organização de cada povo.

Partindo dessas considerações, o Seminário se propõe a realizar um diagnóstico participativo destes museus existentes, com a mediação de técnicos especializados, possibilitando uma reestruturação dos acervos, conforme as normas da museologia contemporânea e as demandas de cada grupo visitado. A partir dos diagnósticos, serão apresentadas as propostas de reorganização dos “lugares da memória” já existentes.

Aos diagnósticos serão acrescidas novas informações acerca da atual situação dos grupos étnicos (indígenas, negros e quilombolas) cearenses, que ainda não possuem memoriais. Essas informações estão reunidas em três livros, lançados no evento: “Na mata do sabiá: contribuições sobre a presença indígena no Ceará” (organização: Estevão Palitot), “Negros no Ceará: história, memória e etnicidade” (vários autores) e “Trocas Étnicas: observações sobre espacialidade e culturas indígenas, negras e populares” (Alex Ratts). Os livros serão lançados como subsídios para os debates do Seminário.

Françoi Fernandes será um dos destaques do CUCA Cariri

Lágrimas no Papel tem emocionado o público com a interpretação comovente de Francoi Fernandes. A peça será apresentada no dia 21, às 18h30min, no Salão de Atos da URCA.

O período nefasto da ditadura militar é resgatado no monólogo “Lagrimas no Papel” de autoria e direção do dramaturgo Cacá Araújo. A peça é encenada pela atriz Françoi Fernandes e será um dos destaques das ações de lançamento do CUCA Cariri.
Inserindo-se no formato político do “teatro engajado”, o monólogo “Lágrimas no Papel”, baseado na história de Helenira Resende, comunista e líder estudantil assassinada pela repressão militar na região do Araguaia, durante a guerrilha em 1972, tem o objetivo de contribuir no debate acerca da Ditadura Militar e foi encenado na proposta de interpretação realista-naturalista.
A peça será apresentada no dia 21, às 18h30min, no Salão de Atos da URCA.
Francoi Fernandes é uma das atrizes que vem sendo reconhecida nos espaços do teatro caririense seja no palco ou nas ruas.
Com uma trajetória iniciada em 2004, atriz começou seus trabalhos teatrais nas experiências do teatro escola da EEFM Polivante em Juazeiro do Norte, tendo se inserindo depois no Núcleo de Estudos Teatrais do Sesc e participado dos grupos de Teatro Fênix e do GRUTEURCA. Atualmente Francoi cursa o terceiro semestre do Curso de Teatro da URCA.
Para a atriz interpretar a mãe da guerrilheira e líder estudantil Helenira Resende é resgatar a história do povo brasileiro que tenta ser escondida. Ela ressalta que se sente como um instrumento de resgate da luta política e da realidade. Françoi lembra que “Lágrimas no Papel” conta uma história que não deve voltar e reconhece o papel da mulher e líder política que se embrenhou nas matas do Araguaia para defender a liberdade e a justiça social. “Helenira foi uma guerreira, uma heroína que deve ser lembrada”, ressalta a atriz.
Em relação ao Centro Universitário de Cultura e Arte – CUCA Cariri, ela enfatiza que o CUCA é uma mais que uma oportunidade para as universidades e o Cariri e frisa que é uma necessidade. Francoi destaca que é preciso se fazer presente nas ações e na construção do CUCA.

Sinopse:
Uma senhora solitária transita pela saudade, angústia, dor, revolta, temor. Sua filha Helena, líder estudantil e guerrilheira, fora lutar nas selvas do Araguaia contra a ditadura militar que se instaurara no Brasil.
Na companhia de um álbum de fotografias, saboreia lembranças profundas e transita para a realidade que se insinua cruel. Notícias dão conta da morte da filha, mas uma doce insanidade alimenta a esperança de vê-la retornar. Fraca e doente, escreve a última carta para a filha, borrada pelas lágrimas derramadas.

Resgate Histórico
A Guerrilha do Araguaia, organizada pelo PCdoB, que durou de 1972 a 1975, é uma das mais belas e heróicas páginas da história do Brasil. Jovens ousaram se insurgir contra a ditadura militar, regime de submissão ao imperialismo norte-americano e de opressão violenta contra o povo, tolhendo-lhe a liberdade e os direitos fundamentais.
Guerrilha do Araguaia – a mais extensa e prolongada obra de resistência ao regime militar – completou 30 anos no dia 12 de abril de 2009. Uma avaliação do período é inevitavelmente rica. Em mais de três décadas, essa epopéia histórica do povo brasileiro foi indexada em milhares de páginas por inúmeras reportagens, estudos, pesquisas e, a cada ano, novas revelações incrementam a curiosidade persistente em torno do tema. É a derrota mais profunda da história oficial, que, nos 507 anos da formação do nosso povo, tratou de obscurecer incontáveis lutas, menosprezadas como episódios sem significação que firmariam a passividade como conceito diante da tirania e da desigualdade. Outras lutas memoráveis levaram muito mais tempo para que se conhecesse, ainda que parcialmente, a verdade dos fatos.
Ainda no início deste novo século, os arquivos acerca dessa guerra secreta permanecem vedados ao domínio público, mas hoje já é possível uma avaliação panorâmica dessa fase da nossa História, que se encadeia a muitas outras lutas do nosso povo, entre as quais se incluem episódios memoráveis como a Cabanagem, Guararapes, Canudos, Contestado, Revolta da Chibata, Quilombo dos Palmares, Revolução dos Alfaiates, o Levante de 1935 e, atualmente, os movimento que lutam por terra.

Ficha Técnica:
Texto e Direção: Cacá Araújo
Cenografia: Cacá Araújo e Gabriela Melo
Sonoplastia e Iluminação: Cacá Araújo
Figurino e Maquiagem: Joênio Alves
Operadora de Som: Mariana Nunes
Operadora de Luz: Andecieli Martins
Guarda-Roupa: Luciana Ferreira
Pesquisa Histórica: Viviane Maria Pereira de Carvalho, Sinara Rates, Glaíse Cristina Feijó, Socorro Amaral, Maria Willianes Vidal, Jucinéia Tavares da Silva, Amanda Séfora Sampaio, Maria Aparecida Santana.

Arte e Cultura dentro e fora das universidades do Cariri

Mesa redonda sobre “Cultura do povo – Patrimônio de uma Identidade” abrirá o lançamento do CUCA Cariri no dia 20 de maio. A mesa terá como debatedores os Mestres Cirilo, Antonio Luiz, Pekeno, Mestra Edite Dias, o músico e compositor Abidoral Jamacaru e o gerente executivo do Centro Cultural do Banco do Nordeste, Anastácio Braga.

O primeiro Centro Universitário de Cultura e Arte – CUCA do Estado do Ceará será efetivado na região do Cariri, depois de vários anos e diversas tentativas o CUCA será uma realidade para artistas e acadêmicos da Região. O Cuca Cariri fará parte de uma rede nacional ligados ao Instituto CUCA, que atualmente é um Pontão de Cultura do Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura.
Os CUCA´s tem como objetivo desenvolver atividades dentro e foras das instituições universitários possibilitando a interação e o intercâmbio entre as culturas, manifestações e produções artísticas acadêmicas e não acadêmicas. Outro fator importante dos CUCA´s é o registro da memória social através da linguagem do audiovisual, uma das ferramentas usadas pelos CUCA´s para fazer circular as produção de cada Centro. Através do blog: http://www.cucadaune.blogspot.com/ é possível assistir a TV CUCA, aonde são disponibilizados vários vídeos e documentários do Instituto.
Como ocorre nacionalmente, o CUCA Cariri será constituído por artistas e estudantes universitários de várias universidades da região e terá um caráter inclusivo e de ações colaborativas, não sendo, portanto uma entidade de representação, mas funciona como um coletivo. O Cuca Cariri realiza parceria com a Universidade Regional do Cariri – URCA, através da Pró-Reitoria de Extensão que irá garantir as condições de funcionamento dentro da instituição. Entretanto, o CUCA não tem vinculação com nenhuma das universidades ou faculdades da região, tendo ligação direta com o Instituto CUCA. Podem participar do CUCA, como parceiros e integrantes, grupos de artes, coletivos de artistas, produtores culturais, pesquisadores e demais interessados.
No país, os CUCA´s estão espalhados em 15 estados e desenvolvem atividades na área de arte e cultura em parceria com movimentos sociais, grupos de artistas, ONGs e instituições públicas.
Para o integrante do CUCA Cariri, o músico Jean Alex (foto), conseguir trazer o CUCA para região é uma conquista que pode favorecer e fazer circular a produção local. Ele enfatiza que o momento é de construção e que todos podem construir ações em parceria com o CUCA, independente de serem estudantes ou não. “Precisamos conhecer e se integrar aos acontecimentos artísticos e culturais do Cariri”, conclui.
A Pró-reitora de Extensão da URCA, Arlene Pessoa ressalta que a instituição tem tudo a ver com o CUCA pela diversidade de graduações ofertadas pela instituição e frisa o caso de algumas terem ligação diretamente com as artes, como é caso dos cursos de Teatro e Artes Visuais. “Acredito que essa parceria será importante para os movimentos das artes na Região”, frisa a Pro – Reitora.
A atriz Lílian Carvalho (foto) diz que esse será um espaço para promoção da Arte e favorecimento da efervescência cultural. “Arte é antes de tudo participação e esse é o convite do CUCA”, esclarece a atriz.
Durante o Congresso da UNE que será realizado em Brasília, no mês de julho deverá ocorrer mais Seminário Nacional dos CUCAS. Os seminários são momentos ricos para intercâmbio entre os Centros. O ultimo foi realizado em Janeiro em Salvador e contou com a participação dos Integrantes do Coletivo Camaradas que fazem parte do PIA, do Instituto CUCA.

Produção Universitária no Cariri
Na região do Cariri já vem sendo desenvolvidas atividades similares, como é o caso do Núcleo de Cultura e Grupo de Teatro da Faculdade Leão Sampaio, O grupo Medicina e Arte da Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte, O Grupo de Teatro dos Estudantes – Gruteurca e o Movimento Artístico Universitário – Mau, ambos da URCA ( desativados) e o grupo de Pesquisa Imago que trabalha com audiovisual. Outra experiência bem sucedida foi a circulação do “Informativo O Berro”. O Coletivo Camaradas também é um dos movimentos presentes no meio universitário caririense.
Desde que foi a realizada a primeira Bienal da UNE, 1999 os estudantes do Cariri vem participando do evento, tanto com trabalhos artísticos como acadêmicos. Na terceira Bienal da UNE, os Irmãos Aniceto se apresentaram em Olinda e na sexta edição “Abanda” grupo musical ligado a Casa Grande de Nova Olinda fizeram brilhante apresentação em Salvador. Acreditar-se que a tendência é um crescimento mais constante destas ações, tendo vista os cursos de Artes Visuais e Teatro da URCA e os possíveis cursos de graduação na área, que deverão surgir com a ampliação da Universidade Federal do Ceará – UFC, no Cariri.
Para o diretor da UNE no Ceará, Rudiney de Souza não é por acaso que o primeiro CUCA seja no Cariri e destaca a atuação do Coletivo Camaradas no Estado Ceará e a participação deste grupo no Programa de Interferência Ambiental – PIA, ligado ao Instituto CUCA, fator que contribuiu para efetivação Centro Universitário na Região.

Programação do CUCA
O lançamento do CUCA Cariri será no período de 20 a 22 de maio, na URCA e contará com oficinas, intervenção, roda da conversa, mostra de vídeo, peças teatrais, espetáculos de dança e performance poética e será em conjunto com a Semana dos Calouros da URCA promovida pelos estudantes e a Pró-Reitora de Assuntos Estudantis – PROAE.

Programação:

20/05 (QUARTA-FEIRA)
Manhã:
08h00min – Abertura
Apresentação da Escola Cultural Berimbalarte Capoeira
Local: Pátio da Pedagogia
08h30min – Composição de Mesa
Local: Salão de Atos
09h30min às 11h30min – Mesa Redonda: Cultura do Povo – Patrimônio de uma identidade
Tarde:
13h30min as 17h30m
Oficina: RPG – A socialização a partir do brincar
Ministrante: Marcos Severiano – Coletivo Camaradas
16h00min as 18h00min
Roda de Conversa: Música, filosofia e Arte
Ministrante: Rebeca Sedrim CUCA Cariri
Noite:
19h00min
Apresentação da Orquestra de Rabeca – Cego Oliveira
19h30min às 21h00min
Mesa Redonda:
Educação Popular,Cultura e Sociedade

21/05 (QUINTA-FEIRA)
Manhã:
09h00min
Mostra de Vídeo
Local: Sala de Vídeo – Campus Pimenta URCA/URCA
Tarde:
14h00min as 18h00min
Campus Pimenta
Oficina: Ator Social
Ministrante: Lílian Carvalho – Coletivo Camaradas
Oficina: Dinâmica com educadores
Ministrantes: Alunos do curso de Pedagogia
Oficina: Historia e Filosofia da Ciência na Física
Ministrantes: Ana Izabela,Elias de Sousa e André Fabio Gonçalves
Campus Crajubar
Oficina: RPG – A socialização a partir do brincar
Ministrante: Marcos Severiano – Coletivo Camaradas
17h00min Crato
Intervenção Corpo e corporeidade
Líllian Carvalho
Local: – Praça Alexandre Arraes – Crato
Noite:
18h30mim
Espetáculo Lagrimas no papel
Texto e Direção Cacá Araujo
Atriz: François Fernandes (Estudante do Curso de Teatro da URCA)
Local: Salão de Atos – URCA

22/05 (SEXTA-FEIRA)
Manhã
09h00min as 11h00min Mostra de vídeo
Sala de vídeo Urca
Tarde:
14h00min às 17h00min
Mostra de Vídeo
Sala de vídeo Urca
Noite:
19h00min
Espetáculo Vidarte – Dança
Espetáculos de dança do Projeto Nova Vida
Performance Poética Vanuzia Tavares
Local: Salão de Atos

Serviço:
CUCA Cariri
Lílian Carvalho (88) 88217970
Jean Alex (88) 96188882
Alexandre Lucas (88) 92485255
Bruna (88) 96083731