Arquivos mensais: fevereiro 2009

SEMINÁRIO NACIONAL AFRICANIDADES E AFRODESCENDÊNCIA

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICAS É O PONTO DE PAUTA DO SEMINÁRIO

O NACE – Núcleo das Africanidades Cearenses, o Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira – UFC. A Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará. O Núcleo de Estudos Afro-brasileiros – NEAB – UFES. O Programa de Pós-Graduação em Educação – UFES. Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. A Coordenadoria de Políticas e Promoção da Igualdade Racial – Prefeitura Municipal de Fortaleza. – COPPIR. O Núcleo Brasileiro, Latino Americano e Caribenho de Estudos em Relações Raciais, Gênero e Movimentos Sociais. – NBLAC. O Instituto Federal de Educação Tecnológica do Ceará – (Ex-CEFET- CE), A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade – SECAD – MEC. A Secretaria de Educação – Governo do Estado do Ceará. A OAB-CE – Comissão de Combate à Discriminação Racial e de Defesa das Minorias. – Instituto de Afirmação de Direitos – Igualdade e Justiça, entendendo a sua responsabilidade social com a educação e com o processo de inclusão social, convida os colegas para o “SEMINÁRIO NACIONAL AFRICANIDADES E AFRODESCENDÊNCIA: FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICAS” a ser realizado nos dias 23 a 27 de março de 2009 – na UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA-UFC-CE.

A comissão coordenadora do evento é composta pelos professores: Sandra Petit. (UFC); Joselina da Silva. (UFC); Henrique Cunha Junior. (UFC); Fátima Vasconcelos. (UFC); Maria Aparecida Santos Corrêa Barretos (UFES); Luiz Antônio Bernardo (COPPIR- Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial- Município de Fortaleza). Nossos mestrandos/ doutorandos/ bolsistas de IC têm participado conosco no processo de organização do evento.

O diálogo permanente entre as instâncias de produção de saberes, pode contribuir para a elaboração de políticas educacionais e para a responsabilidade de efetivar uma educação com a cosmovisão africana e as especificidades da sociedade brasileira como processo de dominação opressivo sobre os africanos e afrodescendentes nos diversos espaços geográficos da sociedade brasileira formam o núcleo de orientação conceitual desta formação.

Assim, parece-nos relevante a possibilidade de criar espaços-tempos para que juntos, Professores das Redes de Educação Pública e Privada. Pesquisadores nos temas da afrodescendência. Estudantes de graduação e pós-graduação. Membros dos movimentos sociais. Moradores de comunidades de quilombos do país possam refletir/produzir conhecimento sobre as formas de investigar os processos de formação de professores sobre africanidades e afrodescendência, introduzir e demarcar a importância desta formação teórica e produzir um cenário de demonstração de praticas possíveis para a formação e ensino das historia e cultura africana e afro-brasileira, como das formas de combate ao racismo anti-negro na sociedade brasileira, bem como criar uma rede de possíveis trabalhos conjuntos.

A Comissão Coordenadora do “SEMINÁRIO NACIONAL AFRICANIDADES E AFRODESCENDÊNCIA: FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICAS ” destaca a relevância da participação de todos, sobretudo pela pertinência desses debates estudos e pesquisas no cenário da educação nacional.

Estamos à disposição para maiores esclarecimentos. Nosso email é: seminariopedagogiaafrode@yahoo.com.br

Atenciosamente,

Henrique Cunha Junior. (UFC)

Maria Aparecida Santos Corrêa Barretos (UFES)

Comissão Coordenadora do SEMINÁRIO NACIONAL AFRICANIDADES E AFRODESCENDÊNCIA: FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICAS

Brazilian Frame … Moldura Brasileira …


Um índio ou caboclo um brasileiro – americano um franco –
português um montão de amigo baiano, japonês,
nissei,chinês (any citizen)norueguês,
italiano,(além do holandês)
Brazilians glacês:
O carioca
O sulista
O paulistano
O mato-grossense
O cearense
O sotaque pernambucano
Consumo do produto Paraguayano ,
Koreano, Taiwaino …
Alegorias desmedidas de um planalto
Republicano
Mix total Brasil
Paradoxo do Paraíso
Pós-POP natural
de uma jungle industrial.
Livro Íris Digital
Poema de Paula Valéria
(23 de outubro de 2000)

Contemplados do Revela Ceará


A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará reuniu nesta quinta-feira (11), na biblioteca do TJA, os contemplados do I Edital Revela Ceará Jovem nas categorias Primeiro Filme, Mídias Experimentais e Primeiro Álbum. Na ocasião, o Secretário da Cultura, Auto Filho, conversou com os jovens ganhadores sobre a política cultural do Estado e os procedimentos de contratação dos projetos aprovados pelo edital.

O mais novo edital da Cultura premiou quarenta (40) iniciativas de pessoas físicas entre 16 e 29 anos totalizando recursos diretos de R$ 500.00,00 (quinhentos mil reais) do Tesouro Estadual.

O edital Revela Ceará Jovem, voltado para as primeiras experiências de jovens com recurso público, vislumbra uma banca de orientadores que acompanhará passo-a-passo o desenvolvimento dos projetos selecionados até a prestação de contas.

A aposta do Governo Estadual vem direcionar os jovens – apontados pelo IBGE como o percentual da população mais ocupada com o setor cultural (31,9%) – a tratar com a burocracia de maneira saudável e revelar um novo modelo para este tipo de seleção pública.

Fonte: Secult/Ce

Minha Religião é o Prazer!


Confesso que quando te vi ali sentadinha a minha única vontade
seria pegar com uma certa força por o seu braço e te levar
a um local mais calmo, um pouco mais escuro e quente.
Talvez você pudesse me inibir por essa atitude tão enérgica,
mas e dai? Tanto faz … Queria você a todo preço, a todo
custo, a qualquer perigo.
Te pego pelo o braço e você me olha com um olhar de assustada
sem entender o que real estaria acontecendo…
E me pergunta:
– Para onde estamos indo?
Apenas olho para você e continuo a andar….
– Para estamos indo seu filho da puta?
– Não interessa, venha!
Encontro aquele lugar na esquina, já são mais ou menos 01:30 da
madrugada, não deve passar muita gente interessada no que possamos
fazer ou não, então relaxe a sua mente.

Te ponho contra a parede… Seu peito com o meu.
Posso sentir o seu mamilo rígido do frio encostar no meu piercing.
Te puxo um pouco mais de agressividade para dentro de mim,
posso sentir o seu suor me aquecer, o meu corpo pulsando,
a minha batida de encontro a sua, olho bem nos seus olhos,
não precisa dizer nada, seus olhos de ressaca já me fala
tudo que devemos fazer.
Vejo sua boca, seus lábios retilineos, proporcionais,
um tanto quanto volumosos, aquilo me dá água da boca…
Passo levemente a minha língua nos seus lábios enquanto a minha
mão segura seu cabelo, sua pele clara e delicada, parece que
ela me electriza a mente, só em sentir um pouco da sua energia.
E por fim nossas línguas se encontram, uma abraça a outra
sem nenhum perfil, nenhuma diplomacia e logo minha mão larga
seus cabelos, que por sinal já estão todos embaraçados.
Seu corpo parece um escorregador, da visão que tenho daqui…
Minha mão vai caindo descendo por todas a suas entranhas,
aperto um pouco com força a sua bunda deliciosa por baixo
desse vestidinho que adoro.
Seu mamilo passa entre os meus dedos, posso senti-los
cada vez mais rígidos… Quando suas unhas cravam em minhas costas e nuca.
Adoro quando você me chama: CACHORRO!!!
Não canso de te beijar, e sem nenhum controle ou equilíbrio dos meus
atos, eles parecer terem vida própria, sou apenas um instrumento de
transmissão para que eles existam.
Meus dedos, vão nos caminhos da sua virilha, até encontrar a sua calcinha.
Sinto úmida, e sinto o tecido de seda, aquilo deixou o meu pau a todo
vapor, sinto como se ele quisesse pular da calça.

Meus dedos levemente começam a sentir toda sua humicidade, enquanto
minha língua derrete a sua saliva na minha.
Mais delicado ainda o carinho que seu clitórs recebe, quando não
aguento mais te olho, e suplico:
– Quero te chupar!
– Então chupa!
– Chupo!

Me ajoelho na altura da sua xotinha, que por sinal estava linda, com
aquele modelo móicano que adoro…
Olhei bem para ela, e disse: Como você é bela!
Ela parecia estar sorrindo para eu beija-la…

(risos)


Foi isso que aconteceu… Minha boca toda a cercou, pude
xupar todos
seus lábios, minha língua entrava macia em você, quando olhava para cima
você estava com suas duas mãos empurrando mais a minha cabeça contra você.
Via suas pernas relaxar e contrair ao mesmo tempo, era tudo muito rápido…
Fui passando a minha língua úmida por toda sua xota que confesso estar
completamente dedicado a ela… Ela me apaixonou!
Depois você me puxou, me colocou na parede, ainda com a sua humidade em meus
lábios fiquei te olhando, abriu a minha calça e baixou o meu zipper, se ajoelhou
e começou a me xupar, aquilo me levou a outro além onde ainda não
conhecia, não conseguia sentir nada além de nós, derrepente todas as pessoas
somem do mundo, estamos só nós dois ali…
Você xupa gostoso e parece gostar do que faz, pois faz com muito carinho
e amor, o que me faz ir em qualquer lugar do espaço.
Quando pedi para você parar um pouco pois iria gozar, puxei seu cabelo!
Você se levantou me deu um beijo que perdi o meu fôlego, ficou passando
o meu pau na sua xaninha extremamente molhada, quando não se tinha mais
ar para se perder te ponho contra a parede, de costas para mim, consigo ver
todo o seu cabelo de lado, suas duas mãos na parede e você me olha e diz:

– Você pensa que vai me comer seu Filho da
puta?
– (???)
– Não vai não seu cachorro!

Vamos ali comprar mais cervejas e cigarros…

Seu cheiro ficou empreginado em meu nariz…!

Adorei seu gosto!


Goza para mim?

Luz e amor a todos…!

Carlos Henrique.

Fórum abre exposição dos detentos nesta segunda

Nesta segunda-feira, dia 16, a partir das 08h00 horas, a exposição Ninho já estará aberta para visitação no Fórum Hermes Parayba, na cidade do Crato . A exposição reúne trabalhos dos detentos e detentas das cadeias públicas das cidades do Crato e Várzea Alegre.
A exposição teve a curadoria do Coletivo Camaradas e é uma realização da Comissão de Direitos Humanos da OAB, em parceria com a Universidade Regional do Cariri, através da Pró-Reitoria de Extensão e Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC, Projeto Nova Vida, Juiz da Vara de ExecuçõesPenais/ Comarca de Crato, Sesc Crato, Coletivo Camaradas e Cadeias Públicas de Crato e Várzea Alegre.

O livro Arte e grande público

O livro Arte e grande público
a distância a ser extinta
Autor: Maria Inês Hamann Peixoto

Nº de Páginas: 110 pgs

Nº da Edição: 1ª edição (2003)

ISBN: 85-7496-065-9

Valor: R$ 19,00

Este texto ( Livro) é desafiador e ousado. Resulta do grito de uma artista plástica que mergulha no universo filosófico marxista para compreender as relações entre arte, artista plástico e grande público, nos intestinos da sociedade capitalista. O grande intento perseguido pela autora é propor a democratização da arte, a arte para todos, na contramão do status quo: de uma arte mercadoria para uma arte fonte de humanização. (trecho de texto de quarta capa escrito pelo Prof. Dr. José Luis Sanfelice)

Curso de Apreciação de Arte: Arte e Marxismo no BNB

Ministrante: Alexandre Lucas

Dias 17, ter,18, qua,19, qui e 20 sex, 18h
Local: Centro Cultural do Banco do Nordeste – CCBNB Cariri

Quais as relações existentes entre arte e sociedade? Quais as contribuições do Marxismo para compreensão da arte? Durante o curso, a teoria do materialismo histórico dialético elaborada por Karl Marx e desenvolvida por outros teóricos enfocará a questão artística. Inscrições: A partir de 03 de fevereiro de 2008, na recepção do CCBNB Cariri. Vagas: 50. 12horas/aula.

Exposição Ninho expõe trabalhos de detentos no Fórum do Crato

Oficina de marmorização realizada na Cadeia Pública do Crato

A curadoria da exposição é do Coletivo Camaradas e levar o discurso dos detentos e das detentas em evidência.

No período de 16 a 20 de fevereiro será realizado no Fórum Hermes Parayba, na cidade do Crato a Exposição Ninho, a qual se trata de trabalhos produzidos por detentos e detentas das cadeias públicas das cidades do Crato e de Várzea Alegre. Os trabalhos de arte e artesanato foram confeccionados durantes oficinas de Percepção de Imagem, Marmorização, Pintura em Cerâmica Quebrada, Peças de Papel Jornal, Crochê, Corte e Costura. Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, Subsecção Crato, Hermano José de Sousa, o intuito é provocar a discussão sobre o papel da reeducação e resocialização dos detentos e detentas com vista a reinserção social. A concepção da exposição foi realizada pelo Coletivo Camaradas que faz um questionamento e colocar o discurso do encarcerado como parte integrante do repensar sobre o sistema prisional.

Exposição Ninho

A exposição Ninho é o resultado e crença na viabilidade de conceber o sistema prisional como instrumento de reinserção social. É fruto do trabalho de tomada de posição, que em condições adversas e com recursos escassos, voluntários vestem a camisa da fraternidade e do compromisso com as camadas populares.

O que seria um ninho? Pode ser um emaranhado de galhos…como pode ser o afeto. Ninho é um buraco no chão ou não. Lugar aconchegante, local de proteção. Ninho é um local determinado para se deixar filhotes, recém nascidos que precisam de conforto e carinho para sobreviverem, lugar de repouso, de abrigo, habitação. Espaço de convívio, de aprendizagem, de conflito.

O que seria uma cadeia então? Uma reclusão? Seria o fim de uma reta? Ausência de vida? Tortura? Prisão? Ambiente fechado? Um grupo de animais? Cárcere? Servidão? Local aonde se coloca os presos? Elementos unidos?

Qual a analogia possível entre ninho e cadeia? Qual o papel do sistema prisional? ser ninho ou ser cadeia? Ou nenhum dos dois?

“Tenho muito para reconquistar quando sair daqui….” “tenho muita esperança que um dia irei reconstruir tudo que perdi na minha vida”. “A destruição também mora neste lugar”. “O clima é de tensão maldade e inveja”. “É difícil ter mente sã”. “Eu quero o bem”. “Mudar de vida e sair do crime”. Esses são fragmentos recolhidos de vários detentos durante as oficinas realizadas na Cadeia Pública do Crato que demonstram o caráter conflitante dessas pessoas que tem na sua maioria um traço peculiar, uma trajetória de vida marcada pela exclusão social.

Um texto construído de fragmentos, assim como são estilhaçadas as biografias dos detentos e detentas. Um texto brechiano* para apropriação de uma dada realidade.

O tempo do Ninho é para aprender a voar.

Alexandre Lucas
Pedagogo e Artista Visual
Coletivo Camaradas

* ver Bertolt Brecht, poeta, dramaturgo, teórica de arte e revolucionário.

Sobre a exposição

A exposição Ninho é fruto do trabalho coordenado pela Comissão de Direitos Humanos OAB – Subseção Crato em parceria com a Universidade Regional do Cariri – URCA, através da Pró-Reitoria de Extensão – PROEX, Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC, Direção da Cadeia Pública, Projeto Nova Vida e voluntários que consiste na realização de oficinas para detentos/detentas da Cadeia Pública do Crato . Os trabalhos desta exposição são das oficinas de Percepção de Imagem, Marmorização, Pintura em Cerâmica Quebrada, Peças de Papel Jornal, Crochê, Corte e Costura. A exposição reúne também trabalhos dos detentos/detentas da Cadeia Pública de Várzea Alegre. A concepção da exposição ficou a cargo do Coletivo Camaradas e o titulo foi proposto pelos próprios encarcerados.

Exposição Ninho
Trabalhos de detentos e detentas das cadeias públicas das cidades de Crato e Várzea Alegre

Realização

Comissão de Direitos Humanos OAB/Crato

Parcerias

Pró-Reitoria de Extensão da URCA
Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC
Projeto Nova Vida
Juiz da Vara de Execuções Penais/ Comarca de Crato
Sesc Crato
Coletivo Camaradas

Curadoria

Coletivo Camaradas

DESCULPAS

Crato, 12 de fevereiro de 2009.
ILMA.SRA.
Teresa Cristina C. Martins
Presidenta do Fórum de Turismo e Cultura do Cariri

Prezada presidente e demais membros do Fórum,

A luta pela democratização do acesso aos recursos públicos e pela desburocratização das leis de incentivo às artes é e continua sendo um compromisso do Coletivo Camaradas, que desde o seu processo de criação teve de forma clara e conseqüente um posicionamento político em defesa da arte e da cultura e independente dos Governos Municipais e Estadual. Por diversas vezes articulamos, divulgamos e manifestamos a nossa posição sem camuflar nossas intenções. Somos fazedores e pensadores de arte e entendemos que esse é um momento propicio para fazer ampla frente de mobilização possibilitando que o Governo do Ceará favoreça o fomento à Cultura e da arte tão diversa e plural no nosso Estado.

Neste sentido, aproveitamos para pedir desculpas a todos os participantes do Fórum de Turismo e Cultura do Cariri, pela nossa ausência na reunião do dia 12 (quinta-feira). Ocorreram diversos impedimentos que e inviabilizou a nossa participação. No entanto, reafirmamos nosso total e irrestrito apoio à luta pela desburocratização no fomento a arte e a cultura, bem como a nossa atitude contraria ao financiamento público das grandes “pornobandas” como vem fazendo o Governo Cid Ferreira Gomes.

Enfatizamos também como pontos essenciais para desburocratização das leis de Incentivo, o que segue:

1. Ampla mobilização dos fazedores e pensadores de Arte e Cultura do Estado do Ceará com o intuito de orientar e capacitar sobre os aspectos legais e práticos das leis de incentivo. Trabalho que deve ser de exclusiva e total responsabilidade da Secretaria de Cultura do Ceará, visando evitar os atravessadores da arte e da cultura (os profissionais de projetos);
2. Simplificação dos formulários previstos nos editais de incentivo, seguindo os exemplos propostos pelos editais da FUNARTE e Centros Culturais do Banco do Nordeste;
3. Solicitação de obrigações legais, somente após seleção de projetos;
4. Financiamento total dos projetos;
5. A inclusão das pequenas empresas nas leis de incentivo.

Saudações culturais,

Coletivo Camaradas

Comunidade do Gesso terá oficina sobre Arte e Cidadania

Dentro do Projeto da Exposição “Cabaré: Memórias de uma vida”, proposta pelo Coletivo Camaradas ao Centro Cultural do Banco do Nordeste, a comunidade do Gesso, na cidade do Crato será beneficiada com duas oficinas sobre Arte e Cidadania, com dois dias de duração cada uma. A primeira oficina terá inicio nesta quarta-feira, dia 11. a partir das 18 horas. O objetivo da oficina é favorecer a aproximação do grande público com o fazer e pensar da arte engajada a partir da linguagem contemporânea. A estratégia pedagógica utilizada será o uso de imagens do cotidiano como forma de refletir sobre a realidade social.
A segunda oficina será realizada no período de 04 a 05 de março. Já nesta sexta-feira, dia 13, O Coletivo realizará uma reunião na comunidade do Gesso a parti das 15 horas, no Salão do Projeto Nova Vida, aonde os “Camaradas” apresentarão e discutirão com a comunidade o teor da exposição “Cabaré: Memórias de uma vida”.

Os trabalhos na comunidade foram iniciados no ultimo final de semana

No ultimo sábado ( dia 07) pela manhã, os Camaradas realizaram filmagens, fizeram registro fotográfico, conversaram com a população, recolheram fotos antigas e planejaram a ações seguintes. Em diversos pontos foram afixados cartazes com palavra “Procura-se” convidando os moradores para as ações do Projeto.