O lutador.

Poema de autoria do filósofo comunista, Leandro Konder, inspirado na surra levada na adolescência e na frase: “Chega ou quer mais?”  

O lutador

O lutador 
Investe
Contra o oponente
Leva um soco
– peste! – 
Sente a dor
(um pouco)
e perde um dente. 
O lutador 
insiste
(o olho triste sem cor pisca). 
A mão avança e arrisca
um cruzado de esquerda. 
Pura perda. 
O adversário
– salafrário! – 
desvia
dança
faz que vai
não vai
E sorrindo feliz
martela-lhe o nariz
O lutador cai
!!!&&&???
O lutador levanta, 
limpa o rosto no braço, 
o pigarro na garganta, 
dá um passo à frente
e ataca novamente. 
Mas falha: 
O inimigo
– canalha! –
se esquiva
ao perigo
e passa à ofensiva. 
Consegue rodeá-lo
e golpeá-lo
no rim. 
O round chega ao fim, 
começa o intervalo. 
 

Deixe uma resposta