Coletivo Camaradas:  Vamos nos escrever

Por Alexandre Lucas*

É a partir da escrita que documentamos e damos elasticidade  a dimensão histórica e social da vida humana. Escrever é criar memória, história, ampliar visão social, reproduzir ideologia, formar, organizar e registrar compreensões de mundo. No Coletivo Camaradas, precisamos estar atentos  para importância da nossa escrita como forma de  construirmos uma  trama da nossa narrativa de organização.

Precisamos exercitar constantemente a nossa narrativa  e reflexão  sobre as nossas formas de organização e posicionamento diante das conjunturas.  Essa é uma contribuição que dá sustância ao nosso  próprio entendimento enquanto organização política de lado definido, ou seja, de esquerda e marxista.  A escrita sobre a nossa organização serve como bússola para orientar o trabalho político de cada militante. Militante sem norte político é agrupamento escasso de forma e conteúdo.

Duas questões se apresentam como importantes nesta construção: a criação de conteúdos a partir das demandas do cotidiano, registros das ações e  articulações e por outro lado a produção da pesquisa científica, ambos fazem para parte do mesmo contexto de edificação  da nossa narrativa e da luta na disputa de ideias.

A nossa prática política exige a dimensão científica como elemento de compreensão do que somos e do que queremos construir, sem perder o foco que enquanto organização marxista disputamos um projeto de sociedade e que na luta cotidiana enfrentamos as batalhas no campo da organização popular e das ideias.

Quando escrevemos sobre quem somos e o que queremos ser e construir,    estamos definindo a ocupação de um espaço político, com identidade e consistência. Entretanto, vale destacar que definir o que o somos e  o queremos, nos remete a uma reflexão mais profunda  do que a relação empírica, não  se trata apenas de descrever, mas de contextualizar o nosso lugar, saber e fazer dentro  de uma aspecto macro, o que numa compreensão dialética nos remete a relação de conjugar a teoria versus  prática para apreender uma nova ideia e nova pratica.

Ao escrever sobre nós, damos vazão para que nossas vozes sejam ampliadas e que nossa experiência seja replicada e isso faz com que as bandeiras  políticas  que defendemos ocupem as discussões nas esferas acadêmicas e no campo da luta popular.  A nossa escrita é base necessária para combustão da nossa agitação e propaganda e alimento para  subsidiar a luta pela disputa de um projeto de sociedade e do enfrentamento das lutas de  ideias.

*Pedagogo e integrante do Coletivo Camaradas.

Coletivo Camaradas pretende construir barracão comunitário no Gesso

O trabalho que vem sendo desenvolvido na Comunidade do Gesso pelo Coletivo Camaradas é um exemplo de ocupação criativa do espaço público com o intuito de pensar urbanismo e desenvolvimento social.

O grupo que já criou na comunidade um “terreiro”, que consiste num piso de cimento e alguns postes com refletores, vem servindo para diversas apresentações e diálogos com outras instituições. Conforme os integrantes do Coletivo Camaradas, esse espaço serve para fazer com que a comunidade seja percebida de forma positiva e contribui para a democratização do acesso a arte.

O Coletivo Camaradas quer construir mais um equipamento na Comunidade do Gesso. O novo desafio do grupo é levantar um “barracão comunitário”, uma tenda de alvenaria circular medindo 10 metros. O equipamento terá função multifuncional, servindo desde reuniões, encontros, cursos, feiras e espaço para o brincar. A intenção é que o equipamento seja construído ao lado da quadra.

Atualmente falta um espaço para as  crianças brincarem na comunidade. A quadra construída recentemente ainda não dispõe de luz e coberta. De acordo com a gestão municipal o projeto de cobertura e iluminação foi encaminhado para os tramites legais.

O Coletivo Camaradas encaminhará documento a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial para firmar parceria com o Governo Municipal.

O Barracão Comunitário  deverá ser financiado a partir de doações de material de construção e ações de arrecadação de recursos financeiros.  O projeto arquitetônico do equipamento foi elaborado  pelo arquiteto e urbanista Alexandre Lúcio Nunes.

Curso sobre protagonismo comunitário para jovens será realizado no Crato

Natália Pinheiro é um exemplo de jovem protagonista, poeta, estudante de história e militante do Coletivo Camaradas.

O Coletivo Camaradas e o Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Vila Alta estão organizando o curso “Protagonismo Comunitário para Jovens” destinado para estudantes das escolas do entorno da Comunidade do Gesso. O curso tem como objetivo contribuir para a formação dos jovens de sentido de possibilitar diálogos e interações  com a diversidade dos movimentos sociais da região do Cariri.

O curso deverá ter como conteúdo programático, a história,   pautas e as metodologias de organização dos movimentos sociais e  as atividades formativas serão mediadas pelos representantes de associações de bairros, coletivos, organizações juvenis, sindicais e professores universitários.

Os jovens terão como desafio na conclusão do curso, pensar no desenvolvimento de uma intervenção social na comunidade do Gesso.

Nesta segunda-feira, dia 16, às 15h, no Laboratório de Criatividade do Coletivo Camaradas, na Comunidade do Gesso, haverá uma reunião do planejamento do curso com a participação de representantes entidades dos movimentos sociais do Cariri.

Projeto aprovado pelo Ministério da Cultura incentivará brincadeiras na Comunidade do Gesso

Evecris Keilla – Pedagoga e integrante do Coletivo Camaradas

O Ministério da Cultura reconheceu com o Prêmio Culturas Populares  o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Coletivo Camaradas, na comunidade do Gesso, no Crato.

O Prêmio contemplará o projeto da “Brinquedoteca Popular” e tem o objetivo de envolver os  saberes e fazeres populares e acadêmicos,  proporcionado a aproximação dos grupos de cultura popular e as universidades da região do Cariri.

A pedagoga e integrante do Coletivo Camaradas,  Evecris Keylla, ressalta que  a brinquedoteca tem uma contribuição para comunidade, por oferecer momentos de aprendizagem e destaca que isso desperta a consciência critica das crianças. Evecris diz  que através desse espaço,  as crianças começam  a se envolver com as  ações do coletivo e da comunidade. A pedagoga acredita que esse trabalho discute questões que vão além das brincadeiras.

Para o pedagogo, Alexandre Lucas, integrante do Coletivo Camaradas, as brincadeiras são os  principais elementos de desenvolvimento intelectual, cultural, emocional, motor  e social das crianças. Ele destaca que o brincar proporciona a capacidade de tomar decisões e se  organizar. “A brincadeira é um ensaio para a vida adulta”, enfatiza o pedagogo.

O projeto prevê a realização vivências lúdicas,   oficinas de brinquedos  e jogos, intervenções urbanas, realização da Mostra de Pipas – Pipada, Dia das Crianças, Mostra Intercomunitária de Brincadeiras Populares, publicação de cordel e encontro pedagógico sobre o brincar.

A Pró-reitoria de Extensão – PROEX e o Núcleo de Educação Infantil – Nei, do curso de Pedagogia  da Universidade Regional do Cariri – URCA são parceiros do Projeto e estão lançando em conjunto uma chamada pública para mestres da cultura popular, brincantes, artistas, artesões,  estudantes e professores que desejem ministrar oficinas sobre jogos e brinquedos populares.

Irmãos Aniceto se apresentarão na Comunidade do Gesso

A Comunidade do Gesso receberá a banda cabaçal dos  Irmãos Aniceto, no dia 07 de abril. A banda se apresentará durante a Feira de Sustentabilidade – Trocaria.

A banda já tem dois séculos de uma tradição que resiste ao tempo e a quatro gerações, descendentes dos índios kariri. A Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto é um patrimônio do povo brasileiro, já tendo se apresentado em outros países.

O participação dos Anicetos na Comunidade do Gesso é fruto de uma parceria do Coletivo Camaradas com a Secretaria de Cultura do Crato.

A Feira de Sustentabilidade que acontece no Gesso, visa movimentar a economia local e democratizar o acesso a produção artística e cultural. Além dos Irmãos Aniceto a Feira contará com a apresentação do Núcleo de Experimentos em Dança com o frash mob “Toda vez que eu dou um passo, o mundo sai do lugar”,     a batalha de rap do Gesso protagonizada pelas crianças. O público contará ainda com vendas de livros, brechó, comidas, mudas de plantas e artesanato.

A Trocaria começa, a partir das 17h30, no largo do Gesso.

Encontro da Poesia gera desenvolvimento social no Gesso

Será que a comunidade do Gesso tem noção da importância do  Encontro da Poesia para o desenvolvimento social da cidade?  Essas são questões que  merecem reflexões para uma história que vem sendo  construída na comunidade e que se contrapõe a reproduzir a cultura das industriais culturais que reduz a amplitude da compreensão da realidade social e aliena a população.

O Coletivo Camaradas encara como desafio apresentar novas possiblidades estéticas e artísticas numa comunidade que historicamente foi excluída dos processos de integração comunitária e social.

O Coletivo Camaradas realizou no período de 08 a 11 de março, o Encontro da Poesia no Gesso que  movimentou a comunidade  com uma serie de ações relacionadas a democratização do livro, da leitura e da literatura.  O encontro faz parte das ações do Programa Território da Palavra que reúne diversas atividades que visam contribuir para uma cultura leitora na comunidade do Gesso.

Durante o encontro foram realizadas cinco oficinas nas escolas do entorno da comunidade, o que juntou  quase 200 alunos e sete oficineiros, como é o caso do escritor Paulo Soares, Luiz Renato de Souza Pinto, o rapper Dextape, o multiartista  Hamurábi Batistas, os artistas visuais Thiago Gabriel e Karina Sousa.

Foram recebidas na comunidade 32 estudantes da cidade de Piancó – Paraíba que puderam imergir nesta experiência do Coletivo Camaradas, participando da intervenção urbana Poste Poesia e interagindo poeticamente com as crianças da comunidade do Gesso.

O encontro contou com a participação  de trabalhos de escritores  do Mato Grosso, Pernambuco, Paraíba, São Paulo e Minas Gerais. Como é o caso de Carlos Barros , Luiz Renato de Souza Pinto, Solange Barreto, Junior Baladeira e Branca Claudino.

O encontrou contou com sarau feminista, onde reuniu diversas poetas da região Cariri, exposição da designer Renata Rosa e  Batalha de Rap do Gesso.

A economia local também foi movimentada, com a Feira de Sustentabilidade composta por sebo popular, comidas e artesanato.

O professor Suelanho Alencar, morador da Comunidade fez leitura de cordel que narra a diversidade cultural do Gesso.

Encontro aproveitou a presença dos gestores públicos

O encontrou também reuniu  gestores públicos e serviu para articular melhorias  para a comunidade e fazer  esclarecimentos. O prefeito municipal do Crato por exemplo foi provocado a esclarecer sobre o processo de coberta e iluminação da quadra do Gesso. A comunidade também solicitou a retirada de Feira de Animais que é realizada ao lado Quadra e o gestor municipal ficou de encaminhar a demanda para Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial. Aproveitando a presença dos representantes da Secretaria de Esporte do Município, os moradores  articularam atividades esportivas para o publico feminino e o fornecimento de material esportivo.   A coordenadora do Escritório Regional da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, Dane de Jade também esteve presente, além da pró-reitora  de Extensão de Universidade Regional do Cariri, Arlene Pessoa, a cordenadora da Incubadora  Tecnológica e Empreendimentos  Populares e Solidários – ITEPS, Victoria Régia.

Além de representantes do Projeto Nova Vida, SCAN, Vilarte, UJS, UJR, SINE/IDT, Academia dos Cordelistas do Crato.

Prefeito e secretários municipais são convidados para  abertura do  Encontro da Poesia no Gesso

Antônio Eduardo e Marcos Vinicius – Conduzirão os trabalhos de abertura do Encontro

O Coletivo Camaradas está encaminhando  documento convidando o prefeito José Ailton Brasil e os secretários municipais do Crato para abertura do Encontro da Poesia no Gesso que acontecerá nesta quinta-feira, 08, às 19h. A abertura do evento  contará   com o lançamento do livro do escritor mato-grossense, Luiz Renato de Souza Pinto,  que lançará o seu livro “Gênero, Número, Graal”. A abertura contará ainda com sarau aberto e ato sobre  a importância do Programa Território da Palavra desenvolvido pelo Coletivo Camaradas na Comunidade do Gesso que contempla uma série de ações de  democratização da leitura.

Além dos gestores municipais estão sendo convidados também gestores estaduais, ligados as  escolas, Universidade Regional do Cariri – URCA  e da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará.

A abertura do encontro deverá ser marcada pela presença de escritores, artistas, gestores e moradores da comunidade.

O Coletivo Camaradas optou por fazer a abertura do evento, entre as mercearias de “Chico do Pneus” e   “Raimundinha”, localizado na rua Monsenhor Juviniano Barreto,  como um forma descontruir o espaço elitizado da literatura.  É um forma também de movimentar a economia dos comércio local.

Para o pedagogo, Alexandre Lucas, a abertura do encontro é um momento politico de articulação e de reafirmação da necessidade de democratização da  literatura, das artes e de repensar  novos modelos de sociedade, mais humanas e socialmente justas. Ele destaca que poesia é apenas uma estratégia para discutir algo maior que é a vida. Lucas frisa que o Programa Território da Palavra coloca a comunidade do Gesso numa outra narrativa de lugar, baseada na potencia criativa e no desenvolvimento social.

O Encontro da Poesia no Gesso será realizado de 08  a 11 de março e terá intervenções urbanas, oficinas, batalha de rap, apresentações, roda de poesia, venda de livros e intercâmbios.

 

Neste sábado, terá mais uma edição da Feira de Sustentabilidade no Gesso

A Feira de Sustentabilidade – Trocaria que é realizada pelo Coletivo Camaradas na comunidade do Gesso terá mais uma edição neste sábado, 03, a partir das 17h30.

O evento contará com as apresentações artísticas de Mateus Cantor, jovem da comunidade que está começando na cena musical, o seresteiro Valuar e o sarau com as crianças da comunidade lendo poesias.

A Feira tem ainda um sebo popular que é o que garante a sustentabilidade das atividades do Coletivo Camaradas, onde é possível adquirir livros a partir de dois reais, e também conta com artesanato, brechó e comidas produzidas pelos moradores da comunidade.

Associação dos Agentes Recicladores do Crato fará coleta na Comunidade do Gesso

Os moradores da Comunidade do Gesso, no Crato, terão uma oportunidade contribuir para reduzir o problema do lixo urbano. O caminhão da Associação dos Agentes Recicladores do Crato passará todas as quintas-feiras pela tarde pelas ruas da comunidade para recolher materiais que podem ser reciclados como: embalagens tetra pak, papel, plástico, vidro e metal.

Os dirigentes da Associação orientam que os materiais devem está separados e limpos.

A coleta seletiva é uma forma de economizar os recursos naturais, aumentar a vida útil do aterro sanitário, melhorar a qualidade de vida e promover a inclusão social.

Essa  é uma articulação  da Associação dos Agentes Recicladores, Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial, através da coordenadoria de Educação Ambiental e o Coletivo Camaradas.

As crianças atuaram como agentes mobilizadoras da ação, neste sentido os dirigentes da Associação estão conversando com elas sobre a importância de cuidar do lugar onde se mora.

Poesia movimentará comunidade no Crato

Marta Regina – Uma das Coordenadora do Coletivo Camaradas

A poesia é capaz de mobilizar pessoas e modificar uma comunidade? É com essa com essa pergunta que o Coletivo Camaradas realizará na cidade do Crato, o Encontro da Poesia no Gesso. O evento contará com a participação de artistas e escritores de diversos lugares do país e contará com lançamento  de livros, oficinas, intervenções urbanas, rodas de poesia, batalhas de rap,  exposição e vendas livros.

Terão oficinas nas escolas Dom Quintino, Colégio Municipal Pedro Felício, Estado da Bahia e Escola Profissionalizante Violeta Arraes. Dentre os nomes confirmados para participar do encontro estão o escritor Luiz Renato de Souza Pinto do Mato Grosso, o rapper pernambucano  Junior Baladeira e o poeta Carlos Barros  do Buffet de Poesia de Recife e o trabalho de vídeo poema da mineira Solange Barreto. Além de  artistas e escritores  da região do Cariri,  como Hamurábi Batista, Paulo Soares, Nezite Alencar,   Fatinha Gomes, Eliana Amorim, Renata Rosa, Thiago Gabriel, Karina Sousa, Cristiano Ramos, Bia Gonçalves, Francinaldo Dias, Cheyenne Alencar, Sandra Alvino, Bia Gonçalves, Natalia Pinheiro, Jussara Xavier,   Fátima Teles, Eveline Limaverde, Jô Andrade, Maura Monteiro, Poliana Leandro, Sionária Oliveira, Tatiane Evangelista, Simone Alencar, Natalia Almeida, Suelanho Alencar,  Kamila Barbosa, Ismael Silva, Icaro Sousa, Joaquim Agostinho,  Josenir Lacerda,  dentre outros.

O Encontro da Poesia no Gesso, além de movimentar a produção literária, discute uma história de lugar que se quer construir  e articula parceiros e comunidade para pensar num urbanismo social que gere autoestima e empoderamento social.

Para a historiadora e coordenadora da intervenção urbana Poste Poesia que é desenvolvido em várias cidades brasileiras pelo Coletivo Camaradas, Marta Regina Amorim , o Encontro contribui para que a comunidade do Gesso tenha acesso a poesia. Ela destaca que é um momento também de gerar renda dentro da comunidade e possibilitar o  contato com artistas e poetas. Marta demonstra entusiasmo ao afirmar “esses quatro dias serão importantíssimos para o fortalecimento do Território da Palavra e o intercambio cultural”.

O Encontro da Poesia no Gesso faz parte do Programa Território da Palavra que é desenvolvido pelo Coletivo Camaradas e que tem o objetivo de contribuir para uma cultura leitora, a partir de várias estratégias de democratização da leitura na Comunidade do Gesso.  O encontro contar com a parceria da Pró-reitoria de Extensão da Universidade Regional do Cariri, Secretaria Municipal de  Cultura, Revista Satirika,   União da Juventude Socialista e o Sesc.

Programação:

QUINTA-FEIRA
DIA 08/03

MANHÃ – Oficina Encenando Poesia com Luiz Renato (MT), Escola Estado da Bahia
TARDE – Oficina de Cordel com Hamurábi Batista – Colégio Municipal
NOITE – Poesia na bodega – Lançamento do Livro do poeta Luiz Renato Momento poético nas marcearias de Dona Mundinha e de Seu Chico dos Pneus

SEXTA-FEIRA
DIA 09/03

MANHÃ – Oficina Poesia e rap – Dextape, Escola Dom Quintino
Oficina Poema Visual com Paulo Soares, Escola Violeta Arraes
TARDE – Oficina de Placas com Coletivo Camaradas – Colégio Municipal Pedro Felício
FINAL DE TARDE – Sexta das Minas – Poesia, rapper e outras variações  musicais, – Terreiro do Coletivo Camaradas – Banca Feminista (literatura produzida por mulheres para venda)

SÁBADO
DIA 10/03

MANHÃ – Intervenções Urbanas:
Poste Poesia
Placas
Poesia na Cx de Fósforo
NOITE – Batalha do Gesso (Batalha de Rap) – Show com Junior Baladeira (PE) – Sebo Popular – Buffet de Poesia com Carlos Barros (PE)– Cordel Expresso Hamurábi Batista

DOMINGO 
DIA 11/03

MANHÃ – Produção dos Vídeos Poemas na Comunidade do Gesso
FINAL DE TARDE – Roda de Poesia – Terreiro do Coletivo Camaradas – Lançamento de Cordel – Sebo Popular – Buffet de Poesia com Carlos Barros (PE) – Cordel Expresso Hamurábi Batista

*Programação sujeita a alteração.

 

Serviço:

Coletivo Camaradas

www.camaradas.org

(88) 996792989